AGRICULTURA: 44º Prêmio Kiyoshi Yamamoto tem noite de gala no Bunkyo

Em uma das cerimônias mais concorridas dos últimos anos, que lotou o Salão Nobre do Bunkyo (Sociedade Brasileira de Cultura Japonesa e de Assistência Social), a entrega do 44º Prêmio Kiyoshi Yamamoto, um dos mais significativos prêmios da agricultura no país, viveu uma noite de gala no último dia 7 com uma solenidade à altura dos homenageados.

 

Evento contou com a presença da secretária Mônica Bermaschi e do ex-ministro Roberto Rodrigues (foto: Jiro Mochizuki)

Evento contou com a presença da secretária Mônica Bermaschi e do ex-ministro Roberto Rodrigues (foto: Jiro Mochizuki)

 

Neste ano, o Prêmio foi concedido a Kiyoshi Shimasaki, Sidney Fujivara e Tadataka Minami. Os três estavam acompanhados de suas respectivas esposas, Taeko Shimasaki, Harumi Fujivara e Yoshiko Minami, além de familiares e amigos.

Estiveram presentes o cônsul geral do Japão em São Paulo, Noriteru Fukushima; a secretária de Agricultura e Abastecimento do Estado de São Paulo, Mônika Bergamaschi; o ex-ministro da Agricultura, Roberto Rodrigues; o neto de Kiyoshi Yamamoto, Luis Yoshio Yamamoto; o representante-sênior no Brasil da Jica (Japan International Cooperation Agency, a Agência de Cooperação Internacional do Japão), Hiroaki Endo; e o prefeito de Mirandópolis, Francisco Momesso; além do presidente da Comissão Organizadora, Guenji Yamazoe, e o presidente do Bunkyo, Kihatiro Kita, entre outros.

Guenji Yamazoe abriu a série de discursos lembrando que o Prêmio Kiyoshi Yamamoto é um “verdadeiro patrimônio não só da comunidade nipo-brasileira, mas também da agricultura brasileira”. Ele destacou que o objetivo da premiação é descobrir agricultores que estão trabalhando nas mais diversas áreas e não são devidamente reconhecidos.

“Em quase cinco décadas de história, foram 149 homenageados entre produtores rurais, pesquisadores e professores de universidades. Este ano, estes três homenageados representam bem a participação dos nikkeis na agricultura”, disse Yamazoe.

Para o presidente do Bunkyo, o Prêmio Kiyoshi Yamamoto carrega um “simbolismo na história da entidade e na própria trajetória dos imigrantes”.

Já Roberto Rodrigues citou três motivos que o deixaram “profundamente honrado” por participar do evento. “Primeiro, por gratidão e respeito ao povo japonês, que tanto contribuiu para o desenvolvimento da nossa agricultura; segundo, pelo reconhecimento que o japonês tem por seu passado, que reconhece e valoriza seus heróis, um exemplo que devemos seguir; e terceiro, por encontrar velhos amigos com quem venho caminhando há mais de cinco décadas nessa estrada da agricultura”, enumerou o ex-ministro.

 

Tadakata Minami com amigos e familiares (foto: Jiro Mochizuki)

Tadakata Minami com amigos e familiares (foto: Jiro Mochizuki)

 

 

Pujança – Ao Jornal Nippak, Mônika Bergamaschi explicou que é possível tirar valiosas lições de eventos como esse. “A própria comunidade nipo-brasileira carrega valores, tradições, princípios e entusiasmos”, destacou a secretária, lembrando que é engenheira agrônoma formada pela Universidade Estadual Paulista “Júlio de Mesquita Filho” (Unesp). “Tive o privilégio de conviver com uma cultura tão diferente da nossa porque metade da minha turma era formada por alunos de origem japonesa”, contou, acrescentando que a  imigração japonesa contribuiu muito para a pujança da agricultura do Estado de São Paulo desde a época do café, nossa principal cultura, e que está presente até no brasão  do estado”.

“Fiz questão de participar deste evento porque para mim é uma honra homenagear pessoas que desenvolvem um trabalho brilhante na nossa área. É uma oportunidade ímpar estar com nossos pares e que através da cultura, trabalho, alimento, fibra e energia aproximam cada vez mais o Brasil do Japão”, disse a secretária.

 

O homenageado Kiyoshi Shimasaki com familiares e amigos (foto: Jiro Mochizuki)

O homenageado Kiyoshi Shimasaki com familiares e amigos (foto: Jiro Mochizuki)

 

Homenageados – Natural do bairro da Terceira Aliança, Mirandópolis (SP), Kiyoshi Shimasaki lembrou que receber o Prêmio Kiyoshi Yamamoto no em que comemora seu 70º aniversário é a realização de um sonho. “Certamente há pessoas que merecem mais que eu”, disse Shimasaki, que foi premiado pelo seu espírito empreendedor, mediante introdução de novas atividades, inovação e difusão tecnológica na fruticultura.

Presente na cerimônia, o prefeito de Mirandópolis, Francisco Momesso disse que “é um orgulho ter no município uma pessoa tão trabalhadora e tão importante como é o senhor Kiyoshi”.”Fiz questão de estar aqui na noite de hoje em nome de toda a população de Mirandópolis em retribuição à riqueza que ele gera para o município e por estar levando o nome de Mirandópolis para todo o país”. “Fico lisonjeado, pois é a primeira vez que um agricultor de Mirandópolis recebe um prêmio tão importante”, destacou o prefeito.

Tadataka Minami, que esteve acompanhado da esposa, Yoshiko Minami, contou sua trajetória desde que chegou ao Brasil em 1955, então com 12 anos de idade, com seus pais e quatro irmãos, e passou a trabalhar em fazenda de café, em Bauru.

Tadataka Minami recebeu o Prêmio Kiyoshi Yamamoto por sua relevante contribuição ao desenvolvimento e produção de implementos agrícolas, sua preocupação na preservação do meio ambiente e sua dedicação para o progresso da comunidade local.

 

O homenageado Sidney Fujivara dedicou o prêmio aos familiares (foto: Jiro Mochizuki)

O homenageado Sidney Fujivara dedicou o prêmio aos familiares (foto: Jiro Mochizuki)

 

Emoção – Já Sidney Hideo Fujivara fez um discurso bastante emocionado, no qual dedicou o prêmio aos familiares. Disse que sua geração teve uma formação diferente dos outros dois premiados da noite. “Não passamos pelo mesmo sofrimento de nossos pais e avós graças a isso tivemos uma vida mais confortável. Por isso, dedico esta homenagem a eles”, afirmou Fujivara, que cobrou mais reconhecimento dos governos estadual e federal.

Sidney, que perdera o pai e os avós, disse que o falecimento da mãe, em fevereiro, o “deixou com um sensação estranha”. “Sem pais e sem avós, me senti desamparado, pois eles sempre foram minha referência”, argumentou. “Tudo que temos devemos a eles e aos valores que transmitiram”, disse. “Nessa noite, eles devem estar felizes com o legado que deixaram”, concluiu Sidney que recebeu o Prêmio Kiyoshi Yamamoto pelo seu pioneirismo na inovação e difusão tecnológica nas culturas de batata, milho e soja e sua preocupação com a educação ambiental de crianças.

 

(Aldo Shiguti)

Redação

Redação

nippak@nippak.com.br
Redação

Últimos posts por Redação (exibir todos)

Related Post

RIO DE JANEIRO: Exposição Conexão-Origami no Rio d... A abertura da exposição “CONEXÃO - ORIGAMI” aconteceu em 6 de maio de 2015 no Centro Cultural e Informativo do Consulado Geral do Japão no Rio de Jane...
ANDRADINA: Jamil recebe Medalha do Pacificador ent... Jamil, o Comandante Militar do Sudeste, João Camilo Pires de Campos; e o general de Brigada, Riyuzo Ikeda durante evento que fez parte das comemoraçõ...
BUNKYO: Comissão deve indicar candidato da situaçã... Por Aldo Shiguti   A reunião convocada pelo presidente do Bunkyo (Sociedade Brasileira de Cultura Japonesa e de Assistência Social), Kihati...
MAKI YUKO CHARITY CONCERT Onde: Bunkyo (Rua São Joaquim 381, Liberdade) Dia 23/08/2015 Horário: 12h e 16h Informações: 11/4796-3953  

Faça seu comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *