AKIRA SAITO: NÃO É MINHA CULPA…..

 

“No Caminho do Budô, não existem meias verdades, apenas a clareza dos fatos”

 

Quando iniciamos a prática do Budô, logo aprendemos que a Cultura Japonesa mantém alguns aspectos diferentes do Ocidente. No Japão, o certo e o errado são ensinados de forma bem simples, que consiste em se algo não estiver certo, só resta a alternativa de estar errado. O que vemos aqui, principalmente na educação atual é que o que não está certo, não necessariamente tem que estar errado. Juntam-se várias justificativas, os famosos “mas”, e acaba-se por se eximir da culpa.  O fato, é que estes “mas” vão se perpetuando ao longo da vida e vão crescendo juntamente com o tamanho dos erros. Por exemplo, dirigir sob o efeito de álcool (hoje em qualquer quantidade) é crime, porém, aquele indivíduo que saiu da festa ou bar depois de tomar alguns (ou muitos) drinks, tem sempre em seu discurso um “mas” para justificar que é capaz de dirigir, e com isso, eximisse da culpa e coloca em risco a vida muitas outras pessoas.

Acredito que um ato errado, não deveria ser aceito o “mas” como justificativa, apenas que um ato errado precisaria sim, de responsabilidade para se assumir a culpa e justiça para se fazer pagar pelo erro. Aqui, muitas vezes um ato hediondo, é justificado, e com isso parece se esquecer do ato em si, como se apenas dizer que não teve culpa, soltar algumas lágrimas e ter uma justificativa, pudessem trazer a vida de alguém de volta. Isto eu acredito que se aprende desde muito cedo. Os pais neste caso são os maiores exemplos para que as crianças não aprendam este mal terrível que é não assumir a culpa pelos seus atos errados e utilizar o “mas” como justificativa.

Vamos servir de exemplo para nossas crianças, e se por acaso estiver errado, nada mais certo e justo, do que assumir e dar uma resposta de caráter: “Me desculpe, eu estava errado”.

Todos por um mundo melhor!!!!!

GANBARIMASHOU!!!!!

 

*Akira Saito, professor e praticante de Budo há 32 anos, morou no Japão de maio de 1990 a setembro de 1996, onde treinou karate sob a tutela do Hanshi Konomoto Takashi – 9º dan, graduando-se até o 3º Dan e tornando-se instrutor da matriz na cidade de Sagara-cho e das filiais das cidades de Hamamatsu-shi e Hamakita-cho até o retorno ao Brasil. Atualmente tem a graduação de 5 Dan e recebeu o título de Renshi-Shihan da matriz no Japão.

E-mail: akira.karate@gmail.com

 

 

 

 

Redação

Redação

nippak@nippak.com.br
Redação

Últimos posts por Redação (exibir todos)

Related Post

JORGE NAGAO: POETAS CIBORGUES POETAS CIBORGUES O organizador de Hiperconexões 2 O LuiZcritor Bras é um cara que não só vive no mundo da lua como viaja frequentemente  por to...
ERIKA TAMURA: Jogada Bonita Morando no Japão há tanto tempo, ainda consigo me surpreender com as atitudes fantásticas de alguns brasileiros, atitudes essas que merecem destaque! ...
ARTIGO: O valor de uma promessa cumprida: a retoma... O ano de 2015 teve um significado especial para o meu primeiro mandato na Câmara Municipal de São Paulo, pois pude cumprir uma promessa feita antes me...
CANTO DO BACURI > Francisco Handa: Yasujiro Ozu no... Em Akibiyori, que recebeu o título em inglês de Late Autumn, algo como Outono tardio, de 1960, faz parte da filmografia de Yasujiro Ozu em sua série c...

Faça seu comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *