JAPAN HOUSE SP: Depois de receber autoridades, Japan House São Paulo abre suas portas para o público neste sábado

Depois de muita expectativa, com direito a intervenção artística do japonês Makoto Azuma, que coloriu as ruas da cidade com suas bikes floridas, a Japan House São Paulo, enfim, foi inaugurada oficialmente no último dia 30 de maio para convidados e autoridades dos dois países. O público poderá ter acesso à Casa a partir deste sábado (6). No domingo (7), para celebrar a inauguração em grande estilo, o Auditório Ibirapuera recebe um espetáculo gratuito com dois grandes artistas japoneses. O primeiro a subir no palco é o compositor Jun Miyake, que convida também Kyoko Katsunuma, Lisa Papineau, Bruno Capinan, integrantes do Vozes Búlgaras e um quarteto de cordas formado por músicos da Orquestra Sinfônica do Estado de São Paulo (Osesp).

 

De olho no futuro, Japan House SP busca novos modelos de intercâmbios. Foto: Jiro Mochizuki

 

Na segunda parte do show, é a vez de Ryuichi Sakamoto se apresentar. Trazendo a integração entre Japão e Brasil, o músico promove uma homenagem a Tom Jobim, ao lado de Jaques Morelenbaum e Paula Morelenbaum, com o Projeto Casa. Na segunda, 8, a apresentação será restrita para convidados.

A cerimônia de inauguração da “casa mais aguardada” dos últimos meses contou com a presença do presidente Michel Temer (PMDB); do governador de São Paulo, Geraldo Alckmin (PSDB); do prefeito João Doria (PSDB); do embaixador Rubens Ricupero , presidente honorário da Japan House São Paulo; do ministro das Relações Exteriores do Brasil, Aloysio Nunes Ferreira e do ministro da Cultura, Roberto Freire, entre outros.

O vice-primeiro-ministro Taro Aso; o vice-ministro dos Negócios Estrangeiros, Kentaro Sonoura, o embaixador do Japão no Brasil, Satoru Satoh e o cônsul geral do Japão em São Paulo, Takahiro Nakamae representaram o governo japonês.

 

Cerimônia recebeu autoridades das esferas municipal, estadual e federal, além do vice-ministro Taro Aso. Foto: Jiro Mochizuki

 

O arquiteto japonês Kengo Kuma, que assina o projeto da Japan House São Paulo, e o designer e produtor executivo Kenya Hara, responsável pelas Japan House em todo o mundo – além de São Paulo, Los Angeles e Londres também foram selecionadas pelo governo japonês para receber as primeiras instalações no mundo – além de lideranças da comunidade nipo-brasileira como a presente do Bunkyo – Sociedade Brasileira de Cultura Japonesa e de Assistêncioa Social – Harumi Goya; o presidente do Kenren (Federação das Associações de Províncias do Japão no Brasil), Yasuo Yamada; o diretor da Comissão dos 110 Anos da Imigração Japonesa no Brasil, Yoshiharu Kikuchi; e políticos nikkeis como os deputados federais Walter Ihoshi (PSD-SP), Keiko Ota (PSB-SP), Luiz Nishimori (PR-PR), Hidekazu Takayama (PSC-PR); o deputado estadual Jooji Hato e os vereadores Aurélio Nomura (PSDB), George Hato (PMDB) e Ota (PSB), também prestigiaram a inauguração.

 

O curador Marcello Dantas apresenta a exposição para Taro Aso. Foto: Jiro Mochizuki

 

Iniciativa global do governo japonês que pretende trazer a São Paulo um novo olhar sobre o Japão contemporâneo, a Japan House São Paulo é a primeira unidade a abrir suas portas.

 

Taro Aso conversa com Kengo Kuma e Kenya Hara. Foto: Jiro Mochizuki

 

Salva de palmas – Em seu discurso, o prefeito de São Paulo, João Doria destacou a importante contribuição da presença japonesa em São Paulo. “A história que nos une, há mais de 100 anos, estabelece uma relação onde a comunidade japonesa que para o nosso país emigrou, ajudou a construir a maior cidade do país, a terceira maior capital do mundo”.

Segundo Doria, “valores humanos unem estes dois povos”. “Os japoneses e o brasileiros que aqui estão nessa cidade tem a sua índole e seu princípio fundamentados na disciplina, no tabalho, no respeito à família e no respeito também às boas tradições”, disse o prefeito, que ao finalizar sua fala pediu uma “calorosa salva de palmas aos filhos, netos e bisnetos, aos que já se foram  e aos que contribuíram com a nossa cidade”.

Ao Jornal Nippak, Doria disse que são “muitos” os benefícios que a casa trará para a cidade. “No plano cultural, em primeiro lugar, porque é uma casa de cultura, mas também no plano econômico porque vai promover diversos seminários de intervenção econômica entre o Brasil e o Japão. Nós mesmos temos uma missão em outubro, que irá a Tóquio e a Osaka para incrementar as relações econômicas e principalmente, atrair novos investimentos para a cidade de São Paulo”, revelou Doria à pergunta feita pelo Jornal Nippak.

 

Investimentos – Já o governador Geraldo Alckmin, que destacou “a reforma trabalhista” aprovada na Câmara dos Deputados – “saímos de um modelo estatutário, de cima para baixo, para um modelo melhor de tratar as relações contratuais e questões do emprego no momento atual do mundo” – lembrou ao vice-ministro japonês, que morou em São Paulo – “portanto, está em sua casa” –  a importância dos investimentos japoneses no Estado de São Paulo. Como exemplo, citou a Toyota, com a nova fábrica de carros em Sorocaba, e de motores, em Porto Feliz.

Alckmin agradeceu também a “boa parceria” com a JBIC, “que financia as obras de saneamento  básico na região metropolitana”. E conclui afirmando que a Japan House São Paulo “representa bem a cultura japonesa com sua tradição e seu olhar no presente e no futuro”. “Reitero meu agradecimento dizendo que o Japão nos enviou o que há de mais precioso, os seus filhos para o Brasil, e em especial para São Paulo”.

 

Intercâmbios – Já o vice-ministro japonês ressaltou a missão que espera  da Japan House. “Nós queremos que as pessoas saibam as atividades ricas e divesificadas do Japão, que não sejam os estereótipos. Queremos também criar um fluxo de novos intercâmbios vibrantes a partir de pessoas que ainda não conhecem o Japão”.

Segundo ele, o governo japonês está preparando projetos semelhantes em outras capitais do mundo, “ mas o fato de que a primeira Japan House se inaugurou na cidade de São  Paulo é um motivo de alegria especial para mim, como presidente da Liga Parlamentar Brasil-Japão”, disse Aso, destacando que São Paulo “é o maior centro da Amércia Latina do ponto de vista econômico e cultural e possui a maior comunidade nikkei do mundo”. “Portanto,  tenho certeza que São Paulo é a melhor e a mais ideal que qualquer outra cidade como centro e  polo informal do Japão, não apenas para o Brasil mas também para toda a América Latina”.

O vice-ministro japonês destacou ainda que é desejo da Japan House servir de plataforma para impulsionar novos negócios e também que os dois países trabalhem em conjunto para superar os desafios comuns que existem no mundo. Ou seja, a Japan House, conta, “pretende aumentar e multiplicar os círculos que unem o Brasil e o Japão”.

“Esse é o futuro que a Japão House procura. Acredito que vai demorar algum tempo para ser alcançado, porém, é nosso desejo que a partir de hoje, Brasil e Japão consigam trabalhar de mãos dadas e juntos desenhem  o futuro que a Japan House procura. Por fim, desejo que os novos talentos brotem por aqui e futuramente decolem para o mundo a partir da Japan House”, concluiu Taro Aso.

 

O presidente Michel Temer, Ângela Hirata e Taro Aso. Foto: Jiro Mochizuki

 

Delicadeza – Já o presidente Michel Temer lembrou que “a presença de autoridades municipal, estadual e autoridades federais significa que, embora a Casa do Japão esteja sediada na capital São Paulo, na verdade é o Brasil todo que homenageia sua presença e também a comunidade japonesa de São Paulo”.

“Por isso digo que é uma alegria participar da inauguração da primeira Casa do Japão do mundo. Nós tivemos essa honraria extraordinária e, portanto, esse espaço alia a beleza e a cultura do Japão e os laços humanos afetivos e de amizade que unem o nosso país ao estado japonês”, disse Temer. “Aliás, vice-primeiro-ministro japonês, a cultura japonesa, a organização japonesa, a cerimônia japonesa é uma coisa que  encanta a todos nós. Há gestos mínimos que revelam essa delicadeza institucional do povo e dos governantes japoneses”, disse o presidente, recordando uma passagem que teve durante sua visita ao país nipônico no final do ano passado.

 

Instalação em São Paulo é a primeira a ser inaugurada. Foto: divulgação

 

Imperador – “Estando no Japão e sendo gentilmente recebido pelo primeiro-ministro Shinzo Abe, logo depois fui recebido pelo imperador, que delicadamente me concedeu meia hora de audiência. Assim como tive oportunidade de estar com Vossa Excelência nesse encontro em Tóquio. Mas o que mais me chamou a atenção, além da recepção institucional extraordinária, foi o gesto praticado durante minha audiência com o senhor imperador. Tínhamos 30 minutos de audiência e ao invés de alguém chegar no 29º minuto e bater na nossas costas, vi que tinha uma pessoa muito elegante ali no fundo enquanto conversávamos eu e o imperador. Quando deu 29 minutos ele levantou-se e fez uma reverência a indicar que audiência estava terminada. Conto essa experiência para relevar que nós temos muito a aprender com a cultura japonesa e com isto, que esta Casa do Japão certa e seguramente será divulgadora destes dados extraordinários do Japão”, explicou Temer lembrando que transmitiu ao senhor vice-primeiro-ministro as reformas  fundamentais que nós estamos fazendo no estado brasileiro, dentre elas a trabalhista”.

Reformas, que, segundo Temer, “gera, no primeiro momento, naturalmente, incompreensões, objeções e contestações, mas que são típicas da democracia plena que nós vivemos no nosso país. As instituições aqui, senhor vice-ministro, funcionam com toda regularidade – o Judiciário, o Executivo e o Legislativo –  e o brasileiro  é naturalmente um povo otimista, um povo que não tem pessimismo em nenhum instante. É por isso que nós dizemos aconteça o que aconteça, haja protesto não haja protesto, o Brasil continua e continuará a trabalhar”, disse o presidente, mandando uma “mensagem” para os investidores brasileiros “e naturalmente para os investidores japoneses, que, como bem mencionou o governador Geraldo Alckmin, já vem aplicando em nosso país, para dar tranquilidade e segurança que nós estamos desobstruindo o caminho da economia para alcançar a tranquilidade e especialmente, eliminar o desemprego que aflige a todos nesse momento”, disse Temer , afirmando que “tenho a certeza de que a Casa do Japão, no coração econômico e financeiro do Brasil, aproximará ainda mais brasileiros e japoneses, seja pela difusão da cultura seja pelo estímulo de novos negócios”.

 

ALDO SHIGUTI

ALDO SHIGUTI

Redator-chefe
ashiguti@uol.com.br
ALDO SHIGUTI

Últimos posts por ALDO SHIGUTI (exibir todos)

    Related Post

    SAÚDE: TREINAMENTO DO HOSPITAL NIPO-BRASILEIRO COM... O Dia Mundial da Sepse foi lembrado no dia 13 de setembro. Para marcar essa data, o Hospital Nipo-Brasileiro (HNB) promoveu o Treinamento Instituciona...
    TÊNIS DE MESA: 66ª edição do Intercolonial deve re... Neste fim de semana (de 22 a 24), a cidade de Maringá (PR) vai se transformar na capital nacional do tênis de mesa com a realização da 66ª edição do C...
    KARAOKÊ: Elzo Sigueta é reeleito presidente da Uni... Em Assembleia Geral Ordinária realizada no último dia 9, no auditório da Sociedade Civil Hiroshima Kenjinkai do Brasil, no bairro da Liberdade, em São...
    IMIGRAÇÃO: Iguape comemora Centenário da Colonizaç...   A Comissão Organizadora para os Festejos do Centenário da Colonização Japonesa em Registro, Sete Barras e Iguape realizou no último dia 9, n...

    Faça seu comentário

    O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *