ARTIGO: E o Fujimori, esquecemos dele?

Engenheiro Agrônomo, com cursos nos EUA. 77 anos. Com saúde precária, sofreu cirurgia quatro vezes por lesão cancerígena na língua. Preso desde 2007, condenado a 25 anos por violação de direitos humanos no combate  e pondo final ao grupo de terroristas Sendero Luminoso que tanta violência praticou contra o povo peruano. Quem não se lembra que numa véspera de Natal alguns deles invadiram a embaixada japonesa e fizeram inúmeros reféns. Ele próprio, Fujimori, comandou os militares para a libertação dos presos. Todos os terroristas foram eliminados.

Presidiu o Peru de 28 de de julho de 1990 a 17 de novembro de 2000. Único descendente de japonês a ocupar tão alto cargo em país que não o Japão. Possui também a cidadania japonesa.

Estava são e salvo no Japão quando decide voltar. Sua filha era candidata à presidência e ele tinha a expectativa de que seria eleita. Estava num país vizinho quando foi preso e expatriado ao Peru.

Não seria, por uma questão de humanidade, fazer um movimento, principalmente do governo japonês, pois se trata de um cidadão desse país, para indultá-lo? Considerando, ainda, que todos os atos ilegais a ele atribuídos não foram praticados pessoalmente, mas sim por agentes do governo.

Se você tem a mesma opinião, peça ao seu deputado, ao seu vereador, que manifeste essa vontade ao embaixador peruano para que leve ao presidente de seu país que seja concedido indulto ao patrício  Fujimori.

 

 

*Os artigos assinados não expressam a opinião do jornal

 

SHIGUEYUKI YOSHIKUNI

SHIGUEYUKI YOSHIKUNI

Jornalista e escritor

Membro da Academia Linense de Letras
SHIGUEYUKI YOSHIKUNI

Últimos posts por SHIGUEYUKI YOSHIKUNI (exibir todos)

    Related Post

    AKIRA SAITO: PRINCÍPIOS MORAIS E DISCIPLINA     “Uma Arte Marcial prepara o cidadão para contribuir para uma sociedade melhor e mais justa”     Em todas as Artes M...
    SHIGUEYUKI YOSHIKUMI: Passaporte para o além Outro dia, jogando conversa fora numa rodinha – havia muitas pessoas ao redor – pós missa de 49 dias de um amigo em comum – perguntaram-me como conseg...
    SILVIO SANO > Nipônica: Como receber alta em hospi... Apesar do título, não se trata de sugestão de como fazê-lo, cuja incumbência é do médico responsável. E até porque sou adepto do “cada macaco no seu g...
    HIDEMITSU MIYAMURA: O ofurô e o missoshiru   Quando era criança e morava no interior costumava ser chamado por brasileiros de “Ei! Japonês”. Toda vez que era chamado assim, eu me sentia...

    Faça seu comentário

    O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *