SILVIO SANO: Ainda uma longa estrada…

Qualquer saída do lugar em que se nasce, seja como for, sempre é valiosíssima porque, no mínimo, contribui para o engrandecimento pessoal, mesmo que não consumada da forma planejada originalmente. Isso, porque a simples convivência com novas formas de pensar, o confronto com culturas e comportamentos diferentes, leva-nos a um processo de associações e comparações com tudo o que aprendemos até então. O problema fica por conta do retorno quando, empolgados com as novidades, passamos a querer adotá-las, pura e simplesmente, na terra natal.

A razão dessa introdução é devido às recentes discussões sobre o aproveitamento do lixo reciclável no Brasil, o conflito bicicletas/ carros/ motos… e até mesmo a questão do aborto para fetos anencéfalos, etc., e que me remeteram a medidas “de fora” já adotadas na área da Educação, apesar de louváveis… pela intenção.

Começo, pois, pela Educação, já que convivi com o do sistema japonês durante 5,5 anos devido ao meu filho, o qual aprovei com louvor. Mas devido ao espaço pequeníssimo citarei apenas dois itens: tempo integral e progressão continuada. Ideais, para mim, para o Ensino Básico… mas não ainda para o Brasil… devido a fatores ligados à nossa própria realidade, política, social, econômica e cultural que acabam influindo no rendimento tanto de alunos quanto de professores (mal preparados).

Idem para a questão do lixo reciclável. Naquele país, o lixo já é reciclável a partir de um calendário: lixo orgânico e não orgânico (bem cumpridos pelos cidadãos). Com poder aquisitivo condizente, até mobiliários velhos eram deixados nas calçadas para serem recolhidos. Isso, até a chegada dos nossos decasséguis… aliviando a carga dos coletores japoneses. No Brasil, tudo vai no mesmo saco, e tem cidadão que ainda o coloca na calçada fora do dia de coleta… uma tentação aos “chutadores”… apenas para fazer graça.

Nunca me preocupei com a questão do aborto em minha estada no Japão, apesar de saber que é totalmente liberado e chega a ocorrer 500 mil por ano, mas concordo que seja delicada e que é preciso muito cuidado quando se trata de Brasil pelas mesmas razões que alinhei, acima, ao citar os meus exemplos.

Ainda temos de percorrer uma longa estrada… Né, não?

 

*Silvio Sano é arquiteto e escritor. E-mail: silviossam@gmail.com

Redação

Redação

nippak@nippak.com.br
Redação

Últimos posts por Redação (exibir todos)

Related Post

MUNDO VIRTUAL: Riscos e cuidados no fornecimento ... Neste mundo cada vez mais conectado em que vivemos, se tornou comum as pessoas chegarem a uma residência, ou a um estabelecimento comercial, e pedirem...
NIPPAK PESCA: Cobertura Pesca Trade Show 2015 Por Mauro Novalo     A Pesca Trade Show se caracteriza por duas propostas: juntar fabricantes com lojistas e mostrar o turismo ...
AKIRA SAITO: O QUE VALE É O QUE VOCÊ ACREDITA “Respeito acima de tudo”   Em uma sociedade que apesar de estar se tornando extremamente individualista, cada vez mais as pessoas pensam em e...
Alimentos Saudáveis por ERIKA MIZUTANI: Leite de a...   Leite de avelã com banana hmmmmmm..... 1 punhado de avelã 1-2 copos de água Deixe as avelãs de molho em 1 copo de água de um dia para o...

Faça seu comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *