110 ANOS DA IMIGRAÇÃO JAPONESA: João Doria e Bruno Covas participam de evento que abre comemorações dos 110 anos da imigração

O luxo e o requinte do Tivoli Mofarrej, um dos cinco estrelas mais badalados de São Paulo, localizado na região nobre dos Jardins, serviram de palco, no dia 7, para a Celebração de Ano Novo e início das atividades comemorativas aos 110 anos da imigração japonesa no Brasil. Estiveram presentes o cônsul geral do Japão em São Paulo, Yasushi Noguchi; o prefeito de São Paulo, João Doria (PSDB), e seu vice, o secretário-chefe da Casa Civil, Bruno Covas, além do presidente da São Paulo Turismo, David Barioni Neto.

 

Com prefeito, SP inicia comemorações dos 110 anos da imigração japonesa. Foto: Aldo Shiguti

 

Co-realizado pelas cinco principais entidades nikkeis – Bunkyo (Sociedade Brasileira de Cultura Japonesa e de Assistência Social), Enkyo (Beneficência Nipo-Brasileira de São Paulo), Kenren (Federação das Associações de Províncias do Japão no Brasil), Câmara de Comércio e Indústria Japonesa do Brasil e Aliança Cultural Brasil-Japão – o evento contou com apoio do Consulado Geral do Japão em São  Paulo.

Antes do almoço, os cerca de 380 convidados puderam apreciar uma exposição de ikebana (a tradicional cerimonia do Hatsuike – a primeira flor do ano) montada pelas escolas da Associação de Ikebana do Brasil, e da primeira cerimônia de chá  (hatsugama) preparada pelo Centro Chado Urasenke do Brasil.

 

Autoridades e convidados participam do Kagami War. Foto: Jiro Mochizuki

 

Doria chegou ao local por volta das 12h30 acompanhado por Bruno Covas e pelo presidente da SP Turis. Ainda no saguão, Doria participou da cerimônia do chá ao lado da presidente da Comissão para a Comemoração dos 110 Anos da Imigração Japonesa no Brasil, Harumi Goya, e do presidente do Comitê Executivo, Yoshiharu Kikuchi, e  posou com as integrantes do Coral Femino Bunkyo.

Ao entrar no salão, foi bastante aplaudido pelos presentes. Sob regência do maestro Teruo Yoshida, as coralistas interpretaram magistralmente os hinos nacionais do Brasil e do Japão, dando início ao evento.

Abrindo a série de discursos, Harumi Goya disse que o sentimento que gostaria de expressar naquele momento, “jamais terá alcance por meio de palavras”. E lembrou que também faz parte da história como imigrante que é. “Cheguei ao Brasil há 60 anos com minha família, aos 5 anos de idade. Chegamos como todos os imigrantes, aflitos com o nosso destino, mas carregados de muitas esperanças, certos de podermos construir nosso futuro nesta terra. Não estávamos enganados, esta terra se mostrou generosa para aqueles que não têm medo de trabalhar”, enfatizou Goya, acrescentando que, “atualmente, a comunidade nipo-brasileira já vive o tempo da sexta geração de descendentes de japoneses e, nesse sentido, considero fundamental reavivar, sempre que possível, o nosso sentimento de gratidão”.

 

O prefeito com Yoshiharu Kikuchi e o cônsul Yasushi Noguchi. Foto: Jiro Mochizuki

 

Gratidão – “Gratidão aos nossos pioneiros que dedicaram todas as suas forças e, muitos deles, a sua própria vida, para construir os alicerces da boa imagem e do respeito que os descendentes de japoneses possuem no meio desta sociedade. Gratidão, também, a este país que acolheu, tanto os pioneiros como as levas seguintes de imigrantes, proporcionando-lhes condições para desenvolver seus trabalhos e consolidar suas raízes nesta terra”, destacou a presidente, lembrando que a comissão para comemoração dos 110 anos começou as atividades em meados de 2017. “Desde então, seus membros vêm trabalhando com afinco em diversas frentes”.

“Na parte de captação de recursos, fomos privilegiados tanto pela Toyota com a doação do Prius, um carro híbrido; como pela Honda com a doação do Civic modelo 2018. Recebemos também o importante apoio da Fast Shop com a doação de vários equipamentos eletrônicos. Atualmente, estamos em plena campanha para venda dos talões do Sorteio Filantrópico do Toyota Prius, que ocorrerá em 24 de fevereiro próximo, via Caixa Econômica Federal. Logo em seguida, iniciamos a campanha para o Sorteio Filantrópico do Honda Civic”, afirmou Harumi, explicando que, “com o contagiante otimismo do presidente da Comissão Executiva, Yoshiharu Kikuchi, temos realizado inúmeras visitas para doação ao Livro Ouro”. Felizmente, temos conseguido contar com a generosidade de muitas pessoas, organizações e empresas.

 

João Doria cumprimenta o presidente da Associação de Ikebana. Foto: Jiro Mochizuki

 

Legado – Para Harumi, um aspecto tem estimulado a colaboração de todos nesta empreitada. “Trata-se da proposta de, além da celebração, deixar um legado que possa ser usufruído pelas próximas gerações de descendentes de japoneses e que seja uma referência da comunidade nipo-brasileira”. Segundo ela, o esforço é para tentar viabilizar o projeto de sustentabilidade do arquiteto Eiji Hayakawa para o Centro Kokushikan Daigaku em São Roque.

Trata-se de uma propriedade de quase 600 mil m² doada ao Bunkyo, em 1997, pela Universidade Kokushikan Daigaku do Japão. Esse local poderá sediar tanto eventos de pequeno quanto de grande porte, bem como abrigar iniciativas de preservação ambiental já que 1/3 de sua área está coberta de mata nativa.

 

Prefeito participa da cerimônia ao chá ao lado da presidente do Bunkyo e do cônsul Yasushi Noguchi. Foto: Jiro Mochizuki

 

Cerimônia oficial – Harumi lembrou ainda que a cerimônia oficial dos 110 anos será no dia 21 de julho, no Festival do Japão, o maior evento do gênero da América Latina. “Além das autoridades do Brasil e do Japão, a grande expectativa é a de contar com a presença de representantes da Família Imperial japonesa”, disse ela, destacando que para a edição deste ano será construído um local com capacidade para 5 mil pessoas para a cerimônia oficial e um show artístico-cultural reunindo cerca de 4 mil praticantes de música e dança japonesa, da capital e do interior. “Será uma atração imperdível e esperamos contar com a prestigiosa presença de todos os senhores”, destacopu Harumi que, ao finalizar, manifestou seu reconhecimento  à boa receptividade e colaboração da comunidade nipo-brasileira, unida no propósito de promover uma comemoração dos 110 anos à altura de nossa importância na sociedade brasileira”,

 

Yasushi Noguchi discursa durante o evento. Foto: Jiro Mochizuki

 

RevitaLiba – Já o cônsul Yasushi Noguchi lembrou que faz dois meses e meio desde que assuniu o posto em São Paulo. “Antes da minha chegada já tinha conhecimento das relevantes contribuições da comunidade nikkei para com a sociedade brasileira, mas ela superou todas as minhas expectativas. Suas atividades abrangem vários campos, como a agricultura, a saúde, a educação, a economia, o exército, a polícia, as artes e os esportes, estruturados ao longo da história. Expresso meus respeitos por todos esses feitos e também pelo esfoço na preservação deste laço com o Japão”, afirmou Noguchi, que destacou também a inauguração da Japan House São Paulo, e sua participação no RevitaLiba – projeto de revitalização do bairro da Liberdade que incluiu mutirão de limpeza e conscientização e que teve à frente a JCI Brasil-Japão. “O mutirão representa o verdadeiro espírito da cultura japonesa e espero que isso traga melhorias para o bairo”, disse Noguchi.

Noguchi disse que também ficou igualmente impressionado ao visitar a cidade de Registro, no Vale do Ribeira, em novembro do ano passado, quando participou do Tooro Nagashi, e durante sua visita à região Noroeste, “conhecida como terra natal dos imigrantes japoneses”. Segundo ele, a celebração dos 110 anos da imigração japonesa é uma oportunidade para lembrar a rica história da trajetória dos pioneiros. “Espero que seja uma grande comemoração e que leve a comunidade a um maior desenvolvimento”, disse Noguchi.

 

Doria surpreendeu ao encerrar seu discurso em japonês. Foto: Jiro Mochizuki

 

Exemplaridade – Já o prefeito João Doria iniciou sua fala afirmando seu respeito e admiração pelos japoneses. “Estive três vezes no Japão, gostaria de ter estado até mais, mas nas três vezes que fui me emocionei em ver um país vibrante, disciplinado, tecnológico, valorizador do ser humano, respeitador dos princípios, da educação e acima de tudo, um país de muito trabalho, um exemplo de  trabalho. Os mesmos exemplos, as mesmas atitudes, as mesmas posturas, o mesmo DNA que os imigrantes japoneses trouxeram quando aqui desembarcaram no porto Santos, há 110 anos anos, e  fizeram de São Paulo a miaor cidade japonesa foram do Japão”, contou Doria, afirmando que é “um um orugulho ser prefeito desta cidade”. “É um orgulho ser prefeito da maior cidade fora do Japão. Temos exemplos das indústrias, empresas, organizações, instuituições e pessoas que, por suas atitudes e iniciativas preservaram, respeitaram e exaltaram esse DNA japonês do trabalho, da disciplima, da educação e do do respeito”, disse.

“Temos muito ainda a aprender com essa comunidade, temos muito a celebrar essa irmandade e aqui em São Paulo, estejam certo que tudo faremos para que essa celebração seja marcante não só pelas atividades, mas também por sua representatividade e, principalmente, pela sua exemplaridade”,  disse Doria, que encerrou seu discurso em japonês: “Akimashite Omedeto Gozaimassu. Kotoshimo Yoroshiku Onegaishimasu”.

 

Shen Ribeiro e Tamie Kitahara. Foto: Jiro Mochizuki

 

Menu – Ao Jornal Nippak, o prefeito disse que a cultura japonesa é familiar também aos brasileiros e ao país. “São Paulo será o centro das celebrações dos 110 anos da imigração japonesa no Brasil e  e estou muito feliz por toda essa contribuição que os japonses ofereceram – e continuam oferecendo ao nosso país, especialmente a São Paulo, gerando emprego, gerando tecnologia, gerando educação, gerando cultura e gerando integração entre os povos, trazendo paz, harmonia e respeito. Vocês [descendentes de japoneses] têm na figura do Bruno Covas e na minha, dois defensores, dois exaltadores e dois profundos admiradores da contribuição que vocês, seus pais, seus avós bisavós, parentes e amigos ofereceram ao nosso país ao longo destes 110 anos”, disse Doria, que deixou o evento antes de ser servido o almoço, que teve como cardápio salada, filé mignon com batata e, de sobremesa, massa folhada.

 

ALDO SHIGUTI

ALDO SHIGUTI

Redator-chefe
ashiguti@uol.com.br
ALDO SHIGUTI

Últimos posts por ALDO SHIGUTI (exibir todos)

     

     

    Related Post

    CULTURA: 36º Tanabata Matsuri espera 100 mil visit...   A Associação Cultural e Assistencial da Liberdade (Acal) realiza neste fim de semana (19 e 20), na Praça da Liberdade, em São Paulo, a 36ª e...
    MARINGÁ: Licitação para concessão do Parque do Jap...   A Prefeitura de Maringá realizou no último dia 29 audiência pública com a presença da população e entidades representativas para discutir e ...
    SOFTBOL: Marília conquista título do 25º Campeonat...   Marília Campeã do 25º Campeonato Brasileiro de Softbol Feminino Inter-Clubes Júnior (foto: Nelson Yajima)   Com uma vitória sobr...
    CIDADES/MARINGÁ: Pamela Ashihara é eleita Miss Par... Pámela Ashihara foi coroada a nova Miss Parque do Japão 2012. A eleição foi realizada no último dia 27, no salão de eventos da Acema (Associação Cultu...

    2 Comments

    1. obrigado
      pela colaboração e apoio no desenvolvimento da ARTE da Ikebana.
      Um Grande abraço
      Erisson

    2. obrigado
      Um Grande abraço
      Erisson

    Faça seu comentário

    O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *