CANTO DO BACURI > Francisco Handa: A busca da salvação | As recordações | O mar que morre | Entardecer em outono

canto-do-bacuri-chico

 

A busca da salvação

Pelas ruas

Os pregadores como nunca

Bradam em altas vozes

Palavras de salvação.

Alguns pedem dinheiro

Alguns a condenação dos

Descrentes.

Quem salvará

Os pregadores que berram

Palavras de conciliação

Palavras que não entram

Em seus ouvidos

A quem pregam então

Senão

A si mesmos.

 

 


 

 

As recordações

Se a lembrança chegar

Deixo passar

Não me importa se as más

Se as boas

A minha vida toda

Não passou senão

De lembranças.

 

 


 

 

O mar que morre

Quando a maré alta

Chega

As pernas da ave

Pernalta

Molham a areia.

Branca ave que morre

Nas quebradas das ondas.

 

 


 

 

Entardecer em outono

Outono vai morrendo

No fundo

Mais profundo do poço

Em que nenhuma luz

Consegue entrar

Os medos habitam

Este lugar

As mágoas de outrora

Também

Os ratos de esgoto gordos

Estão

Alimentando-se da noite

A roer insistentemente

Os alicerces de palafita

Que sustentam meus sonhos.

Outono em meus sonhos

A cor do céu rubro

A deixar cair

Uma poeira cristalina

Nos olhos que sangram

O céu de meus sonhos.

Outono

A saudade da mãe

Cuja face endurecida

A cera derretida

Deixou de sorrir.

Outono tão profundo

Sem nada esconder.

 

 

FRANCISCO HANDA

FRANCISCO HANDA

chicohanda@yahoo.com.br
FRANCISCO HANDA

Últimos posts por FRANCISCO HANDA (exibir todos)

    Related Post

    AKIRA SAITO: DOUTRINA DO BEM “Se não se preservam os conceitos que definem o certo do errado, certamente está se plantando um futuro de caos”   Com a modernidade, novas f...
    SILVIO SANO > NIPÔNICA: NO “BALANÇO” DA COPA…...     Ao final de qualquer evento de interesse público, independentemente do porte, de modo geral sempre é feito um balanço pelos or...
    AKIRA SAITO: VALORES DO QUE É CERTO “O Câncer da sociedade como um todo, é a conveniência das pessoas em se colocar em um patamar onde o ato errado pode ser considerado certo”   ...
    CANTO DO BACURI > Mari Satake: Fragmentos     Fragmentos   Filha de imigrantes. Os pais vieram para cá muito jovens ainda. Vieram sem filhos acreditando que nos primei...

    Faça seu comentário

    O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *