CANTO DO BACURI > Mari Satake: De volta à barbárie?

Carnaval, ainda não chegou, mas o gestor, já cumpriu uma de suas promessas. Deu de presente na data em que se comemora o aniversário da cidade. Aumentou a velocidade máxima permitida nas marginais. Já sabemos, nos primeiros dias, houve um sensível aumento no número de acidentes. Quer ver os números? Não, não dá. Caso queira acompanhar as estatísticas, você terá que se valer de alguma outra forma, diferente daquela da companhia que deveria oficialmente cuidar disso.

Quer sair do âmbito da cidade que habita? Vá lá para cima. Praia, sol, gente falando com aquele sotaque cadenciado te convidando para a doce indolência que você se permite de vez em quando. Norte ou Nordeste? Pensando bem, é melhor não. De repente, você pode se ver em meio a um tiroteio, um arrastão, um corre-corre e sem conhecer direito a cidade e as pessoas, você pode passar por maus bocados. A esta altura da vida, melhor não. Interior do estado, então? Dependendo da cidade, pode ser uma boa opção. Mas, se for se utilizar das rodovias, muito cuidado ao sair e chegar. Não seja um número a mais para as estatísticas que não se revelam.

Isso. Fique na cidade, fique em sua casa. Mas, cuidado! Não confie muito nas mensagens que recebe. Por exemplo, não pense que é verdadeira, por ser mensagem emitida no caixa eletrônico do banco de sua conta corrente, pode ser uma fraude. Cheque, antes de tomar qualquer atitude. Ao ligar a televisão, não acredite piamente nas inúmeras coisas que são ditas, principalmente, nos noticiários dos grandes veículos. Fique atento, fique esperto. Quando o usurpador e sua trupe escravagista se apresentarem ouça com muita atenção e em seguida, analise tudo que foi dito, vá fundo e pesquise. Você se dará conta. Estão subestimando a sua inteligência e honestidade. Resista. Você não estudou e trabalhou honestamente a vida toda para ser transformado num boneco qualquer e obedecer à trupe malévola.

Resista. Informe-se. Mexa-se.

Não deixe que a barbárie, definitivamente se instale.

 

MARI SATAKE

MARI SATAKE

marisatake@yahoo.com.br
MARI SATAKE

Últimos posts por MARI SATAKE (exibir todos)

    Related Post

    HIDEMITSU MIYAMURA: O ofurô e o missoshiru   Quando era criança e morava no interior costumava ser chamado por brasileiros de “Ei! Japonês”. Toda vez que era chamado assim, eu me sentia...
    TÊNIS DE MESA: Eduardo Tomoike, nasce um fenômeno ...   Os grandes campeões são aqueles atletas que marcam a história de suas respectivas modalidades. “Hoyama”, recordista de medalhas em Pan-am...
    AKIRA SAITO: Fibra para vencer   “Alguns tentam e por não conseguir reclamam, mas para ser um vencedor, apenas tentar e reclamar nunca será suficiente.” Para ser um vencedor,...
    AKIRA SAITO: ESPECIALIDADES “Só quem tem o devido conhecimento saberá cobrar a qualidade daquele que tem o devido conhecimento para oferecer”   No mundo atual, cada vez ...

    Faça seu comentário

    O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *