SILVIO SANO: Tsuneo Sano, 100 anos!

Neste final de semana fui à cidade de Fernandópolis, minha cidade natal, para participar da comemoração do aniversário de 100 anos de um tio, único sobrevivente de uma prole de 7 filhos, apesar de segundo mais velho! O interessante é que era considerado o mais fraquinho dentre eles… inclusive, por ele próprio, que ainda lúcido, afirma isso com muito bom humor, o que, para muitos, seria a razão de sua longevidade. Na verdade, para mim, é apenas uma delas! Aliás, naquela época, do início da imigração japonesa no Brasil (veio com a família em 1918), o destino principal era para o trabalho com a agricultura, considerado “pesado” para ele. Assim, era sempre poupado das partes mais pesadas. Mas tão logo se estabilizaram economicamente, partiram para o setor comercial na área urbana, possibilitando-lhe também contribuir efetivamente à família, além de lhe facilitar independência futura.
Mas retornando à afirmação de apenas uma das razões, fi-la porque quando criança, ficou em minha mente a imagem desse tio tomando cerveja Caracu no empório de meu pai, onde vinha com frequência… para isso… rs. Daí, mudamos para a Capital, mas sempre que retornava para lá, reparava que ele mantinha o costume… aliás, até hoje, apesar de não mais com a cerveja preta. Não estou fazendo apologia ao consumo desse tipo de bebida, ainda mais em tempo de “lei seca”… eu, héim!, mas na forma como sempre o fez, desde aquela época até hoje: com moderação! Mas, com moderação em tudo! Inclusive no tal bom humor!
Pois é, devido à comemoração convenci o sr. Akio Ogawa, proprietário do site www.nikkeypedia.org.br a fazer uma matéria com meu tio, já que tinha me dito que pretendia abrir uma seção ligada à História oral, com depoimentos audiovisuais. Daí, no início da entrevista, a uma pergunta sobre preferi-la em japonês ou em português, o tio respondeu: “Tanto faz, porque não falo bem nem um e nem outro…!”
Outra razão deve ser a espetacular relação com sua parceira de 73 anos de casados, Hanami-san (89), com quem se casou após sua segunda visita a ela, “uma japonesa bonitinha…”, conforme afirmou, de novo com bom humor e com quem ainda senta na sala de mãos dadas como realmente eternos namorados.
Assim também são suas tiradas, sem exagero.

*Silvio Sano é arquiteto e escritor. E-mail: silviossam@gmail.com

Redação

Redação

nippak@nippak.com.br
Redação

Últimos posts por Redação (exibir todos)

Related Post

SILVIO SANO > NIPÔNICA: Violência Urbana Para melhorar seu português, desde quando chegou ao Brasil, baseado no fato de em seu país os noticiários televisivos serem os que praticam a linguage...
MUNDO VIRTUAL: Educação Digital   *Euclides Pereira Pardigno O mundo digital abre uma série de possibilidades, envolvendo lazer, trabalho, vida social, finanças, estudo, v...
SHIGUEYUKI YOSHIKUNI: À QUEIMA ROUPA Este livro de 378 páginas, de Vicente Vilardaga, narra a tragédia do jornalista Antonio Pimenta Neves – ex-diretor do “O Estadão” e de sua subordi...
AKIRA SAITO: HONRAR SEUS PRINCIPIOS “A honra está na dignidade do percurso e não somente na chegada”   Nos dias atuais, seja pelas reportagens de TV, Rádio ou Internet, ou mesmo...

Faça seu comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *