CAMPO GRANDE: Mostra de Cinema Japonês do MIS celebra a Semana da Cultura Nipônica

A Fundação de Cultura do Governo de Mato Grosso do Sul, por meio do Museu da Imagem e do Som (MIS), abre no dia 11 junho (segunda-feira) a Mostra de Cinema Japonês do projeto CineMIS. Serão exibidos cinco filmes ao longo da semana, às 19 horas, sempre com entrada franca.

 

Amor e Honra, de Yoji Yamada (divulgação)

 

O CineMIS sediará a Mostra de Cinema Japonês em parceria com a Associação Esportiva e Cultural Nipo-Brasileira de Campo Grande (AECNB). Serão apresentadas produções premiadas e contemporâneas, realizadas a partir de 2002, com temas diversos e abrangentes.

O curador da mostra, Jean Albernaz, explica que a escolha destes filmes buscou apresentar diretores importantes da cinematografia japonesa, porém fugindo de escolhas óbvias. “Ocorre que vários diretores, como Akira Kurosawa, podem ser encontrados facilmente em videolocadoras e grande parte do público já os conhece. Os filmes e os diretores selecionados para a mostra, apesar de terem seus talentos reconhecidos pela crítica especializada e vários de seus filmes estarem disponibilizados em DVDs no mercado internacional, como Koreeda, Yamada e Miike, muitas vezes são desconhecidos por grande parte dos fãs do cinema japonês”, explica.

Algumas questões estéticas, éticas e históricas do cinema japonês poderão ser percebidas durante a mostra, como o fato daquele ter se inspirado inicialmente em artes “apresentacionais” – como o Butô e o Kabuki – demonstrando não só a origem da sétima arte japonesa, como também os rumos e percursos próprios, diferentes do cinema ocidental, que por sua vez teve sua origem e percursos baseados em artes “representacionais”.

Outra questão fundamental, segundo o curador, é a riqueza multifacetada dos filmes selecionados que, assim como diversos outros da cinematografia japonesa, circunscrevem-se em uma vanguarda por não diferenciarem arte de mercado, com formalismo e rigor na composição visual, sendo de difícil classificação em gêneros específicos, tendo em vista que abordam em seu conteúdo temas e tons diversos, com recursos de linguagem que vão da leveza e do humor dos romances e das comédias aos absurdos e dramas do terror e do grotesco, muitas vezes em um único filme.

 

Palestra – Para discorrer sobre estes pontos, esclarecer dúvidas e prestar maiores informações sobre o cinema japonês, Jean Albernaz, que também foi curador da primeira Mostra de Cinema Japonês, realizada no MIS em 2008 celebrando Centenário da Imigração Japonesa no Brasil, proferirá palestra no dia 20 de junho, às 14 horas, no próprio MIS, dentro do projeto Cultura em Situação, objetivando contextualizar aspectos artísticos e históricos desta importante e cultuada cinematografia.

A Mostra de Cinema Japonês antecede, inicia e divulga a comemoração da Semana da Cultura Japonesa em Mato Grosso do Sul, que contará com diversas atividades culturais e é organizada pela AECNB, com o apoio da Fundação de Cultura e de diversas outras instituições.

“Como todos sabem, a cultura japonesa é notoriamente marcante e presente no Estado, permeando hoje nossos costumes, culinárias e identidades, indo além das fronteiras entre descendentes e não descendentes. Assim, a Mostra de Cinema Japonês é de extrema importância para Mato Grosso do Sul, uma vez que democratiza o acesso às produções audiovisuais japonesas e promove o debate e a reflexão do País e do mundo, contribuindo com a formação e a difusão de conhecimento e cultura no Estado de forma antenada à contemporaneidade”, explica o presidente da Fundação de Cultura, Américo Calheiros.

 

Cena de O Gosto do Chá, de Katsuhito Ishii (divulgação)

 

Confira a programação:

 

11 de junho (segunda)

O Gosto do Chá (Cha no Aji – 2004)

Direção: Katsuhito Ishii

Duração: 143 min.

Sinopse: Uma visão nada comum sobre uma família japonesa vivendo em uma pequena cidade ao norte de Tóquio. A mãe tenta retomar a carreira de animadora de desenhos, o pai é um terapeuta especializado em cura por hipnose e a filha mais nova é seguida por uma versão gigante de si mesma ocasionalmente. Brincando com o absurdo, Katsuhito (que foi o responsável pela intromissão em anime de Kill Bill Vol. 1) mostra como o estranho pode ser belo e singelo.

Prêmios: Fant-Asia 2005 – Melhor Filme; Entrevues Film Festival 2004 – Prêmio do Público – Grande Prêmio do Júri.

 

12 de junho (terça)

Fish Story (Fishuu Sutori – 2009)

Direção: Yoshihiro Nakamura

Duração: 112 min.

Sinopse – No ano de 2012 a única coisa que separa a terra da colisão com um enorme cometa e a salvação é uma canção obscura gravada por uma banda de rock 37 anos atrás. Metalinguística e cultura pop temperadas com uma influência cáustica de Charlie Kaufman (adaptação) transformam esta premissa inusitada em um filme bem-humorado, que desafia classificações.

Prêmios: Indicação Asian Film Award – Melhor Compositor.

 

13 de junho (quarta)

13 Assassinos (Jusan-nin no Shikaku – 2010)

Direção: Takashi Miike

Duração: 141 min.

Sinopse – 13 homens em uma missão suicida para assassinar um senhor feudal japonês. Ao refilmar o clássico do diretor Eiji Kudo, de 1963, Takashi Miike alcançou a maturidade e realizou a sua obra-prima, sem deixar de lado o nihilismo que marca todos seus filmes.

Prêmios: Academia Japonesa 2011 – direção de arte – Direção de fotografia – Melhor luz – Melhor som; Festival de Veneza 2010 – Menção Honrosa – Indicado ao Leão de Ouro.

 

14 de junho (quinta)

Air Doll (Kuki Ningyo – 2009)

Direção: Hirokazu Koreeda

Duração: 125 min

Sinopse: Com a história de uma boneca inflável que ganha vida, Koreeda, um dos mais aclamados diretores da sua geração, cria uma metáfora encantadora sobre o vazio da vida moderna.

Prêmios: Acadêmia Japonesa – Indicado à melhor atriz; Festival Internacional de Chicago – Indicado a Melhor Filme.

 

15 de junho (sexta)

Amor e Honra (Bushi no Ichibun – 2006)

Direção: Yoji Yamada

Duração: 121 min.

Sinopse: O sacrifício de uma esposa pela honra do seu marido, um samurai cego, se torna uma crítica sutil sobre a posição da mulher no Japão feudal no último filme da “Trilogia Samurai” de Yoji Yamada.

Prêmios: Academia Japonesa 2007 – Melhor Fotografia – Melhor Luz – Melhor Ator Coadjuvante; Asian Film Awards 2007 – Melhor Filme.

 

Serviço:

A Mostra de Cinema Japonês acontece de 11 a 15 de junho, sempre às 19 horas, no Museu da Imagem e do Som, que fica no Memorial da Cultura, na avenida Fernando Correa da Costa, 559, 3º andar, Centro.

 

A Palestra sobre Cinema Japonês com Jean Albernaz acontece dia 20 (quarta-feira), às 14 horas, na Sala Idara Duncan do MIS. Outras Informações pelo email: mis@fcms.ms.gov.br e pelo telefone 3316-9178.

 

Fonte: FCMS/ Marcio Breda

 

 

Redação

Redação

nippak@nippak.com.br
Redação

Últimos posts por Redação (exibir todos)

Related Post

SALTO: Tenor Kohdo Tanaka faz recital no dia 31 O tenor Kohdo Tanaka estará acompanhado de sua esposa, Hiroko (Foto: divulgação) O  consagrado tenor  Kohdo Tanaka e seus convidados apresentarão ...
SHIGUEYUKI YOSHIKUNI: JAPÃO, 70 ANOS: ESQUECEMOS A...   A Revista Piauí, de fevereiro, traz um ampla reportagem a respeito do evento, sob o título “Sexo depois da guerra”, na Alemanha, Itália,...
RIO DE JANEIRO: Cultura japonesa é destaque em Val... A cultura japonesa será a principal atração de Valença no dia 19 de novembro, com a realização do 9º Festival da Cultura Japonesa na cidade fluminense...
ASSAÍ-PR: Castelo Japonês começa receber estrutura... Castelo de Assaí (foto: Prefeitura do Município de Assaí)   A cidade de Assaí-PR (a 43Km de Londrina) abrigará o primeiro castelo japonês ...

Faça seu comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *