ERIKA TAMURA: Palestra de Gestão Empresarial no Japão

No dia 16 de maio, assisti a uma palestra de Gestão Empresarial, com o tema: Melhoramento Contínuo. O palestrante foi o professor Francisco Pereira França Neto. Mineiro, Neto chegou ao Japão em 2004 como diretor de uma escola brasileira, com várias unidades no território japonês.
A palestra foi realizada na província de Gunma, na cidade de Oizumi, onde predomina a concentração da comunidade brasileira, organizada pelo empresário Mário Makuda e sua esposa Andrea.
Achei a iniciativa muito interessante, pois há uma carência de boas palestras no ramo de gestão empresarial, e sinto que a maioria dos empresários brasileiros está atirando no escuro, pois é visível a falta de metas para o direcionamento do ramo escolhido.
Sou estudante de administração de empresas, portanto tudo o que foi dito durante a palestra condiz com a minha realidade universitária, mas mais importante que isso diz respeito a realidade vivencial cotidiana.
O tema da palestra foi muito bem desenvolvido, o tema muito atual e a forma exposta pelo professor conseguiu envolver a todos. Mas o que quero ressaltar aqui, é essa atitude de um conjunto de pessoas que desempenharam importantes papéis para que essa palestra fosse concretizada. Desde a organização feita pelo senhor Makuda, mas também muito louvável a atitude do professor em dar essa palestra gratuitamente, e um fator importante também foi a ajuda e colaboração das empresas patrocinadoras do evento.
A verdade é que o Japão tem a desvantagem do fator distância e os melhores palestrantes encontram muitas dificuldades para chegar até a comunidade brasileira que aqui vive. E quando vemos essa disponibilidade de ambos os lados, percebemos que todos os obstáculos superados é recompensador! Com certeza que sai ganhando com isso é o público, que dispõe de informações, dicas e preceitos vindo de pessoas altamente qualificadas e com uma formação ímpar.
Aliás o currículo do professor Francisco é de deixar qualquer estudante de Administração afoito. Professor Francisco é formado em Matemática e Física, com pós-graduação em Educação, MBA em Gestão Escolar, Mestrado em Gestão e Marketing e Doutorado em Gestão e Marketing.
Sinceramente, senti um orgulho imenso em saber que o Brasil está muito bem representado no Japão, com um profissional com esse nível de conhecimento.
Como disse uma vez, o Brasil possui um ótimo nível acadêmico, conta com professores muito capacitados, o único problema é a falta de reconhecimento para essa classe de profissionais.
O público presente na palestra era na maioria de empresários brasileiros, o que mostra que há um grande interesse na melhoria dos negócios dentro do Japão. E é essa evolução que deve ser trabalhada e aprimorada para que não se perca o foco dentro do mundo dos negócios.
Parabéns a Associação Comercial Brasileira de Oizumi, parabéns ao senhor Makuda e sua esposa Andrea, pela iniciativa e pela preocupação e dedicação dentro da sociedade brasileira para que haja um aprimoramento gestacional das organizações e com isso a possibilidade de desvencilhar a ideia de defasagem e despreparo dos empresários brasileiros no Japão.

*Erika Tamura nasceu em Araçatuba (SP) e há 14 anos reside no Japão, onde trabalha com desenvolvimento de criação. E-mail: erikasumida@hotmail.com

Redação

Redação

nippak@nippak.com.br
Redação

Últimos posts por Redação (exibir todos)

Related Post

LEGISLAÇÃO por FELÍCIA HARADA: O síndico em condom...   O síndico será eleito em assembléia. A assembléia escolherá um síndico, que poderá não ser condômino, para administrar o condomínio, no praz...
AKIRA SAITO: HISSHOU “A vitória precisa estar primeiramente dentro de si mesmo”   Muitos já devem ter visto, ouvido ou mesmo visto o ideograma que conclama esta p...
JOJOSCOPE: Festival da Fertilidade   Kanamara Matsuri: devoção ao falo, um canto da primavera   Escultura em nabo: um trabalho para artesãos. É primavera no Japã...
ERIKA TAMURA: Mais uma vez Brasil… Depois de seis meses estou de volta ao Brasil. Com todos os problemas atuais não deixa de ser o meu país. Amo o Japão, mas voltar ao Brasil, se...

Faça seu comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *