CANTO DO BACURI > Francisco Handa: Surfista das tormentas vividas | Na passagem do ano | Dragão envelhecido

 

 

Surfista das tormentas vividas

 

Cada vez mais passageiro

de passagem se torna o tempo

sem que possamos deter

por um instante sequer

as rugas alongando-se

pelo rosto inteiro.

 

Rugas que sempre

existiram no tempo futuro

do jovem que dança

e balança numa prancha

de surf

equilibrando-se

para não cair.

 

Mas continuamos ainda

numa prancha

muito mais hábil

do que ontem

contornando golfinhos

e brincando com os

tubarões

sem cair

e caindo sempre

para cair de novo

e de novo deixando-nos conduzir

como Ulisses

pelas sereias

as mesmas que devoravam

as almas dos homens

transformados todos

em carneiros a balir

encantados pela lua.

 

Sem correção

errando em direção

dum abismo

em que as lavas

de um vulcão

prestes a explodir

consolam diante

dos perigos desta vida

ilusória e maldita

mas vivida intensamente

seus pecados todos

bebidos todos num cálice

de prata.

 

Patinando na lama

Temos a insensata ilusão

que crasso na alma pequena

quando a roda da roda-viva

gira uma roda inteira

como que na próxima rodada

tudo fosse diferente

e a vida fosse diferente.

Se nenhuma mudança faça

nem fora

nem dentro

deste corpo cada vez mais estúpido

que nada mais fez

e deixa de fazer

do que reclamar

dos outros

dos corvos

que indiferentes a tudo

apenas esperam

a roda girar.

 


 

Na passagem do ano

 

Temos a mais insensata

ilusão

de que este ano

pode ser diferente

e bom

se não somos bons

realmente

se continuamos

patinando numa lama

escorregadia da ignorância

e continuamos a repetir

sempre

movimentos de sempre

um bailado sinistro

vestidos de palhaço.

 


 

Dragão envelhecido

 

Uma tatuagem

inscrita no braço

não demorou muito.

 

Anos se foram

e a tatuagem ficou

e envelheceu

e fora de forma ficou

totalmente amassada

que não lembra mais

sua juventude

belo e formoso

de patas armadas

e de olhos de fogo.

 

O fogo apagou

as patas amoleceram

e acabaram morrendo

junto ao braço.

 

FRANCISCO HANDA

FRANCISCO HANDA

chicohanda@yahoo.com.br
FRANCISCO HANDA

Últimos posts por FRANCISCO HANDA (exibir todos)

    Related Post

    SILVIO SANO > NIPÔNICA: #ForçaChape! #ForçaBrasil... Com a finalmente, ufa!... morte de um dos ditadores mais sanguinolentos da história mundial, Fidel Castro, minha tendência seria abordar sobre o mesmo...
    CANTO DO BACURI > Mari Satake: As amigas Celina é do interior de Minas. Foi casada com João. Com ele teve dois filhos. Criou os filhos para serem fortes e independentes. Soltou-os no mundo. O...
    CANTO DO BACURI > Mari Satake: Amizades Eliza era amiga de minha irmã mais velha. Fizeram o mesmo curso na mesma universidade, no mesmo período de tempo. Eliza era aluna do curso diurno, ...
    CANTO DO BACURI > Francisco Handa: Entregador de c... Entregador de compras Omar chega devagar Pede com delicadeza “quero ajudar!” Leva num carrinho compras Leva num carrinho sonhos. Omar é no...

    Faça seu comentário

    O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *