BEM ESTAR: Colocando em Prática

Somos presunçosos ou somos desleixados?

Temos muito a resolver, mas nada fazemos.

Apenas esperamos , talvez o tempo apague e caia no esquecimento.

Principalmente o homem não é capaz de marcar uma consulta médica, se não for pela esposa que zela pela saúde do marido, se depender dele jamais faria.

Assim temos muitas pendências na vida que precisam ser resolvido, colocar em prática para eliminação ou colocar os pingos nos is de muitos desajustes e ou conflitos.

Fazemos longa caminhada para resolver esses problemas.

Buscamos compartilhamento, compaixão, buscamos aliados para fortalecer e fazer com que outros trabalhem ou faça por você o trabalho para que as coisas fluam como desejamos.

Principalmente no caso de relacionamentos com pessoas.

Rotulamos o nosso adversário, criamos falso testemunho, para buscar apoio, espalhamos para que todos virem contra, ou que chegue ao conhecimento por vias indiretas. Tive uma paciente com problemas sérios de relacionamentos.

Uma delas estava em relação ao pai, ela filha única.

Culpa o pai pelo que ela é hoje, uma mulher bonita de 4.0, em total desespero.

Desta feita o relacionamento era conturbado, só  troca de farpas, vitimizando pelos acontecimentos e dos insucessos na vida. Chegou o momento do reencontro.

Os pais moram em outro estado e há muito não se viam.

Estava em total insegurança, antevendo o insucesso nesse encontro, faltavam uns três a quatro dias.

Pedi que fizesse uma reflexão desde quando criança, o que vier na memória entre ela e o pai e pedi que descrevesse como que estivesse escrevendo uma carta, conversando com Deus, testemunho de toda a verdade guardados dentro do coração dela.

Onde havia que pedir perdão, pediu, jurou que jamais repetiria, e fez a re-significação desta cena, como que quisesse que fosse após a reflexão. Assim foi, deu sete páginas.

No término só sentiu amor e gratidão ao pai e total aceitação, de alma lavada.

A viagem foi fantástica, os três dias passados foram mágicos, ficou o tempo todo juntos sem brigas, só de amor, gratidão e compreensão.

Os pais não mais reconheceram aquela menina rebelde, incompreensiva, intempestiva, cheia de ódio, rancor, mágoa, agora transformada em menina doce e carinhosa.

Despediram-se com naturalidade de todas as separações, com total compreensão e aceitação e sentindo pelo que os pais estavam passando pelos momentos difíceis.

Esta carta foi trazida após a viagem dela, que fez esse relato.

Fizemos a oração de perdão antes de incinerarmos a carta, para que tudo vire cinzas e prevaleça as imagens re-significadas.

Agora ela tem vários desafios pela frente, dessa natureza, que precisa por em prática, para que possa fazer a correções dos desvios tido com relação às pessoas de seu relacionamento.

Assim é a vida, quando enfrentamos com coisas guardados dentro de nós, podemos tira-los e consertar em vida, tornar a vida leve, sem arrependimentos e limpos de coração.

Vamos tentar, você também, posso te ajudar ?

 

TAKEO WATANABE

TAKEO WATANABE

Terapeuta Holístico / Seu Mentor
Tratamento personalizado sob medida - corpo - mente - espírito.
Saúde, Alegria, Felicidade, prosperidade, a seu alcance.

Espaço Luz Violeta
Av. Jabaquara, 2940 – salas 82-83 (Prox. Metrô S.Judas)
Tel.: (11) 2275-7787 - 99917-8281- 96447-9087
Mail: reuniaocommentores@gmail.com
TAKEO WATANABE

Últimos posts por TAKEO WATANABE (exibir todos)

     

     

     

    Related Post

    SHIGUEYUKI YOSHIKUMI: Réquiem ao Dr. Toshio Igaras...   A antropóloga americana Ruth Benedict estudou profundamente o povo japonês. Dentre as qualidades que mais lhe chamou a atenção foi o On – se...
    JORGE NAGAO: POETAS CIBORGUES POETAS CIBORGUES O organizador de Hiperconexões 2 O LuiZcritor Bras é um cara que não só vive no mundo da lua como viaja frequentemente  por to...
    ERIKA TAMURA: Míssil norte coreano Estou de volta ao Japão, depois de uns dias no Reino Unido. Confesso que, estava com medo do retorno ao Japão. Ao mesmo tempo em que para mim, ...
    SILVIO SANO > NIPÔNICA: Serviços Públicos   Por esses dias, uma cena e uma data fizeram com que retomasse esta Nipônica nos moldes originais, ou seja, fazendo reflexões sobre compo...

    Faça seu comentário

    O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *