CIDADES/CAMPINAS: 8º Festival do Japão de Campinas atrai cerca de 20 mil pessoas

Com muitos shows de cantores de karaokê campeões do Brasil e do Japão, danças, demonstrações de artes marciais, exposições, stands de produtos japoneses e oficinas culturais foram as atrações do 8º Festival do Japão de Campinas, que aconteceu nos dias 9 e 10 de junho no Instituto Cultural Nipo-Brasileiro de Campinas.

O público estimado em 20 mil pessoas pelos organizadores superlotou todas as dependências do Instituto, com atividades e oficinas acontecendo ao mesmo tempo. O origami (dobradura de papel) e o shodô (escrita) atraíram as crianças, mas muitos adultos participaram também. A oficina de “temaki” foi a novidade deste ano. Muitos puderam aprender na prática e saborear na hora.

 

A cantora Mariko Nakahira marcou presença no Festival do Japão de Campinas (foto: divulgação)

 

A cantora internacional Mariko Nakahira se apresentou e como todos os anos, ela iniciou a sua turnê no Festival de Campinas e depois seguiu para outros palcos brasileiros e em seguida para o Paraguai. O cantor sertanejo Joe Hirata lotou o salão e alegrou a galera com a distribuição de muitos prêmios. Karen Ito é a cantora que participa todos os anos dando um show de interpretação e além de muitos cantores campeões de karaokê.

O taikô do Nipo de Campinas e o do Okinawa lotaram o salão, bem como as danças típicas como o Yosakoi Soran, formado por jovens do Instituto. O grupo Feel liderado por Ken Okubo tocou os corações dos jovens com músicas românticas na voz de Julia Honda. Já o conjunto Sanshin Go, de Fábio Yassumura e sua turma cantaram músicas de Okinawa e na dança a professora Kanashiro Setsuko mostrou toda a arte da província.

O humor também fez parte do Festival, com a dupla de cantores Yoshiake Shinde e Dani Arimoto de Sorocaba. A orquestra de Taishô Koto de São Paulo, sob a orientação da professora Yamazaki deram um show de musicalidade, com o instrumento típico japonês. Participaram também o cantor Ricardo Nakase, Sergio Tanigawa, Pedro Mizutani, Yukie Kakinoki, Isadora e Isabela Kataoka, Renan e Clara Nakamura.

 

Awaodori –  A dança típica de Fukushima Awaodori esteve presente no 8º Festival do Japão de Campinas. Considerado o “Carnaval Japonês”, esta dança tem um ritmo alegre e descontraído. Em 1585, durante a era Tenchô, os japoneses comemoraram o término da construção do castelo em Fukushima. A felicidade do governante era tanta, que toda a sociedade, desde pedreiros, ferreiros e carpinteiros, juntamente com plebeus e aristocratas dançavam, numa alegria contagiante.

O evento foi tão apreciado que dura até hoje. No Japão, são quatro dias ininterruptos de festividade, durante o mês de agosto. As principais características desta dança alegre, que anima a todos são os homens que dançam livres e desembaraçadamente. Enquanto as mulheres fazem movimentos leves e sensuais em cima de seus guetas (tamanco) e kaça (chapéu)

 

Abertura –  Segundo o presidente da comissão organizadora, Tadayoshi Hanada, o objetivo do Festival é promover a cultura japonesa entre os não descendentes. Para isso, o evento contou com o apoio de associações nikkeis, diversas empresas e comércios da cidade ligados a cultura japonesa e mesmo instituições religiosas. “Muitos prestigiam o Festival atraídos pela culinária e sempre, todos os anos a Praça de Alimentação fica sempre lotada”. O Yakisoba é o prato típico da gastronomia japonesa, mas muitas iguarias foram encontradas como o sushi, sashimi e tempura, além de doces, produtos japoneses e comidas brasileiras. A solenidade de abertura foi longa, mas importante devido à presença de várias autoridades. O prefeito municipal de Campinas Pedro Serafim, o presidente do Instituto Cultural Nipo Brasileiro de Campinas Hiromiti Yassunaga participaram da solenidade de abertura e deu boas-vindas aos visitantes. Muitos discursos foram feitos com elogios ao Festival. As autoridades locais prestigiaram a tradicional cerimônia de abertura “kagami biraki”

A comunidade local e autoridades nikkeis prestigiaram o Festival: os deputados federais Junji Abe, Jonas Donizete; os deputados estaduais David Zaia, Jooji Hato, Hélio Nishimoto, os vereadores Luis Yabiku, Paulo Oya, Dario Saadi, Kazuaki e Eiko Oobe, cônsul geral do Japão no Brasil e senhora; Kihatiro Kita, presidente do Bunkyo de São Paulo, Augusto Sakamoto, vice-presidente da Kenren, coronel Yoshio Kyono, presidente da Associação Nikkey do Brasil, Sinval Dorigan, secretário Municipal de Campinas, Yoshinobu Kusse, de Macuco.

Estavam presentes também Nivaldo Kinjo (presidente da Associação Okinawa de Campinas), Ricardo Rangel(Instituto Kobayashi), Tetsuji Arie (Abrac), Maurício Kobayashi (Acal), Alberto Nashiro (Jundiaí), Celsinho Rocha (Indaiatuba), Roberto Oki(Bragança Paulista), Jorge Yamashita (Bunkyo), Diogo Miyahara (representante de Aurélio Nomura), Hideya Fukazawa (Tozan).

(Célia Kataoka)

Redação

Redação

nippak@nippak.com.br
Redação

Últimos posts por Redação (exibir todos)

Related Post

SOCIAL: 6º Chá Beneficente da Associação Pró-Excep... KODOMO-NO SONO – A Associação Pró-Excepcionais Kodomo-No-Sono realizou no dia 27 de abril, no Espaço Hakka de Eventos, no bairro da Liberdade, em São ...
HAICAI BRASILEIRO O Jornal Nippak publica aqui os haicais enviados pelos leitores. Haicai é um tipo de poema que se originou no Japão. Seu maior expoente é Matsuo Bashô...
BENEFICENTE: A História da Kibô-No-Iê   A Sociedade Beneficente Casa da Esperança (Kibô-no-Iê) é uma entidade sem fins lucrativos de assistência e amparo à pessoa com deficiência i...
COMUNIDADE: Kumamoto recepciona adido militar das ... No último dia 31, a Associação Kumamoto Kenjin do Brasil recepcionou o coronel Toru Yamaguchi, adido das Forças Armadas do Japão em Brasília. A recepç...

Faça seu comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *