CANTO DO BACURI > Francisco Handa: Uma procura vã | A figueira

canto-do-bacuri-chico

Uma procura vã

Encontrar a palavra certa

Na incerteza dessa vida

Na intermitência de um caminhar

Descompassado

É garimpar fútil.

Se assim for nenhuma palavra é possível

Nenhuma prosa é verdadeira.

O pensamento é exercício

Matemático das possibilidades

Longe disso

Longe da verdade.

Toda palavra pensada

É engodo.

A palavra salta então

De uma necessidade fisiológica

Desta lógica corpórea

Em forma de grunhido

Uma pontada abdominal

Esticando os vasos sanguíneos.

O poema é necessidade

Da palavra dita

Sem serpentinas

Um carro alegórico

Dos carnavais passados.

O poema é voz dos esquecidos

Cuja palavra

Não a dos filósofos

 Diz algo de verdadeiro.

A palavra é criação

Do momento que significa

Deixa de significar

No momento seguinte.

 

 


 

 

A figueira

Sedento de sede

Uma figueira descoberta

No caminho que andava.

Nenhum fruto encontrado

Nem pequena

Nem grande.

A fruta desejada

Acalentada no momento

Não se encontra

O desejo não satisfeito.

A figueira amaldiçoada

Sem fruto

Sem nada

Seca neste momento.

 

FRANCISCO HANDA

FRANCISCO HANDA

chicohanda@yahoo.com.br
FRANCISCO HANDA

Últimos posts por FRANCISCO HANDA (exibir todos)

     

     

    Related Post

    CANTO DO BACURI: O sacrifício do outro | O jogo da... O sacrifício do outro Os deuses antigos exigiam Sacrifícios Um deles achou-se melhor Pediu em sacrifício Todos os outros Quem cultuasse um outro...
    AKIRA SAITO: GANBARIMASHOU!!!!! “Que este conceito ajude as pessoas a alcançar seus objetivos e melhore tudo coletivamente”     Agradeço a todos os amigos que es...
    JORGE NAGAO: Charles Chibana, Show!   O avô Kohan praticava karatê mas obrigou os netos a aprender judô pois apreciava a filosofia desse esporte. Criado pelo japonês Jigoro K...
    JORGE NAGAO: Novelha, Carnavalério e Painho NOVELHA     Era uma vez uma velha biblioteca no centro velho, onde a velhice era visível. O diretor era velho, a faxineira era ve...

    Faça seu comentário

    O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *