ARTIGO/AURÉLIO NOMURA: ‘Avançamos muito para recuperar a importância e o dinamismo da cidade de São Paulo’

Estamos chegando ao final do primeiro ano da Legislatura 2017-2020, que foi marcado por muito trabalho para que a cidade de São Paulo retome o seu ritmo e a população seja atendida em suas necessidades essenciais que são a saúde, a educação, a habitação, a segurança urbana e a mobilidade.

 

Aurélio Nomura: “A atual gestão assumiu a cidade no mais completo abandono”. Foto: divulgação

 

Como líder do Governo, venho atuando na Câmara Municipal de São Paulo para que o Executivo obtenha aval dos vereadores para cumprir as ações que fazem parte da promessa de campanha do prefeito João Dória e que receberam o aval de mais de 53% dos paulistanos.

A atual gestão assumiu a cidade no mais completo abandono, com obras inacabadas, serviços de zeladoria cortados ou de péssima qualidade e, além disso, com dívida de R$ 7 bilhões, resultado da desastrosa administração do Prefeito anterior, que deixou de pagar fornecedores, não renovou contratos e cancelou outros gastos essenciais apenas com o intuito de escapar da Lei de Responsabilidade Fiscal.

Apesar de tantas dificuldades, neste primeiro ano, esta gestão já mostrou como é administrar com competência e comprometimento com a população: em poucos meses reduziu a fila de exames nas UBS, regularizou a distribuição de remédios, fechou contratos emergenciais de lixo, zeladoria e iluminação pública, pagou dívidas deixadas pelo prefeito Fernando Haddad, evitando o colapso da cidade. Por outro lado, esta administração reduziu o tamanho da máquina, enxugando os gastos desnecessários e cortando 30% das despesas.

Neste momento difícil da economia brasileira, a gestão do prefeito Doria entendeu que a população não pode ser ainda mais penalizada e evitou o reajuste da Planta Genérica de Valores, determinado pela administração anterior, e com isso o IPTU de 2018 terá apenas a correção pela inflação.

Em busca dos recursos necessários para investir nas áreas prioritárias – ou seja, a saúde, a educação, a habitação, a segurança urbana e a mobilidade – o Prefeito João Dória deu início a uma de suas promessas de campanha: o Plano Municipal de Desestatização, projeto aprovado na Câmara, e que exigiu intensos entendimentos e conciliações com as bancadas de todos os partidos.

É importante deixar muito claro que desestatizar não é simplesmente privatizar. Desestatizar envolve também as concessões, que serão a grande maioria dos casos, e as PPPs para projetos que exigem grandes investimentos iniciais.

Com o Plano Municipal de Desestatização a Prefeitura vai deixar de gastar R$ 430 milhões ao ano em atividades desnecessárias, além de arrecadar cerca de R$ 5 bilhões, que serão integralmente destinados à saúde, educação, habitação, segurança urbana, mobilidade e assistência social.

Outro projeto do Executivo, de grande importância para a cidade, e que exigiu intensas negociações na Câmara Municipal foi a autorização de empréstimo de R$ 1,395 bilhão, que serão investidos na melhoria das UBS, AMA, UPA 24 horas, construção de hospital e reforma de pronto socorro; na educação, construção de unidades habitacionais, recapeamento de vias, mobilidade urbana e obras de intervenção contra cheias.

Como se vê, foi um ano intenso, mas em pouco tempo já demos grandes passos e avançamos muito para recuperar a importância e o dinamismo da nossa cidade e, dessa forma, conseguir melhor a qualidade de vida e o bem-estar de toda população. Também estamos conscientes que muito ainda precisa ser feito e é nesse sentido que vamos continuar concentrando nossos esforços e nosso trabalho.

O ano de 2018 será de extrema importância para todos nós brasileiros, pois acontecem as eleições para presidente, para o Congresso Nacional e para as Assembleias Legislativas. Como cidadãos paulistanos desde já precisamos lutar para uma reforma tributária ampla e mais justa para a cidade de São Paulo, pois não é possível continuar na condição de município que mais contribui para a União e receba de volta apenas ínfimos 9%. Da mesma forma, será a chance para moralizar o Executivo e o Congresso Nacional, pois é sórdido e repulsivo que se abuse e use o dinheiro público como moeda de troca, em benefício de poucos, dos amigos do rei, e em obras inúteis e desnecessárias, retirando-se recursos da Saúde, da Educação, da habitação popular e de combate à pobreza.

Como se percebe, será um ano que exigirá lucidez e responsabilidade de todos nós que queremos e lutamos por um País justo, honesto, digno e respeitado.

Aproveito esta oportunidade para desejar a todos um Ano-Novo com muita Paz, Saúde e Prosperidade.

 

*Aurélio Nomura é vereador pelo PSDB e líder do Governo na Câmara Municipal de São Paulo

 

 

Related Post

ESPETÁCULO: “En – Laços do Destino” acontece neste... A dançarina nikkei, Eliane Mizumoto coordena no palco do Teatro FECAP o espetáculo “En –  Laços do Destino”, em única apresentação neste sábado (29), ...
DIREITO TRIBUTÁRIO: Kiyoshi Harada lança livro em ... Aconteceu na noite do dia 19 de junho de 2012 o lançamento da obra Código Tributário Nacional Comentado escrita pelo jurista Kiyoshi Harada em coautor...
KARAOKÊ: 18º Concurso da Regional Centro reúne 340...   Diferentemente do concurso do ano passado que ocorreu exatamente no Dia dos Pais (11/08), a Regional Centro, filiada à UPK – União Paulista ...
CICLISMO: Com ouro no Pan de Guadalajara, Gabriela... A maringaense integrante da Seleção Brasileira de Ciclismo juniores, Gabriela Yumi após conquistar a medalha de prata na prova de velocidade no Campeo...

Faça seu comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *