AGRICULTURA: Prêmio Kiyoshi Yamamoto homenageia Mário Nakano e Kenzo Tarumoto

A Comissão Organizadora do Prêmio Kiyoshi Yamamoto realizou, no último dia 11, no Salão Nobre do Bunkyo (Sociedade Brasileira de Culktura Japonesa e de Assistência Social), cerimônia de outorga do 46º Prêmio, evento que presta homenagem às personalidades que se destacaram por sua contribuição ao desenvolvimento da atividade agrícola no país. Assim, este ano, seguindo os critérios estabelecidos pelos organizadores, as entidades, associações e instituições indicaram o médico veterinário Mário Nakano, por sua relevante contribuição à avicultura brasileira e o agricultor Kenzo Tarumoto por sua valiosa contribuição à fruticultura paulista, destacadamente na condução da cultura da manga.

 

46ª edição do Prêmio Kiyoshi Yamamoto homenageia Mário Nakano e Kenzo Tarumoto. Foto: Jiro Mochizuki

46ª edição do Prêmio Kiyoshi Yamamoto homenageia Mário Nakano e Kenzo Tarumoto. Foto: Jiro Mochizuki

 

Estiveram presentes o cônsul geral do Japão em São Paulo, Takahiro Nakamae; o presidente em exercício do Bunkyo, Jorge Yamashita; Luiz Toshio Yamamoto (neto de Kiyoshi, representando a família Yamamoto); o vice-presidente do Enkyo (Beneficência Nipo-Brasileira de São Paulo), Akeo Yogui; o vice-presidente do Kenren (Federação das Associações de Províncias do Japão no Brasil), José Taniguchi; o presidente da Aliança Cultural Brasil-Japão, Yokio Oshiro; o presidente da Associação Nipo-Brasileira da Alta Sorocabana, Toshio Koketsu, e o diretor geral do Instituto Biológico, Antonio Batista Filho, além do presidente e vice da Comissão Organizadora, respectivamente, Guenji Yamazoe e Takanoli Tokunaga, e ainda familiares e representantes de associações nikkeis.

 

O presidente da Comissão Organizadora do 46º Prêmio Kiyoshi Yamamoto, Guenji Yamazoe. Foto: Jiro Mochizuki

O presidente da Comissão Organizadora do 46º Prêmio Kiyoshi Yamamoto, Guenji Yamazoe. Foto: Jiro Mochizuki

 

Abrindo a série de discursos, Guenji Yamazoe lembrou que, desde que foi criado, em 1965, o Prêmio Kiyoshi Yamamoto já homenageou 154 personagens. “A maioria dos premiados é constituída por produtores rurais da comunidade nikkei, sendo que alguns pesquisadores e professores não nikkeis também foram laureados em função do notável apoio dado aos agricultores da comunidade”, disse Yamazoe, destacando que, no ano passado, por ocasião das celebrações do 120 Anos do Tratado de Amizade, Comércio e Navegação Brasil-Japão, do Centenário da Instalação do Consulado Geral do Japão em São Paulo e do 60º aniversário de fundação do Bunkyo, além dos 50 anos da instituição do Prêmio, foi lançado o livro “Prêmio Kiyoshi Yamamoto – Contribuição da Comunidade Nikkei para a Agricultura Brasileira”.

Já Jorge Yamashita – que na ocasião representou a presidente do Bunkyo, Harumi Goya – ressaltou que o prêmio foi criado em memória da figura do “grande líder”, Kiyoshi Yamamoto que, em vida, sempre batalhou em prol do desenvolvimento da agricultura no país.

 

O diretor do Instituto Biológico, Antonio Batista. Foto: Jiro Mochizuki

O diretor do Instituto Biológico, Antonio Batista. Foto: Jiro Mochizuki

 

Para Antonio Batista Filho, “o prêmio representa muito não só para o Mário Nakano como também para o Instituto Biológico”. Segundo ele, o homenageado supervisionou a montagem de dois importantes laboratórios do instituto, sendo um em Bastos. “Se hoje Bastos é considerada a capital do ovo, isso se deve ao trabalho feito lá atrás. Por isso estamos aqui representando o secretário estadual de Agricultura e Abastecimento, Arnaldo Jardim para parabenizar o que o Mário Nakano fez pela agricultura”, explicou Antonio Batista.

Takahiro Nakamae destacou que o Brasil é considerado atualmente um dos principais celeiros agrícolas do mundo, fornecendo uma grande produção de alimentos e isso se deve, em parte à contribuição dos nikkeis ao desenvolvimento da agricultura brasileira. “A concessão do prêmio aos senhores é fruto dos resultados obtidos por meio do avanço tecnológico”, disse o cônsul .

 

O cônsul geral do Japão em São Paulo, Takahiro Nakamae. Foto: Jiro Mochizuki

O cônsul geral do Japão em São Paulo, Takahiro Nakamae. Foto: Jiro Mochizuki

 

Homenageados – Nascido em São Paulo, Mario Nakano lembrou sua infância, de quando, então com 12 anos de idade, trabalhou como empregado na residência de Kiyoshi Yamamoto. “Fazia a limpeza do jardim”, conta Mario, que formou-se em Medicina Veterinária pela USP e especializou-se em Ornitopatologia.

 

Mario Nakano recebe sua homenagem. Foto: Jiro Mochizuki

Mario Nakano recebe sua homenagem. Foto: Jiro Mochizuki

 

Mestre pela USP, tornou-se doutor em Ciências pela Faculdade de Ciências Médicas e Biológicas de Botucatu (UNESP), ele lembrou que, na época da Segunda Guerra, a família sofreu uma mudança brusca, tendo que se desfazer da mercearia e mudar para a zona rural em São Bernardo do Campo. “Para quem estava acostumado com energia elétrica, foi uma adaptação difícil ter que morar numa casa com chão de barro e telhado sem forro”, disse Nakano, que em 1959 ingressou no Instituto Biológico, onde se aposentou em 1991. Em 1982, sob sua supervisão, a Seção de Ornitopatologia passou a contar com dois Laboratórios Regionais, em Bastos e Descalvado, com a finalidade de atender avicultores sobre os problemas de diagnósticos das doenças que ocorrem na região.

 

Kenzo Tarumoto recebe placa de Jorge Yamashita. Foto: Jiro Mochizuki

Kenzo Tarumoto recebe placa de Jorge Yamashita. Foto: Jiro Mochizuki

 

Kenzo Tarumoto é o terceiro filho de Kaneichi Tarumoto, pioneiro fundador da Colônia Sankyo (que fica cerca de 12 km da cidade de Presidente Prudente). Na década de 1970, quando a região se tornou uma das maiores produtoras de manga Haden, Tarumoto destacou-se por sua alta produtividade e qualidade, servindo de modelo de alta rentabilidade, orientador e conselheiro de muitos agricultores. Passou a ser considerado, por unanimidade, como aquele que consolidou a fruticultura como uma das principais atividades da região. Atualmente mantém em seu pomar 750 pés de manga, 800 pés de maracujá, 700 pés de pitaya, 400 pés de roma e 90 de ponkã. Pai de cinco filhos, achou que o ciclo da família na agricultura tivesse terminado quando seu terceiro filho, Sérgio, anunciou que seguiria a carreira do pai. Para sua felicidade.

Durante a cerimônia, dona Júlia, esposa de Mário Nakano, e dona Olga, esposa de Kenzo Tarumoto,  também foram homenageadas com um buquê de flores entregue pela vice-presidente do Bunkyo, Madoka Hayashi.

 

ALDO SHIGUTI

ALDO SHIGUTI

Redator-chefe
ashiguti@uol.com.br
ALDO SHIGUTI

Últimos posts por ALDO SHIGUTI (exibir todos)

     

    Related Post

    LIVROS: CELINA YAMAO LANÇA ‘SIMPLES NACIONAL’ NEST... Acontece nesta segunda-feira, 25, das 18h30 às 21h30, o lançamento do livro “Simples Nacional como instrumento social para o cumprimento da função soc...
    SILVIA IN TOKYO: Perto da décima vitória no sumô... O lutador de sumô Kaisei (Ricardo Sugano) está perto da décima vitória no torneio de verão   Kaisei, ao vencer o lutador...
    INVESTIMENTOS: Toyota anuncia investimento de R$ 1...   O presidente mundial da Toyota, Akio Toyoda, anunciou nesta quarta-feira (8) a construção de uma fábrica de motores no Brasil, em Porto Feli...
    ESPECIAL: Em ano olímpico, 60ª edição do Prêmio Pa... A edição de número 60 do Prêmio Paulista de Esportes não poderia acontecer em momento mais propício: às vésperas da competição mais importante do plan...

    Faça seu comentário

    O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *