ARTIGO: Plano Diretor de Turismo

Bruno Omori*

 

O Plano Diretor de Turismo tem como objetivo de planejar o turismo de um Município, Estado ou País, nos próximos 20 anos, com foco no fortalecimento e desenvolvimento do turismo como fator de desenvolvimento social e econômico nos âmbitos seccional, estadual, regional, nacional e internacional.

As etapas do Plano Diretor de Turismo englobam:

Planejamento do escopo, entrevistas e visitas técnicas;

Aplicação de Pesquisas de demanda e oferta;

Participação efetiva do Conselho de turismo, poder executivo, legislativo, judiciário e da população local em todos os processos do PDT;

Integração com todas as pastas e temas como segurança, transporte, sustentabilidade, acessibilidade e inclusão social, educação, finanças, esporte, cultura, saúde, obras, entre outros;

Inventário dos produtos e serviços do turismo;

Levantamento do potencial do destino e da região;

Diagnostico da atividade turística, atrativos naturais, serviços e empreendimento;

Prognostico proativos e estratégicos para o turismo;

Diretrizes físicas, estratégicas, financeiras e econômicas para concretização;

Planos de desenvolvimento do turismo;

Projetos estratégicos ligados a qualificação, comunicação, eventos e integração do turismo;

Prazos de acordo com as prioridades de cada plano e projeto;

Aprovação pelas autoridades, conselho de turismo e população

Aplicação e gestão do PDT, como instrumento sinérgico de transformação e integração da sociedade, governo e empresários, para tornar o destino com potencial nacional e internacional nos próximos 20 anos.

Por que o Turismo como Fator de Desenvolvimento Econômico e Social? Porque o turismo tem o maior potencial de geração de emprego e renda mundialmente; é o principal produto do PIB da França, Espanha, Portugal; os EUA faturaram mais de USD 177 bilhões em 2014 em divisas internacionais no turismo; tem o potencial de integrar e gerar sinergia com eventos e projetos culturais, esportivos, empresariais, feiras de negócios, congressos, de incentivo; comparando uma fábrica com 200 robôs e 100 colaboradores que recebe a presidência da república na inauguração, 200 meios de hospedagens de um destino pequeno empregam mais de 3000 empregos diretos; além de ser uma indústria limpa que as divisam entram diretamente no país.

 


 

Bruno Omori é o atual presidente da ABIH-SP (Foto: divulgação)

Bruno Omori é o atual presidente da ABIH-SP (Foto: divulgação)

 

Bruno Omori – Presidente da ABIH-SP e Secretário Executivo do Conselho Estadual de Turismo do Estado de SP.

 

 

 

 

Related Post

ERIKA TAMURA: Míssil norte coreano Estou de volta ao Japão, depois de uns dias no Reino Unido. Confesso que, estava com medo do retorno ao Japão. Ao mesmo tempo em que para mim, ...
ERIKA TAMURA: Katehomu – A visita do professor Na escola japonesa, logo que se inicia o ano letivo, o professor dos alunos visita a casa de cada aluno. Um por um.   E essa semana foi a v...
JORGE NAGAO: Slogan-maker Em outubro, esta notícia surpreendeu a todos: “A revista "Playboy" vai parar de publicar imagens de mulheres nuas. A decisão faz parte de uma reformul...
MUNDO VIRTUAL: Redes sociais e cidadania   A primeira ideia que tenho sobre uma rede social é de que ela está diretamente ligada ao conceito de cidadania, que por sua vez é integrada ...

Faça seu comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *