BEM ESTAR: FELIZ DIA DAS MÃES!

Crédito de imagem: http://photojournal.jpl.nasa.gov/jpeg/PIA00123.jpg

Dia 11 de maio, domingo, comemoramos o Dia das Mães.  E hoje, quero falar sobre nossa Mãe Maior, a nossa Mãe Natureza.

Nós, que vivemos nos grandes centros, com tudo à mão, temos a tendência a deixar de nos apercebermos o milagre que é, por exemplo, a água, saindo de nossas torneiras.

A praticidade nos vela o olhar, e, de algum modo, passa a ser um ‘fenômeno natural’ o fato de a água sair, potável, bastando para isso, que abramos o registro ou uma torneira.

Me aflige a situação da cidade de São Paulo, com nossa endêmica falta d’água.  Infantilizados que estamos, nos debatemos e discutimos os fatores políticos que contribuíram para o desenrolar pouco favorável da história.

Não havendo água para a cidade, tudo simplesmente paralisar-se-ia.  E, como já temos tido exemplos em nosso passado histórico, nos restaria apenas abandonar a cidade em busca de outro local onde o viver se fizesse possível.

A Mãe Natureza, tão abundante em alguns momentos, poderia tornar-se tacanha, terra rachada de onde nada se faria cultivar.

A solução depende em muito de nossa capacidade de enxergar a nossa Mãe Natureza como um todo Orgânico, belo e funcional.  Ainda a nossa “cabeça pequena” ou nosso arrogante intelecto nos impede de irmos além da visão de nossos próprios umbigos.

Porém, sinto pulsar na humanidade a busca por um caminho mais abrangente e inclusivo.  Vejo isto quando se patenteia na vontade que posso presenciar nas pessoas, de quererem estar mais próximas à natureza, ou em busca de uma compreensão mais abrangente do Universo promovidas por práticas como a da Meditação.

Comecemos, assim, do pequeno, do micro.  Comecemos com algo que nos é próximo e familiar, como por exemplo, a água.

E veremos que daí desdobram-se infinitas possibilidades de aprofundamento e de compreensão da grande Mãe Natureza, e do papel que devemos cumprir neste macro cenário de vida.

Fica como inspiração o vídeo An Ode To Earth – Baba Yetu (“Pai Nosso.”)

 

 

 

Helena Tiemi Honda Kobayashi

Sócia e colaboradora da Associação Palas Athena, é instrutora de yoga, atenção e concentração nas práticas meditativas. Tem doutorado e mestrado pela Yokohama National University, tendo completado 15 anos de vivência no Japão.

 

 

 

 

 

 

 

Redação

Redação

nippak@nippak.com.br
Redação

Últimos posts por Redação (exibir todos)

Related Post

SHIGUEYUKI YOSHIKUNI: Padrinho de Casamento   Neste feriado, tive a alegria de receber a visita de dois colegas da faculdade de jornalismo. Desde a formatura que não nos víamos. Trocamos...
SILVIO SANO > NIPÔNICA: O “pomar” nosso de cada di...   Estranhando as aspas em “pomar”, no título? Pois é. Culpa dessas manifestações que têm infernizado nossas vidas, apesar da contribuição e...
SHIGUEYUKI YOSHIKUNI: O Natal mudou ou mudei eu ?   Esse foi o segundo Natal que passei sozinho. Para m im, foi como outro dia qualquer. Não me senti nem um pouco melancólico nem falta da ceia...
JORGE NAGAO: Consciência Negra   Minha mãe foi pro Céu no mesmo dia da abolição da escravatura e meu pai, no dia da consciência negra. Estas coincidências, de alguma forma, ...

Faça seu comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *