ERIKA TAMURA: Jogada Bonita

Morando no Japão há tanto tempo, ainda consigo me surpreender com as atitudes fantásticas de alguns brasileiros, atitudes essas que merecem destaque!
Todos os anos, e sempre no mês de outubro, é realizado na província de Gunma, na cidade de Oizumi, um evento chamado Jogada Bonita. Uma grande festa realizada em um local estruturado com quadra, pois o evento é relacionado com futebol, esportes e principalmente crianças.
O organizador do evento é Fernandes dos Santos, mais conhecido como Santos, 43 anos, natural de Mogi das Cruzes, interior de São Paulo. Santos é um brasileiro falante, que ama o futebol, está há 20 anos no Japão e que acima de tudo tem o poder de ter atitudes louváveis como essa. O evento é beneficente pois tem a sua renda revertida em prol a alguma instituição social.
Jogada Bonita nasceu em 2006 de uma vontade latente de Santos em unir futebol com caridade pensando no benefício humanitário exclusivo das crianças carentes.
Santos me contou que desde 1995, quando já estava no Japão, lhe veio a ideia de realizar um evento nesses moldes e que só veio viabiliza-lo no ano de 2006.
E desde então, a Jogada Bonita tem ajudado instituições do Brasil todo, como Mogi das Cruzes, Rio de Janeiro, Hortolândia e no ano de 2011, ano do grande tsunami que assolou o Japão, Santos destinou a renda do evento para os desabrigados da área atingida pelo tsunami.
A grande novidade deste ano de 2012, é que a renda será doada para a Casa da Criança de Araçatuba! A minha felicidade chega a transbordar de dentro dos meus olhos!
Na verdade, foi por indicação minha que Santos chegou até a Casa da Criança de Araçatuba, o que fiz foi só indicar, pois o mérito de toda uma ação benemérita vem do Santos. E ele mesmo diz que não tem o poder de consertar o mundo, mas pode arruma-lo aos poucos. E são esses os valores que devem agregar a benevolência humanitária de cada um, onde a ideia principal de deixar pessoas melhores num mundo melhor deveria ser o lema de respeito válido para todos.
A minha vontade, e a do Santos também, com certeza é a de que cada criança possa ter dignidade e acesso a uma perspectiva de vida melhor, pois ninguém tem o direito de roubar os sonhos de uma criança e empurrar abismo abaixo.
Pode parecer um assunto que eu teimo muito em falar, que é a educação acessível a todos, sem distinção de raça, classe social, hierarquia, etc. As vezes chego a ser redundante nesse assunto, mas é que na minha opinião é a única solução viável para o futuro, mas como é a longo prazo, isso não interessa aos políticos, e acaba saindo do foco de prioridades de um país que economicamente está emergindo, mas socialmente vive uma falência múltipla de ações.
São atitudes como a do Santos que mantém uma certa esperança de que o Brasil pode avançar muito se cada um fizer um pouquinho, basta o primeiro passo e pronto, já não estamos mais no mesmo lugar.

 


*Erika Tamura nasceu em Araçatuba e há 14 anos mora no Japão, onde trabalha com desenvolvimento de criação. E-mail: erikasumida@hotmail.com

Redação

Redação

nippak@nippak.com.br
Redação

Últimos posts por Redação (exibir todos)

Related Post

CANTO DO BACURI > Mari Satake: As velhas Mulheres. Filhas ou netas de imigrantes japoneses. Cada uma com sua história, estudaram, casaram, tiveram seus filhos e foram também empregadas. Todas...
MEMAI: ARTE | GALERIA DECO A HISTÓRIA DE UM IDEAL   Estabelecida desde o início, em duas casas da década de 20 (com 150 metros quadrados – em seis salas expositivas), no bairro da Bela Vis...
MEIRY KAMIA: O perigo das metas inatingíveis Muitas empresas cometem o grande erro de entrar na onda do desespero quando se veem em meio a um cenário onde são obrigadas a cortar custos, demitir f...
SHIGUEYUKI YOSHIKUNI: SAKÊ, BEBIDA DOS DEUSES Nesse Carnaval, um velho amigo, morador em Guaíra, cidade fronteira com Paraguai, trouxe-me uma garrafa dessa bebida milenar. Disse-me que era prod...

Faça seu comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *