COMIDA DA BATCHAN: OFICINA DE COMIDA JAPONESA CASEIRA COM A CHEF MARLENE FUKUSHIMA ACONTECE NESTE DOMINGO

A 1ª Edição da Oficina de Comida Japonesa Caseira contou com a participação de 22 pessoas –  lotação máxima – dos quais 12 eram descendentes de japoneses. Para os nikkeis, a oficina resgatou a memória afetiva, a “comida da batchan” (batchan, em japonês, significa avó). Foram preparados sete pratos: gohan (arroz japonês sempre quentinho), missoshiru (sopa de pasta de soja fermentada), yakizakana (anchova grelhada), inhame nikorogashi (cozido), kinpira gobo (bardana refogada) com gergelim, tsukemono (conversa de pepino com gengibre e pimenta) e a sobremesa oshiruko (feijão azuki com açúcar servido com dango). “Aprendi a cozinhar ainda menina, com minha mãe”, afirma a cozinheira Marlene Fukushima, proprietária do buffet Hanayori, que ministra a Oficina. “Agora quero passar esse conhecimento adiante”. A próxima Oficina de Comida Japonesa Caseira, que vai ensinar os 7 pratos, acontece neste domingo, 22.

“Essas receitas foram se perdendo com o passar do tempo e a Oficina me proporcionou esse resgate”, afirma Ana Lúcia Oba, que levou a filha Ana Flávia para fazer a oficina. “Lembrei da comida da minha avó”, confirma Ana Flávia. Todos os participantes ajudam a preparar as receitas e, no final, fazem um almoço de confraternização.

“Eu também pretendo ensinar as receitas para as minhas filhas”, afirma Erika Iwasa, que realizou a oficina.

A jornalista Marianne Nishihata, que escreveu o livro Amor Entre Guerra (Editora Planeta), sobre uma história de amor entre uma “gaijin” e um imigrante japonês durante a Segunda Guerra, diz que a oficina ajuda a manter viva a memória de uma cultura ancestral. “Além do resgate das raízes, a oficina é muito prática porque aprendemos dicas e truques para preparar os pratos, como colocar saquê para temperar o peixe”.

 

Chef Fukushima: “Quero passar esse conhecimento adiante”. Divulgação

 

Momento zen – A monja zen budista Waho, discípula da monja Coen, faz uma participação especial durante a Oficina do dia 22 de outubro. Ela realiza uma conversa sobre o significado do ato de comer. Existe uma máxima que diz: “somos aquilo que comemos”. E os japoneses levam esse conceito a sério. A comida caseira é um dos segredos da longevidade e saúde dos japoneses.

A ideia da oficina é proporcionar uma experiência gastronômica lúdica e didática. Mesmo quem não tem experiência vai ser capaz de participar. Todos vão manipular os ingredientes e aprender o passo a passo dmodo de preparo. Ao final, os pratos serão compartilhados em um almoço de confraternização.

A cozinheira Marlene Fukushima promete dar dicas e ensinar truques. Mesmo o preparo de um simples arroz japonês, que não utiliza temperos, tem seus segredos na hora do cozimento. Até a quantidade de água varia, conforme o tipo de arroz. De cada um dos pratos, a cozinheira vai ensinar o caminho das pedras. Além disso, ela vai mostrar em quais recipientes cada prato deve ser servido. A escolha e onde comprar os ingredientes também está previsto na oficina. “Pode vir que vai ser divertido”, diz.

 

 

OFICINA DE COMIDA JAPONESA CASEIRA

22 de outubro, das 8h às 13h

Onde: Rua 1º de Janeiro, 53 – Vila Clementino (ao lado do metrô Santa Cruz)

Valor: R$ 290 (inclui apostila de receitas, ingredientes e almoço)

Inscrições: cursos@kaminaricomunicacao.com.br

Whats App: 97130-3335

Ou vendas online – https://comidacaseira.eventbrite.com

 

 


 

 

Cardápio

Gohan (arroz japonês)

Missoshiru (sopa de soja)

Yakizakana (peixe grelhado) de anchova

Tsukemono (conserva de pepino com gengibre e pimenta)

Inhame nikorogashi

Kinpira gobo (bardana) com gergelim

Sobremesa: oshiruko (feijão azuki com açúcar servido com dango)

 

Related Post

HAICAI BRASILEIRO O Jornal Nippak publica aqui os haicais enviados pelos leitores. Haicai é um tipo de poema que se originou no Japão. Seu maior expoente é Matsuo Bashô...
SOCIAL: 14º OKINAWA FESTIVAL 14º OKINAWA FESTIVAL - Realizado pela Associação Okinawa Vila Carrão nos dias 6 e 7, no CEE Vicente Ítalo Feola (zona Leste da Capital), o Okinawa Fes...
KARAOKÊ: Instituto Cultural Nipo-Brasileiro se pre...   Os preparativos para a realização da maior festa da canção japonesa estão a todo o vapor e as atenções estarão voltadas para Campinas (SP), ...
KARAOKÊ: Paulistão deve reunir cerca de 600 cantor... A maior festa do karaokê  paulista já tem data e local marcados. Trata-se do Concurso de Karaokê do Estado de São Paulo,mais conhecido como “Paulistão...

Faça seu comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *