CARNAVAL: Com Miku Oguchi, bairro da Liberdade terá desfile de blocos a partir desta sexta-feira

O bairro da Liberdade não ficará fora da folia de Momo. Entre os blocos oficiais que vão desfilar  pelas ruas da capital durante o carnaval 2018, três prometem sacudir o Bairro Oriental. São eles: Faísca, Eco Campos Pholia e Fuzuê. Cada um representará uma comunidade asiática residente em São Paulo.

 

Clarício, Miku Oguchi e Diogo Miyahara. Foto: Aldo Shiguti

 

O Faísca, que desfilará na sexta-feira, representará a comunidade corerana; o bloco Eco Campos Pholia, que sairá no sábado, representará a comunidade japonesa; e o Fuzuê, que também está organizando o desfile, encerrará a programação no domingo representando a comunidade taiwanesa.

Segundo o presidente do Fuzuê, Clarício Aparecido Gonçalves, este será o quarto ano que o bloco sairá pelas ruas da Liberdade.

Para abrilhantar ainda mais o desfile do Fuzuê, o bloco convidou a japonesa Miku Oguchi para ser sua musa. Miku Oguchi, que ganhou projeção nacional em 2015 quando foi Madrinha de Bateria da Águia de Ouro – escola que homenageou os 120 anos do Tratado de Amizade, Comércio e Navegação Brasil-Japão, desfilará também pela Unidos do Peruche, Morro da Casa Verde e Brinco da Marquesa.

A passista Miku Oguchi será a Musa do Bloco Fuzuê SP. FOTO: DANIEL YONAMINE

Social – “Este ano, a ideia era homenagear os 110 anos da imigração japonesa no Brasil, mas acatando uma sugestão do presidente da Acal (Associação Cultural e Assistencial da Liberdade), Hirofumi Ikesaki, decidimos falar sobre o bairro”, explicou Clarício, acrescentando que o tema deste ano será “Bairro da Liberdade em Prosperidade com as Comunidades Asiáticas”.

“Conseguimos mobilizar outros parceiros e os abadás, que normalmente são vendidos, este ano serão trocados por um 1kg de alimento não perecível”, conta ele, destacando que os produtos serão doados a três entidades assistenciais indicadas pelas comunidades representadas: Associação Pró-Excepcionais Kodomo-no-Sono (japonesa), Sociedade Casa Pequeno Jesus (coreana) e Associação de Apoio e Cidadania (taiwanesa).

Clarício avisa que, mesmo quem não tiver abadá poderá partipar da festa. “É só aparecer no dia”, explica ele, lembrando que o Fuzuê existe desde 1976 e começou como uma das alas de uma das escolas mais tradicionais de São Paulo, a Vai-Vai.

Nos três dias, os blocos farão o mesmo trajeto, com concentração e dispersão na Rua Galvão Bueno, 88 (em frente ao Jardim Japonês). Os foliões devem passar pelas ruas Galvão Bueno e dos Estudantes até a Conselheiro Furtado, onde seguem para a Praça João Mendes, contornando o fórum em sentido a rua da Glória e rua dos Estudantes, voltando para a Rua Galvão Bueno.

Na sexta-feira, a concentração acontece a partir das 18 horas, com saída prevista para às 19 horas e término para as 21 horas. No sábado e domingo a concentração será a partir das 14 horas com o desfile das 15 às 17h30.

 

ALDO SHIGUTI

ALDO SHIGUTI

Redator-chefe
ashiguti@uol.com.br
ALDO SHIGUTI

Últimos posts por ALDO SHIGUTI (exibir todos)

     

    Faça seu comentário

    O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *