ERIKA TAMURA: “Modelo” no Japão

Há uns dias atrás estava vendo a internet, acessando as mídias sociais e me deparei com um vídeo feito por um amigo, chamado Vagner Miyashiro, morador da cidade de Toyohashi, na província de Aichi.
Vagner descrevia uma situação ocorrida com ele, onde uma moça que se dizia modelo, recusava a companhia de amigas que fossem gordas ou feias. O meu amigo criticou a atitude da tal “modelo”, e a sua indignação com essas atitudes deu origem ao vídeo.
O vídeo foi considerado polêmico, mas foi um dos mais acessados durante a semana em que ele fora postado.
Parei para ver o vídeo e comecei a pensar, realmente aqui no Japão, muitas brasileiras contratam fotógrafos, fazem um book, e já se sentem modelo, e ainda fazem questão de escrever no currículo. Sinceramente, se eu fosse modelo profissional ficaria ofendida e triste com a situação.
E o comentário infeliz da moça, demonstra a mente discriminatória de certas pessoas, essa mesma pessoa que discrimina baseada em cor, religião, raça, ou no caso aparência estética, poderá vir a ser a próxima vítima de algum tipo de racismo, e certamente se sentirá ofendida.
Na minha opinião, o preconceito está na cabeça apenas de quem o pratica. É claro que é triste alguém ser julgado por um fator estético, mas o mais triste é ver que o mundo está cheio de pessoas que pensem assim. E olha que estou falando a nível de Japão! Onde a maioria que está aqui já sentiu alguma forma de preconceito, mas nem por isso seremos obrigados a pensar de forma preconceituosa.
Fico pensando que tipo de requisitos são necessários para a aceitação social, e é incrível como isso ainda existe. Tento passar valores muito mais amplos e consistentes para os meus filhos, onde o preconceito não tem espaço. Que mundo vamos deixar para nossos descendentes se ensinarmos que aparência é um requisito básico para se tornar amigo?
O meu amigo Vagner, mais conhecido como Sky, tem razão em indignar-se, para muitos pode parecer mínimo, mas acredito que nós os brasileiros não podemos perder o poder de indignar-se, pois se isso acontece estaremos dando abertura para a convalescência de um mundo negativo.
Sky, está há 11 anos no Japão, trabalha com eventos, e promete mais vídeos polêmicos, pois essa pessoa não perdeu o poder de indignação e acho isso muito válido. Até porque se é para fazer um vídeo que seja polêmico mesmo, que levante a sobrancelha do rosto para demonstrar alguma expressão, pois é isso que vale, todos os feitos que não mexe com nenhum músculo do rosto é sinal que não merece ser comentado.

 

[kkytv id=”qVFOynAtEAE” width=”600″ height=”361″]
*Erika Tamura nasceu em Araçatuba (SP) e há 14 anos reside no Japão, onde trabalha com desenvolvimento de criação. E-mail: erikasumida@hotmail.com

Redação

Redação

nippak@nippak.com.br
Redação

Últimos posts por Redação (exibir todos)

Related Post

CANTO DO BACURI > Francisco Handa: O Silêncio inqu... Existe a sensação de dúvida em se tratando de uma temática que gira em torno da fé católica em terras do Oriente. Que motivos teriam levado o jesuíta ...
BAURU/SP: FESTIVAL DE YAKÍ-SÓBÁ EM PROL DA APAE –B... Será no dia 28 de março no Recanto das Exposições, numa iniciativa encabeçada pela Farmácias Nissei. Clubes de Serviços, Associações de Classe e empre...
SHIGUEYUKI YOSHIKUNI: Onde perfurar para o jorro d... Conceituado jornal, neste domingo, gastou uma página para tratar do método de encontrar água – hoje, sim, precioso líquido – perfurando poços. Um ...
RAÍZES: 17ª Festa do Imigrante celebra cultura e d... Nos dias 27 de maio e 03 de junho, São Paulo vai celebrar a cultura e as tradições das diferentes comunidades imigrantes que representam a mistura de ...

Faça seu comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *