CANTO DO BACURI > Francisco Handa: Sem certeza alguma | O cão da velha | Um ano novo velho

 

 

Sem certeza alguma

 

Quando a esperança morre

morre também a última chama

que ainda havia

num pavio que resistia

incansavelmente.

 

 

Mas não é o fim.

Nem é o começo.

Sem lume no horizonte

nossos olhos passam

a enxergar também

onde isento de luz

onde isento de escuridão.

 

Se a luz cega

numa explosão de raios

Se a escuridão cega

numa escuridão de corvos

os olhos mais profundos

que navegam na lentidão

das ondas abissais

das águas quase paradas

o tempo também parou

e podemos ver claramente

o dia se fazendo após noite

as folhas caindo durante o inverno

a cair também no outono

e forrando o chão da história

em questão de segundos.

 

A ilusão é de uma vida inteira

de que o amanhã acontecerá

na esperança de que o sol

mostrará sua cara além dos montes.

 

Mas que certeza temos?

Nenhuma com certeza

senão a de que neste momento

diante de mim

uma mosca em colóquio amoroso

vive imensa felicidade

ao compartilhar corpos e sensações

até que a morte venha.

 


 

O cão da velha

 

Sempre na mesma hora

eis que surgia de lugar algum

uma velha conduzindo

um cão.

Não se importa

se chovia

lá estava a velha

mantilha nos ombros

e uma correia conduzia

o animal

de dentes arreganhados

e amarelados pelo tempo.

 

Uma dia deixou de passar

nem se sabe onde foi

nem se existiu um dia

uma velha que andava

conduzindo um cão.

 

Nunca se saberá

a respeito dela

de que ninguém quis

saber o paradeiro.

 

Teria morrido ela

teria existido ela

não deixou rastro algum

apenas leve lembrança

que com o tempo

será levado pelo vento.

 

Se alguém perguntar

pergunta que não precisa

de uma resposta precisa

nem causa

sem justificativa.

 

Uma mulher andava

conduzindo um cão?

 

Um cão andava

conduzindo uma velha?

 


 

Um ano novo velho

 

Ano Novo à vista

até onde a vista

alcança

seja de Boa Vista

de uma vista não tão boa.

 

Ano Novo deu-se início

repetindo outros novos

acontecimentos

que de novo

sem novidades…

 

FRANCISCO HANDA

FRANCISCO HANDA

chicohanda@yahoo.com.br
FRANCISCO HANDA

Últimos posts por FRANCISCO HANDA (exibir todos)

    Related Post

    BEM ESTAR: Para estar de bem consigo Normalmente, quando vemos alguém sorrindo, temos a impressão de que essa pessoa é encantadora, simpática e agradável de se juntar a ela. Nós não so...
    JORGE NAGAO: Haikais e mais haicais     Fui apresentado aos haicais de Guilherme de Almeida, na década de 70, e fiquei encantado com a beleza e precisão de seus verso...
    ERIKA TAMURA: Semana de brasileiros no Japão Tivemos uma semana bastante movimentada no Japão. A visita do presidente do Brasil, Michel Temer, comitivas políticas, comitivas empresariais, tur...
    JORGE NAGAO: Marilia Kubota, poeta que bota pra q... Lançamento da antologia Retratos Japoneses no Brasil, com dez autores nipo-brasileiros: Adalgisa Naraoka, Alexandre Inagaki, Itiro Takahashi, Gabriel...

    Faça seu comentário

    O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *