AKIRA SAITO: Fibra para vencer

 

“Alguns tentam e por não conseguir reclamam, mas para ser um vencedor, apenas tentar e reclamar nunca será suficiente.”

Para ser um vencedor, seja no meio esportivo, profissional ou na vida cotidiana, é preciso ter fibra para vencer. Querer e tentar, isso quase todo mundo faz, cair, levantar e persistir é que faz a diferença.
Um vencedor é feito de cicatrizes e em alguns casos literalmente. É preciso ter coragem para enfrentar os desafios, para enfrentar o medo de fracassar, para suportar a dor dos sacrifícios. Colher os frutos todos querem, mas se dar o trabalho de plantar, isso é para poucos.

A katana (espada) do samurai e considerada a alma do guerreiro, por ser uma arma que nasceu de um torrão de minério, que após centenas de vezes sendo aquecida em fogo e martelada, forjada e polida, para só assim ela obter o resultado esperado. Assim é que se espera que seja o espírito do guerreiro, sendo martelada e forjada pela vida, mas sempre mantendo o fio do caráter reto.

Um vencedor aprende com os erros, não reza para a vida ser fácil, mas que seja sempre forte para suportar as dificuldades.

Precisamos ensinar nossos filhos a serem vencedores, a não querer só aquilo que é de fácil acesso, a querer conquistar seus próprios objetivos.

Um homem digno é aquele que quando cai, consegue se levantar com suas próprias forças.

Vamos trabalhar para um mundo melhor, com grandes vencedores no futuro, dignos, justos e de caráter.

 

GANBARIMASHOU!!!!!

 

*Akira Saito, professor e praticante de Budo há 32 anos, morou no Japão de maio de 1990 a setembro de 1996, onde treinou karate sob a tutela do Hanshi Konomoto Takashi – 9º dan, graduando-se até o 3º Dan e tornando-se instrutor da matriz na cidade de Sagara-cho e das filiais das cidades de Hamamatsu-shi e Hamakita-cho até o retorno ao Brasil.
Contato: www.karatedogojukai.com.br
www.saitobrothers.com
www.artesdojapao.com.br
www.akirasaito.blogspot.com

Redação

Redação

nippak@nippak.com.br
Redação

Últimos posts por Redação (exibir todos)

Related Post

JOJOSCOPE: Chaplin e o Japão   A história é verídica e pouco conhecida. Charles Chaplin, no auge de sua carreira, acolheu um imigrante japonês que trabalhou por mais de 17...
SILVIO SANO > NIPÔNICA: Vamos nos contagiar! Não v... Depois que dois ministros do STF (Teori Zavascki e Rosa Weber) resolveram se intrometer no caminho do primeiro pedido realmente consistente ao impeach...
AKIRA SAITO: RECONHECIMENTO E AGRADECIMENTO “Devemos sempre agradecer, independentemente das circunstâncias, devemos agradecer”   Quando nos dedicamos de coração em busca de nossos obje...
CANTO DO BACURI > Francisco Handa: O primeiro film... Entre os criadores do cinema japonês, no século passado, principalmente com o advento do cinema falado, não seria exagero considerar Kenji Mizoguchi c...

Faça seu comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *