ASSOCIAÇÃO LATINO-AMERICANA DOS EX-BOLSISTAS DO GAIMUSHO: Embaixador do Japão prestigia lançamento de obra coletiva sobre os 21 anos da ALAExBG

O lançamento da obra coletiva coordenada pelo jurista Kiyoshi Harada, “21 Anos Consecutivos da Associação Latino-Americana de Ex-Bolsistas de Gaimusho”, realizado no último dia 14, no Museu Histórico da Imigração Japonesa no Brasil, no prédio do Bunkyo – Sociedade Brasileira de Cultura Japonesa e de Assistência Social – teve como ponto alto a presença do embaixador do Japão no Brasil, Akira Yamada.

 

Embaixador prestigia lançamento de obra sobre os 21 anos da Associação Latino-Americana de Ex-Bolsistas. Foto: Jiro Mochizuki

 

Mesmo com uma agenda atribulada na capital paulista – à tarde se reuniu com o prefeito João Doria (PSDB) e à noite participou ainda do Bonenkai da Câmara de Comércio e Indústria Japonesa do Brasil no Tívoli Moffarej – Yamada destacou sua alegria em estar presente na cerimônia de lançamento do livro do Gaimusho Kenshusei. O embaixador lembrou que chegou no Brasil em agosto deste ano, vindo do México, e por isso seu português “não é muito bom”.

“No livro, escrevi um artigo em espanhol como embaixador do Japão no México. Na época, não pensava que viesse para o Brasil, mas é uma grande alegria estar aqui. Tenho lembranças muito boas com esse programa de Gaimusho Kenshusei desde quando eu era jovem diplomata e trabalhava no Ministério dos Negócios Estrangeiros. Por diversas vezes tive oportunidade de trabalhar com o programa Gaimusho Kenshusei e depois, como diretor geral de América Latina, pude trabalhar outras vezes”, disse Yamada, explicando que, quando assumiu o cargo de diretor geral do Ministério dos Negócios Estrangeiros, o programa estava interrompido.

 

O jurista e coordenador da obra, Kiyoshi Harada, com Marcelo Hideshima e o embaixador Akira Yamada. Foto: Jiro Mochizuki

 

“Queria muito recomeçá-lo e contando com apoio do meu amigo [Noriteru] Fukushima, então cônsul geral do Japão em São Paulo, nos esforçamos para reativar esse programa. Agora, cada vez mais kenshusei vão ao Japão como Gaimusho Kenshusei e para mim é uma grande alegria estar aqui nesta noite. Felicito todos os presentes e todas as pessoas que se empenharam para fazer este livro”, disse o embaixador, afirmando que pretende fortalecer ainda mais as cooperações entre o Japão e a comunidade nipo-brasileira.

Antes de se retirar, o jurista Kiyoshi Harada e a presidente do Bunkyo, Harumi Goya, procederam a entrega do primeiro exemplar ao embaixador Akira Yamada.

 

Harumi Goya, Ângela Hirata, da Japan House, cônsul e Harada. Foto: Jiro Mochizuki

 

Inédito – Também presente na cerimônia, a cônsul adjunto do Japão em São Paulo, Hitomi Sekiguchi destacou se tratar de um momento importante “não só para os ex-bolsistas mas principalmente para o Japão, que por mais de meio século tem convidado os nipo descendentes a conhecerem um pouquinho mais sobre o Japão”. “Como o embaixador lembrou, houve uma interrupção, mas retomamos esta bolsa e hoje está com perfil bastante diferente. Os jovens estagiários que estão indo agora  para o Japão são de diferentes áreas e setores mas todos com o coração e objetivo de estreitar o relacionamento entre os dois países. Não conheço uma obra semelhante em qualquer parte do mundo que nikkeis tenham lançado para falar sobre essa relação”, disse Sekiguchi, afirmando que “ela já é valiosa por si só e ficou ainda mais rica com o depoimento de tantos ilustres ex-bolsistas”.

“Espero que possamos enviar mais e mais estagiários ao Japão para que todos tenham oportunidade de conhecer um pouco mais sobre a história dos 110 anos deste imigração”, finalizou.

 

 

Massami Ueyda: “Uma obra monumental. Foto: Jiro Mochizuki

 

Monumental – O ministro Massami Uyeda também expressou seu agradecimento e admiração ao coordenador pela obra “monumental”. “Trata-se de um marco mesmo para a história da imigração japonesa não só no Brasil, mas na América Latina. Quero deixar meu sentimento de júbilo e penso que é o sentimento que anima todos que aqui estão ao ver que o Dr. Kiyoshi Harada, com seu altruísmo, com seu despreendimento, deixa afazeres profissionais, deixa o conforto de sua família e se preocupa em legar para as futuras gerações este depoimento, estes testemunhos de uma fase da vida de todos nós, dos Kenshuseis que fomos ao Japão e que estamos vendo agora esta retomada patrocinada pelo Ministério dos Negócios Estrangeiros do Japão no sentido de estreitar as relações culturais, as relações atávicas entre o Japão e as comunidades nikkeis da América Latina”.

 

Embaixador Akira Yamada: “Uma grande alegria”. Foto: Jiro Mochizuki

 

Missão cumprida – Para Harada, ficou a sensação de “missão cumprida”. “Com essa obra, registramos tudo aquilo que os Kenshuseis latino-americanos fizeram e vem fazendo ao longo do tempo desde a fundação da associação, em 1995, de maneira que esta obra servirá de registro histórico para as gerações futuras, para que os jovens que nos sucederem possam inspirar-se nesta obra e dar continuidade às suas atividades voltadas para um futuro cada vez melhor”, observou Harada, acrescentando que, “o futuro é promissor”.

 

Kiyoshi Harada: “O futuro é promissor”. Foto: Jiro Mochizuki

 

“Daqui para frente espero que a associação latino-americana só possa fazer coisas melhores, partindo do exemplo que estamos deixando. Estamos plantando uma semente exatamente para que esta associação não esmoreça, ganhe cada vez mais forças e pujança, conquistando, a exemplo do Gaimusho do Brasil, novos valores representados pelos bolsistas mais jovens, já que nós estamos pra lá da curva”, afirmou ele, destacando que “é preciso que outros países latino-americanos sigam o exemplo do Brasil para fazer uma oxigenação em seus quadros sociais”.

 

previous arrow
next arrow
Massami Uyeda com o embaixador Akira Yamada. Foto: Jiro Mochizuki
ArrowArrow
Slider

 

 

 

ALDO SHIGUTI

ALDO SHIGUTI

Redator-chefe
ashiguti@uol.com.br
ALDO SHIGUTI

Últimos posts por ALDO SHIGUTI (exibir todos)

     

     

    Obra deve fortalecer relações entre o Japão e países da AL, diz Harada

     

    Livro marca os 21 anos da Associação Latino-Americana. Foto: Facebook/KiyoshiHarada

     

    Este livro nasceu no 15º Encontro que tivemos em Buenos Aires, em 2016.  Encontro este realizado pela primeira vez sob os auspícios da Associação Latino-Americana de Ex-Bolsistas, que obteve aprovação do estatuto na Assembleia Geral de 2014 na cidade de Santa Cruz de La Sierra, que sediou o XIV Encontro. Também naquele Encontro de Buenos Aires, pela primeira vez contamos com a presença do embaixador do Japão, que participou oficialmente através de seu embaixador, Noriteru Fukushima, proferindo a aula magna versando sobre as relações do Japão com os países latino-americano e Caribe através da comunidade nikkei. Tema esse que viria a ser explorado mais tarde por sete intelectuais japoneses segundo publicação que tivemos acesso recentemente por intermédio do Consulado Geral do Japão em São Paulo.

    Trata-se de uma obra com a participação dos cinco países que integram a Associação Latino-Americana, ou seja, Brasil, Peru, Argentina, México e Bolívia. Conta, portanto, com textos dos cinco autores de cinco países além de mensagens dos embaixadores desses países. Trata-se, sem dúvida alguma, de uma valiosa contribuição que os kenshuseis latino-americanos dão à comunidade nikkei na América Latina.

    O capítulo 1, a cargo do desembargador Jo Tatsumi, destaca o nascimento da ALAExBG, precedido de considerações históricas. O capítulo 2 foi abordado magistralmente pelo ministro Massami Uyeda, realçando a importância da bolsa de estudos concedido pelo governo do Japão no âmbito latino-americano. No capítulo 3, o diretor de Relações Instituicionais da ALAExBG, Renato Yamada, com minha colaboração, faz uma análise da participação dos ex-bolsistas no cenário nacional no âmbito latino-americano.

    O capítulo 4, o mais extenso de todos, retrata toda a vida cultural da associação desde a sua fundação, em fevereiro de 1995 até 2016. Procuramos resumir os anais do encontros anuais – e depois bianuais que aconteceram a partir de novembro. No subcapítulo final, 4.15, nós publicamos, na íntegra, os anais do último Encontro de Buenos Aires. Registra não apenas a parte cultural, apresentada por palestras e debates, como também toda a parte social incluindo a recepção dos congressistas na residência oficial do embaixador Noriteru Fukusshima, ocasião em que ele foi condecorado com o Prêmio Manuel Kawashita, especialmente aprovado pela diretoria da associação latino-americana para essa finalidade. Seguiu-se a condecoração dos fundadores da associação latino-americana, desembargador Jo Tatsumi, o doutor Rodolfo Sakata, do Peru, e uma homenagem post mortem ao fundador Manuel Kawashita. No domingo, dia seguinte, houve um jantar de despedida quando foram homenageados os primeiros ex-bolsistas, os diretores da associação latino-americana, os palestrantes e os presidentes de mesa, além de uma premiação por parte da delegação brasileira à presidente boliviana, Silvia Kushida, com a outorga da Medalha Mario Osassa.

    Enfim, o capítulo 4 contém todas as palestras proferidas ao longo dos 21 anos em sua ordem cronológica, com indicação do local e data para situar o leitor no tempo para que se possa ter uma visão retrospectiva e avaliar o conteúdo daquelas palestras. Pode-se verificar, por leitura desse capitulo 4, que as palestras foram extapolando o âmbito restrito da comunidade à medida que foi-se criando uma massa crítica entre os palestrantes tradicionais desses Encontros, passando a abordar temas internacionais como, por exemplo, formação de blocos econômicos, a  globalização, o Mercosul, o impacto ambiental do século 21, o aquecimento climático e, por fim as relações comerciais do Brasil com a América Latina, que foi o último tema do congresso.

    Sem dúvida alguma o miolo do livro está neste capitulo 4, que representa um acervo cultural extraordinário dos ex-bolsistas latino-americanos que servirão de um registro histórico para a posteridade.

    O Capítulo 5 versa sobre o papel dos Tratados de Amizade, Comércio e Navegação firmados pelo Japão com vários países latino-americanos. A parte introdutória ficou a cargo do Dr. Marcus Onodera e depois representantes de cada país latino-americano  fizeram uma exposição sobre a importância desse tratado, sendo que o Brasil foi representado pelo Dr. Mario Iwamizu.

    No capítulo 6, o livro cuida da comunidade nikkei no âmbito latino-americano. A parte introdutória foi desenvolvida pela bolsista Gabriela Yoshihara, da Argentina, e os demais países foram representados por outros autores, sendo que o Brasil foi representado pelo Dr. [Oscar] Urushibata.

    O capítulo 7 cuida das principais entidades que promovem a difusão da cultura japonesa no âmbito latino-americano. O texto introdutório é de minha autoria e os representantes de outros países escreveram a respeito da comunidade nikkei que divulga a cultura japonesa em seus países. O Brasil foi representando neste capítulo pelo Dr. Kihatiro Kita, que é o diretor tesoureiro da associação latino-americana.

    O capítulo oitavo cuida de assuntos gerais. Compõe-se de três subcapítulos com a inserção do Estatuto da associação, do Regulamento do Prêmio Manuel Kawashita e de sua biografia. O último subcapítulo é dedicado a abordagem da Japan House São Paulo em sua essência como forma de retribuição dos ex-bolsistas latino-americanos ao governo japonês, que vem mantendo a Bolsa de Estudos desde por mais de meio século. Encontramos assim uma forma de manifestar nossa gratidão, a gratidão dos bolsistas latino-americanos para com o governo japonês e essa mensagem se fez por intermédio da abordagem da Japan House em São Paulo, situada na badalada e valorizada Av. Paulista, centro intelectual e financeiro do país ao mesmo tempo.

    Tenho certeza que com o lançamento desta obra haverá um estreitamento cada vez maior entre o Japão e os países latino-americanos mesmo porque mesmo muito do que está neste livro é exatamente aquilo que é expressado pelos sete intelectuais japoneses no sentido de necessidade no relacionamento do Japão com os países latino-americanos haver uma atuação, uma colaboração das comunidades nikkeis.

     

     

     

    Related Post

    HAICAI BRASILEIRO O Jornal Nippak publica aqui os haicais enviados pelos leitores. Haicai é um tipo de poema que se originou no Japão. Seu maior expoente é Matsuo Bashô...
    Bazar Beneficente Osaka Naniwa-Kai A Associação Beneficente dos Provincianos de Osaka Naniwa-kai realiza no dia 02 de abril (domingo), o seu tradicional Bazar Beneficente. ​​ Haverá v...
    BOAS-VINDAS: As 34 principais entidades nipo-brasi... BOAS-VINDAS – As 34 principais entidades nipo-brasileiras, lideradas pelo Bunkyo (Sociedade Brasileira de Cultura Japonesa e de Assistência Social), E...
    AGRICULTURA: Prêmio Kiyoshi Yamamoto homenageia Má... A Comissão Organizadora do Prêmio Kiyoshi Yamamoto realizou, no último dia 11, no Salão Nobre do Bunkyo (Sociedade Brasileira de Culktura Japonesa e d...

    Faça seu comentário

    O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *