Canto do Bacuri

CANTO DO BACURI > Francisco Handa

CANTO DO BACURI > Francisco Handa

0 by / on 22 de maio de 2015, 11:39 / in Canto do Bacuri, Colunas

Uma tentativa vã   Nenhuma palavra diz Suficientemente diz O que se pretende dizer.   Escrever na superfície Da água Deixando rastros Que logo se desfazem.   Gritar um segredo Do amor à mulher casada Num furo da parede Que assim ninguém ouça Continua segredo.   Mas nas palavras não ditas Num silêncio realizado A verdade se revela A dureza […]

Read more ›
CANTO DO BACURI > Mari Satake

CANTO DO BACURI > Mari Satake

0 by / on 18 de maio de 2015, 18:44 / in Canto do Bacuri, Colunas

Voltar e ficar?   Ele ficou longos anos fora do país. Logo que ali chegou, seu notebook, celular, tablet e câmeras foram lacrados e lhe seriam devolvidos após o primeiro ano de sua permanência ou se algo desse errado e não mais pudesse permanecer antes de completar o ano. Partiu já sabendo que isso aconteceria assim que ingressasse no centro […]

Read more ›
CANTO DO BACURI > MARI SATAKE

CANTO DO BACURI > MARI SATAKE

0 by / on 4 de maio de 2015, 12:11 / in Canto do Bacuri, Carousel, Colunas

O que é a vida? O que é a vida? Alguma vez a pergunta deixou de ser repetida? Não me lembro. E há resposta que satisfaça? Morreu nesta semana um homem de teatro, cinema e televisão.  Acima de tudo, um homem da palavra. Da palavra que trouxesse uma verdade e não a palavra solta, vazia. Na televisão, nos últimos quase quinze anos com “Provocações” era um sopro de inteligência no ar. Antonio […]

Read more ›
CANTO DO BACURI > Francisco Handa

CANTO DO BACURI > Francisco Handa

0 by / on 24 de abril de 2015, 16:01 / in Canto do Bacuri, Colunas

   Passagem dos dias   Um gosto de sal na boca Do sol que reina na pele Milhares de raios Infiltrando-se na carne Cada vez mais envelhecida.   Assim passam os dias O vento passageiro Acariciando a cara Num suave lampejo.   Sem esperança alguma Nenhum titubeio Somente a rosa vermelha Tingiu os olhos neste instante Bombeando o liquido De […]

Read more ›
CANTO DO BACURI > Mari Satake: Vai passar

CANTO DO BACURI > Mari Satake: Vai passar

0 by / on 17 de abril de 2015, 11:01 / in Canto do Bacuri, Carousel, Colunas

      O pai acreditava que um bom jeito de incentivar a leitura dos filhos era tendo jornais em casa. Ele próprio era daqueles que bastava ter letreiro num pedaço qualquer de papel e já estava lendo. Lendo e imaginando. Assim, manteve por muitos anos assinatura de jornais em sua casa. A filha herdou do pai o gosto pela […]

Read more ›
CANTO DO BACURI > Francisco Handa

CANTO DO BACURI > Francisco Handa

0 by / on 9 de abril de 2015, 21:08 / in Canto do Bacuri, Carousel, Colunas

  As coisas são   Nestas paragens da zona norte São as montanhas fronteiriças Alisando o azul Enquanto o inverno da vida Maltrata a sola dos pés.   Que agradável o facho de luz Eriçando os pelos Dos braços morenos Carregadores de pedras Da construção civil.   Sem lugar para o sofrimento Os sonhos são águas passadas Que se firmaram […]

Read more ›
CANTO DO BACURI > MARI SATAKE: Triste março de 2015

CANTO DO BACURI > MARI SATAKE: Triste março de 2015

0 by / on 26 de março de 2015, 15:39 / in Canto do Bacuri, Carousel, Colunas

  Em tempos atuais, a notícia é velha. Afinal, aconteceu dez dias atrás. Estava eu no alto, bem abrigada pelo silencio que a altura proporciona, quando começamos a perceber barulho vindo de fora. Primeiro eram sons de pancadas. Em seguida, buzinas. Muitas buzinas. Olhei pelas vidraças. Lá embaixo, nas ruas, poucos carros. No restaurante da esquina, tudo parecia normal. Apesar […]

Read more ›
CANTO DO BACURI > Mari Satake: O retrato

CANTO DO BACURI > Mari Satake: O retrato

0 by / on 10 de março de 2015, 11:25 / in Canto do Bacuri, Colunas

  Chamada às pressas, correu ao endereço para acompanhar o bloco dos despossuídos. O garoto cismou que neste carnaval ele também sairia fantasiado. Ela não poderia deixá-lo sozinho no meio de tanta gente desconhecida. Vestiu a sua fantasia e seguiu adiante, ainda dava tempo de encontrá-lo para ficar perto dele. Ficaram ali entre os outros. Foram quatro dias de trégua […]

Read more ›
CANTO DO BACURI > Francisco Handa

CANTO DO BACURI > Francisco Handa

0 by / on 4 de março de 2015, 19:52 / in Canto do Bacuri, Carousel, Colunas

Sem qualquer arrependimento   Que sensação é esta em que O tempo do agora não clama por saudade Nem a idade que marca na pele Uma cor cinza dos céus de inverno Tenha alguma importância.   Deixei de abrir os álbuns antigos De fotografias, que me importava isso Se nada mais se passava de fantasmas Soltos pelas esquinas Com suas […]

Read more ›
CANTO DO BACURI > Mari Satake: Dare mo shiranai

CANTO DO BACURI > Mari Satake: Dare mo shiranai

0 by / on 11 de dezembro de 2012, 17:31 / in Canto do Bacuri, Carousel, Colunas

Meu amigo Juquinha é assim, gosta sempre de fazer mistério sobre tudo. Dia desses quis lhe passar um recado. O assunto era triste. Telefonar e falar com ele era impossível, ele nunca se deu ao trabalho de me fornecer o número de sua casa, apenas o comercial. Ainda bem que pelo menos, abriu seu webmail naquela noite de feriado. E […]

Read more ›
CANTO DO BACURI > Francisco Handa

CANTO DO BACURI > Francisco Handa

0 by / on 30 de novembro de 2012, 14:25 / in Canto do Bacuri, Carousel, Colunas

        Sem certeza alguma   Quando a esperança morre morre também a última chama que ainda havia num pavio que resistia incansavelmente.     Mas não é o fim. Nem é o começo. Sem lume no horizonte nossos olhos passam a enxergar também onde isento de luz onde isento de escuridão.   Se a luz cega numa […]

Read more ›
CANTO DO BACURI > Francisco Handa: O demônio coxo da clínica

CANTO DO BACURI > Francisco Handa: O demônio coxo da clínica

0 by / on 23 de novembro de 2012, 20:40 / in Canto do Bacuri, Carousel, Colunas

  O telefonema não seria mais estranho. – Por favor, resolva este problema. Depois de contar toda a história, pediu que o monge fosse em breve até a clínica dentária e desse um fim no incômodo. De que se tratava? No começo reticente, contou que havia uma manifestação estranha no local. “Todas as tardes, depois que não há mais clientes, […]

Read more ›