ARTIGO: O início de uma nova etapa

 

*Walter Ihoshi

 

Esta semana, o Brasil recebe o primeiro-ministro japonês, Shinzo Abe, que viaja à América Latina e Caribe para visitar cinco países com o objetivo de desenvolver laços diplomáticos e comerciais com a região. O Brasil é considerado o mais importante de sua agenda. Não é de se admirar, afinal, Brasil e Japão possuem uma relação econômica de longa data, e trabalharam de forma complementar durante muito tempo. Nos anos 50, 60, o Brasil forneceu matéria-prima para a industrialização do Japão. E o Japão foi, por vários anos, o segundo ou o terceiro maior investidor do Brasil.

Hoje, a parceria não é mais a mesma das décadas anteriores. No entanto, jamais deixou de existir. O Japão é o quinto mercado para as exportações brasileiras, e o nosso país é o sétimo para as japonesas. Juntas, movimentam US$ 16 bilhões por ano. O Brasil possui 455 empresas com capital japonês. Quando se trata de investimento, o Japão ainda está entre os dez países que mais investem aqui. Isso significa que se algo importante foi construído na relação Brasil-Japão foi  a confiança, que pode ser fortalecida.

Há um enorme potencial para ambos aprofundarem um novo relacionamento. A visita de Shinzo Abe ao país e os festejos dos 120 Anos do Tratado de Amizade, Comércio e Navegação entre Brasil e Japão, que serão celebrados no ano que vem, podem selar o início desta nova etapa.

O premiê, que vem acompanhado de uma comitiva de empresários do Nippon Keidanren (Federação das Organizações Econômicas do Japão), deve apresentar projetos de melhoria de portos, estradas ou ferrovias brasileiras – dos quais o Brasil precisa e muito, sobretudo, para escoar sua produção.  Por outro lado, há o interesse do Japão nas áreas de biotecnologia, alimentos e bioenergia – como o etanol e o biodiesel, em que o Brasil é referência mundial.

Ao olhar para o futuro, há dezenas de interesses mútuos. Juntos, os dois países podem se desenvolver e também contribuir para a construção da agenda global, que inclui a preservação do meio ambiente e a diminuição da pobreza. Além disso, as duas nações almejam uma cadeira permanente no Conselho de Segurança da ONU. O Japão vai se candidatar no ano que vem, e o apoio do Brasil será fundamental nesse processo.

No que diz respeito à comunidade nipo-brasileira, também é hora de aproveitar o momento para olhar para frente e buscar parcerias com o governo japonês que acrescentem conhecimento às novas gerações. É importante que os mais jovens continuem tendo acesso ao idioma e às tradições japonesas. Mas, igualmente, às novidades, sejam elas culturais, gastronômicas ou acadêmicas. Com uma formação cada vez melhor, os jovens nikkeis podem transformar essas informações em oportunidades profissionais e atuar com sucesso, lá ou cá.

 

Há muito mais do que se imagina a extrair das relações entre Brasil e Japão. Shinzo Abe sinaliza querer estreitar o diálogo com os brasileiros. Agora resta ao Brasil fazer sua parte, e oferecer a contrapartida necessária para que esse desejo de reaproximação saia do campo das intenções e seja colocada em prática. Ambos só têm a ganhar.

 

walter-ihoshi

*Walter Ihoshi

é deputado federal pelo PSD-SP

 

 

 

 

Redação

Redação

nippak@nippak.com.br
Redação

Últimos posts por Redação (exibir todos)

Related Post

AKIRA SAITO: AVENTURA NO JAPÃO “Retornar onde tudo começou, não significa conhecer seus sentimentos em relação ao que se vai encontrar” Hoje começa minha aventura de volta ao Jap...
Beleza by YUMI KATAOKA: LÁBIOS GLITTER ROSA Hellooo meninas e amantes de beleza e maquiagem. Hoje vou mostrar um tutorial simples e super fácil para você destacar seus lábios em qualquer ocas...
SHIGUEYUKI YOSHIKUMI: Primeiro Grande Culto do Ano... Primeiro Grande Culto do Ano no Templo Taisenji, de Lins (Foto: Shigueyuki Yoshikumi)   Foi no dia 6 de janeiro, com a presença de umas 35...
MEIRY KAMIA: Como arrumar emprego em tempos de cri... Com a taxa de desemprego chegando aos 8% no primeiro trimestre de 2015, é natural que se veja mais pessoas desesperadas pela falta de emprego e/ou com...

Faça seu comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *