SILVIO SANO: Mensalão ou Olimpíadas?

 

O processo do Mensalão, que já veio tarde, de tão tragicômico teve até seu início se dando em pleno período das Olimpíadas. Mas, por sua importância à Nação, e não aos 36 réus, temos de ficar atentos ao resultado já que, por culpa do passado, sabemos muito bem sobre a possibilidade de vir a se tornar, mais uma vez, recurso público desperdiçado, para não dizer, mais uma enorme “pizza”. Assim, no período equivalente aos seus três primeiros dias,

tive de me satisfazer apenas com os resumos dos dias daqueles maravilhosos jogos esportivos que ocorrem em Londres.

E no primeiro dia do julgamento já pudemos constatar tendências gritantes em relação àquela possibilidade, quando um dos advogados da defesa, Márcio Thomas Bastos, em sua questão de ordem mui previamente anunciada, provocou um atraso de horas porque foi muito bem acolhida e compartilhada pe­lo ministro Lewandowisky.

Durante sua fala, que se tornou um longo e contraditório discurso a um simples voto, deu-me vontade de mudar de canal. Não o fiz, mas não deixei de ir até a padaria para comprar uns pãezinhos. Se bem que me distrai várias vezes e me remetendo, todas as vezes, ao primeiro parágrafo de uma crônica (Era tudo ilusão… – Confrontos & Conflitos) que escrevi há muito tempo: “Quando criança achava que padre não pecava, professor sabia de tudo, médico curava qualquer doença, policial não roubava, correio cuidava apenas de correspondências, padaria fazia apenas pão, barbeiro apenas barba e cabelo, etc. Até que um dia eu cresci”.

Pois é, ainda bem que coloquei aquele “etc.” logo após “…barba e cabelo”… e, infelizmente! Mas, vamos aguardar. Ou seja, continuo sendo um otimista… e ingênuo.

E já que minha referência às Olimpíadas foi feita com ênfase ao afirmar que também a acompanho com atenção, confesso que estou decepcionado, já que estava muito otimista… outra vez. Não por nossas parcas conquistas até o momento, que tem mais a ver com a falta de apoio aos Esportes em nosso país, mas pela falta de postura esportiva de alguns de nossos potenciais atletas, muito diferente da dos verdadeiros campeões. Né, não?

 


*Silvio Sano é arquiteto e escritor. E-mail: silviossam@gmail.com

Redação

Redação

nippak@nippak.com.br
Redação

Últimos posts por Redação (exibir todos)

Related Post

SILVIO SANO > NIPÔNICA: A COPA DAS COPAS?!   Neste momento em que nos aproximamos do final de uma das Copas mais emocionantes, sem dúvida, e que por isso já começamos a ouvir notícias...
ERIKA TAMURA: O reencontro no Brasil Andando por Araçatuba, num desses dias de sol e muito calor, encontro Dona Lourdes Goiatto, minha primeira professora.  E não é que a reconheci? Fa...
JORGE NAGAO: Um Japonês que Escreve     Rufino, o presidente do Satélite E.C., apresentou-me como escritor  a um sócio do clube. O só-ócio, aposentado, se admirou: ...
CANTO DO BACURI > Francisco Handa   Retorno à cidade de um passado Algum ponto de minha alma nunca deixou a terra em que nasci ainda sopra o vento de outrora pelas ruas que n...

Faça seu comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *