SILVIO SANO: E… Vai, Corinthians!!

 

Com a permissão dos queridos leitores, eu, corintiano, que já até escrevi um artigo ao rei Pelé homenageando-o pela passagem de seus 60 anos de idade e outro ao arquirrival, Palmeiras, defendendo-o quando perdeu para o Manchester no Mundial em Tóquio, em 1999, vou reservar este à gloriosa conquista da Libertadores da América pelo Corinthians. Até porque já me disseram que sou um torcedor fanático pelo simples fato de ter publicado o livro Corinthians 100 Anos – Gols Ilustrados (Editora Imprensa Oficial). Não concordo com isso. Ou melhor, já o fui quando jovem. Se bem que me considero tão corintiano quanto aqueles que vi chorando, pela TV, quando ainda faltavam 5 minutos para o encerramento do jogo contra o Santos no Pacaembu ou logo após o segundo gol do Sheik, contra o Boca Juniors, que deu o título ao Timão, porque como já ouvi dizer: não existe um corintiano mais do que outro e, sim, um corintiano mais velho do que outro… por ter nascido antes.

 


Assim, com enorme satisfação, dedico este ao meu Corinthians, até porque esse feito tirou-nos, das costas, uma piada decorrente dele: “a do corintiano não necessitar passaporte… já que nunca iria a Tóquio”. Acabou!

Mas pensando bem, em vez de escrever, prefiro contribuir da melhor forma que sei, a esse caso, com uma ilustração do gol de Emerson que nos garantiu o tal “passaporte” para Tóquio…

E vai, Corinthians!!

 


*Silvio Sano é arquiteto e escritor. E-mail: silviossano@gmail.com

Redação

Redação

nippak@nippak.com.br
Redação

Últimos posts por Redação (exibir todos)

Related Post

AKIRA SAITO: AVENTURA NO JAPÃO – PARTE 4   Bom, este é o último artigo que faço aqui do Japão, um país de beleza excepcional e cheio de conceitos admiráveis.     Saí de...
CANTO DO BACURI: O sacrifício do outro | O jogo da... O sacrifício do outro Os deuses antigos exigiam Sacrifícios Um deles achou-se melhor Pediu em sacrifício Todos os outros Quem cultuasse um outro...
JORGE NAGAO: Parceiro de Mário Yoshida A coifa além de eliminar cheiros e gorduras pode pulsar uma amizade.         “ Dança a esperança nos olhos de quem/          cant...
TÊNIS DE MESA: Pais de atletas ajudam ou atrapalha... Em 1975, comecei minha carreira de técnico de tênis de mesa precocemente, ainda menor de idade, no Nippon Country Club. Ou seja, este é o 38º ano de c...

Faça seu comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *