ARTIGO: ‘Massami Uyeda é um orgulho para a sociedade nipo-brasileira’

*Kiyoshi Harada

 

O ministro Massami Uyeda foi agraciado pelo governo japonês com a Ordem do Sol Nascente, Estrela de Ouro e Prata. A cerimônia de condecoração ocorreu no dia 25 de janeiro na residência oficial do Embaixador do Japão no Brasil, Satoru Satoh. É segunda pessoa no Brasil, desde a instituição dessa Ordem, que recebeu essa condecoração na categoria Estrela de Ouro e Prata. O primeiro contemplado foi Kunito Miyasaka, porém, foi uma homenagem post mortem.

Foi uma das honrarias das mais acertadas e merecidas. Como bem destacou o Ministro Humberto Martins em sua saudação carregada de emoção, o homenageado dedicou 46 anos consecutivos de sua vida como sacerdote do direito. São raros os profissionais do Direito que atuaram nas três grandes áreas sucessivamente como fez o Min. Uyeda: advocacia, Ministério Público e Magistratura. Na magistratura ingressou em 1978 conquistando sucessivamente os cargos de juiz de direito de primeira instância a entrância especial; juiz do 1º Tribunal de Alçada Civil de São Paulo, e finalmente alcançando o ápice da carreira como Desembargador do Tribunal de Justiça. Em 2006 exonerou-se do cargo de Desembargadora para assumir o cargo de Ministro do Superior Tribunal de Justiça, a mais Corte infraconstitucional do País que tem a missão dr uniformizar a aplicação da lei federal em todo território Nacional.

Não apenas os  méritos profissionais do mnistro Uyeda foram levados em conta pelo governo japonês para conceder-lhe tamanha honraria. Levou-se em consideração o fato de que ele decisivamente contribuiu para a consolidação dos laços de amizade entre os dois povos. Na condição de Ministro integrou a Comissão de Honra em âmbito nacional para os festejos comemorativos do centenário da imigração japonesa. Nessa condição acompanhou  Sua Alteza, o Príncipe Akihito em seus deslocamentos para diferentes pontos do território Nacional. Integrou, ainda, a Comitiva do Presidente da República como representante do Poder Judiciário em abril de 2008 para comemoração da emigração japonesa, ocasião em que foi recebido pelo Imperador Akihito. Em 2007, a convite do Ministério dos Negócios Estrangeiros do Japão, esteve em visita àquele país esclarecendo pontos controvertidos em relação aos dekasseguis que vinham causando atritos naquela sociedade homogênea. As dúvidas foram dissipadas concorrendo para a compreensão mútua do fenômeno migratório.

O ministro Massami Uyeda é um orgulho para a sociedade nipo-brasileira e um exemplo de como um humilde filho de imigrantes pode ascender aos mais elevados postos no cenário nacional.

 

 

*Kiyoshi Harada é um dos nomes mais conceituados em Direito Tributário e Direito Financeiro na América Latina. É autor de inúmeras obras jurídicas e professor de Direito Administrativo, Tributário e Financeiro em diversas instituições de ensino superior.

 

Related Post

ERIKA TAMURA: De onde você é? Uma das perguntas que mais escuto aqui no Japão é: de onde você é? Esse onde, pode ter várias respostas, afinal, sou brasileira, de Araçatuba, ...
JORGE NAGAO: Errando a mirada   “Apertado”, fui ao WC do Hussardos, clube literário no centro da capital paulista. Vi a letra M, numa porta, e deduzi: Masculino. Banhei...
ERIKA TAMURA: Fim das campanhas políticas, mas não... Chegamos a mais um fim de eleições presidenciais, e esse com certeza, foi uma das mais acirradas por qual eu me lembre que o Brasil passou. Indepen...
MUNDO VIRTUAL: Pokémon Go – algumas repercus...   Há poucos dias houve o lançamento oficial no país do jogo Pokémon Go, cuja empresa proprietária - a Niantic, divulgou em seu site que houve ...

Faça seu comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *