AKIRA SAITO: O SOBRENOME

 

“Quem somos hoje devemos em parte aos nossos antepassados, gratidão e reconhecimento, é o que devemos por levarmos o nosso sobrenome.”

 

Nas grandes culturas, o sobrenome sempre teve papel importante dentro da sociedade. É através dele que se conseguia muitas vezes, distinguir o patamar de honra e dignidade de um indivíduo, baseado em feitos de seus antecessores. Não apenas para destacar conquistas ou o status social da família, era também suporte para uma boa educação e princípios rígidos, que identificavam uma pessoa de bem.

No Japão, ainda é motivo de muita responsabilidade, já que o sobrenome pode ser “manchado”, caso um único membro cometa algum delito. E caso isto aconteça, não é apenas a vergonha ou a desonra, mas também documental, já que será incluído o fato na árvore genealógica da família, que no Japão é um documento oficial exigido para praticamente tudo e impedindo muitas vezes transações e negociações de todos e não somente da pessoa causadora. A diferença é que lá, um ato ou atitude precisa ser analisado muito bem antes de se tomar uma decisão, já que a consequência atingirá não somente a pessoa, mas também toda a sua família antecedente e descendente, já que uma dívida, por exemplo, é cobrada da família e não da pessoa. Por isso há uma preocupação com a educação moral rígida de cada filho, já que estará nas mãos de cada um o zelo por este bem precioso. Uma educação baseada em combater o egoísmo, que é preciso pensar sempre nos antepassados, que uma ação tem sempre uma reação e que é sempre preciso assumir a responsabilidade por seus atos. A honra e a dignidade devem ser preservadas e que cada membro da família tem a sua parcela de compromisso.

Somos frutos de nossos pais e avós e nossos filhos são e serão o nosso futuro, tudo depende do que ensinamos a eles, assim como aprendemos em nossa infância. O nosso sobrenome é o nosso legado, por isso vamos ensinar muito bem a nossos filhos de como cuidar deste bem precioso.

Vamos assim batalhar por um mundo melhor, mas também ensinar a nossos filhos que isso só será possível com pessoas dignas e com caráter!!!!!

 

GANBARIMASHOU!!!!!

 

*Akira Saito, professor e praticante de Budo há 32 anos, morou no Japão de maio de 1990 a setembro de 1996, onde treinou karate sob a tutela do Hanshi Konomoto Takashi – 9º dan, graduando-se até o 3º Dan e tornando-se instrutor da matriz na cidade de Sagara-cho e das filiais das cidades de Hamamatsu-shi e Hamakita-cho até o retorno ao Brasil. Atualmente tem a graduação de 5 Dan e recebeu o título de Renshi-Shihan da matriz no Japão.

E-mail: akira.karate@gmail.com

 

 

 

Redação

Redação

nippak@nippak.com.br
Redação

Últimos posts por Redação (exibir todos)

Related Post

JORGE NAGAO: Histórias de Karoshi     Histórias de Karoshi não têm nada a ver com as histórias da carochinhas destinadas às crianças. As de karoshi são trágicas, li...
AKIRA SAITO: UM MUNDO DE INDIGNAÇÃO   “A forma como as pessoas sobrevivem hoje em dia, não mais cultuando os valores morais e deixando a conveniência predominar, causa sempre ind...
FERNANDO ROSA: Aprenda a usar a Roda da Abundância... Uma poderosa ferramenta utilizada nos processos de Coaching, é a Roda da Abundância. Uma roda que tem como base 4 verbos: Declarar, Solicitar, Agir e ...
SILVIO SANO > NIPÔNICA: O mal do Brasil está na ín... Daí, a caminho da praia, em pleno congestionamento quilométrico, um carro passa correndo pelo acostamento e segue adiante. Não dei bola. ”Esses espert...

2 Comments

  1. Sempre fui grata aos meus pais pelo muito que construíram, pela formação que nos deram e pelo sobrenome honrado. Em novos contatos, quando ficam sabendo o sobrenome, recebo elogios: o que faz bem enorme.

    Sei que na tradição japonesa a mulher – quando casa – passa a usar o sobrenome do marido, com exclusão daquele que usava quando solteira.
    Aqui no Brasil vejo que – nós, nikkeis casadas – temos 2 sobrenomes: conservei o meu do qual me orgulho, e acrescentei o do meu marido.

    A filhos amados – e também a pessoas de outras famílias – tenho me esforçado para passar valores positivos, porque – como Akira Saito Sensei – desejo imensamente que sejam esteios de gerações com dignas qualidades!!

  2. Interessante, também sou “AKIRA SAITO”, e sou faixa preta 1dan em judô pela Hombu Budokan. Abraços ao meu xará!

Faça seu comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *