CAMINHADA: Naguisa no Pico do Urubu

A Associação Naguisa, através do seu grupo do Programa Arukokai Naguisa, realizou, no último dia 19, uma caminhada até o Pico do Urubu, ponto culminante da Serra do Itapety, situado na cidade de Mogi das Cruzes. Com cerca de 1170 m de altitude, local é bastante utilizado para prática esportes radicais, como o paraglider, há muitos ciclistas subindo, além de praticantes de camping e muita gente subindo de carro, para apreciar a paisagem do seu mirante, podendo-se avistar toda a cidade de Mogi das Cruzes.

 

Início da subida ao Pico do Urubu, no asfalto. Foto: Jorge Mori

 

Início da caminhada, em frente à Estação Mogi das Cruzes. Foto: Jorge Mori

 

Durante a semana, como foi o caso do pessoal da Naguisa, há um movimento de veículos de manutenção da torre de comunicação que fica no cume. A saída para a caminhada teve início na estação Saúde do Metrô, às 6 horas da manhã, ponto de encontro do Grupo, de 12 pessoas. Da estação Saúde, foi feita uma baldeção na estação da Luz com o trem da CPTM que levou o pessoal até Mogi das Cruzes. E da estação de Mogi das Cruzes, iniciou-se a caminhada propriamente, atravessando a cidade até o início da subida ao Pico do Urubu e partir daí, uma subida constante até o cume, através da estrada em meio a muitas sombras.

 

Uma paradinha embaixo da placa apontando o sentido para o Pico. De esq/dir: Júlia, Mieko, Emy, Teruko, Yagui, Zuleica, Terezinha, Tereza, Lúcia, Isaura e Neusa.. Foto: Jorge Mori

 

Uma parada para o bentô à sombra da pedra toda pichada. Foto: Jorge Mori

 

De acordo com Jorge Mori, “apesar do grupo não ter tido ou notado qualquer problema, há notícias sobre a falta de segurança em alguns pontos da subida”. “Nota-se um visível abandono e falta de conservação, além de muita sujeira deixada pelos visitantes durante todo o trajeto: papéis de embalagens, sacos plásticos, latas de refrigerantes e cervejas etc, além de pixações, principalmente nas pedras do cume”, assinalam os participantes.

 

Volta: Na descida todo santo ajuda, mas tomando cuidado com os
joelhos. Foto: Jorge Mori

 

 

Uma paradinha num bar, já na cidade de Mogi. Foto: Jorge Mori

 

O percurso total percorrido foi de 14 quilômetros, chegando-se às 18h na Estação Saúde, isto é 12 horas após a partida na mesma estação. Custo da caminhada: zero, em transportes, para quem tem acima de 60 anos. E a certeza que a caminhada valeu a pena.

 

Foto: Jorge Mori

Related Post

COMUNIDADE: Livro deve marcar uma nova etapa do Bu... O Bunkyo (Sociedade Brasileira de Cultura Japonesa e de Assistência Social) lança, no próximo dia 17 (quinta-feira), a partir das 19 horas, no Museu H...
XADREZ: Alunos da rede municipal participam dos Jo... Começou nesta terça-feira (21) um dos maiores campeonatos de Xadrez Escolar do país. São os Jogos Estudantis de Xadrez por Equipe 2013. Mais de 6,...
COMUNIDADE: Em seu segundo mandato, Bruno Omori co... O presidente da ABIH-SP – Associação Brasileira da Indústria de Hotéis do Estado de São Paulo –, Bruno Omori, não tem o que reclamar de 2014. O ano, p...
JAPÃO: Aumenta o número de brasileiros em Fukui po... FUKUI (IPC Digital) -  O governo da província de Fukui anunciou o número de residentes estrangeiros em 18 deste mês. Depois de 9 anos é a primeira vez...

Faça seu comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *