COMUNIDADE: Associação Okinawa do Carandiru celebra sucesso da Festa Japonesa

No último domingo, 9, a AOC – Associação Okinawa do Carandiru, uma das recentes associações nikkeis da zona norte da Capital, realizou a sua 7ª Festa Japonesa na sede social da entidade, situada na rua Aldeia Vinte de Setembro, 70, na Vila Gustavo. Objetivo: angariar fundos para a manutenção da associação, que no próximo mês completa o primeiro aniversário na nova sede, que foi totalmente reformada.

 

Rick Akio, vocalista da Banda Uchina. Foto: Osmar Maeda

Rick Akio, vocalista da Banda Uchina. Foto: Osmar Maeda

 

Como sempre, a festa contou com a participação de inúmeros de colaboradores e voluntários que desde as primeiras horas do domingo trabalharam na arrumação e decoração do salão e no preparo de comidas e pratos típicos.

Quem gostou e aprovou o clima festivo foram os associados, familiares e amigos que dispunham de uma ampla área para assistir às apresentações de música, dança e show da Banda Uchiná, que utiliza semanalmente as dependências da AOC para ensaios.

 

Dança típica okinawana. Foto: Osmar Maeda

Dança típica okinawana. Foto: Osmar Maeda

 

Debora Iha, vocalista da Banda Uchina. Foto: Osmar Maeda

Debora Iha, vocalista da Banda Uchina. Foto: Osmar Maeda

Na cozinha, uma valorosa equipe de mulheres se revezava na elaboração de quitutes e iguarias como yakissoba, tempura, karê e batata frita.

No intervalo da programação, o apresentador anunciou a presença de convidados como a do jornalista Osmar Maeda, assessor do deputado estadual Hélio Nishimoto (PSDB), que estava acompanhado de Toshiaki Tamae, conhecido dirigente da ACE Okinawa Santa Maria.

No seu discurso, o presidente Koshin Chinen falou da alegria em poder realizar a 7ª Festa Japonesa da Associação Okinawa do Carandiru na nova sede social, sonho antigo de todos os dirigentes e associados.

Estiveram presentes também na festa o deputado estadual Jooji Hato (PMDB), o vereador George Hato (PMDB) e Paulo Akinaga, amigo e dirigente da ACE Campo Limpo.

 

George Hato, Nobu Chinen, Koshin Chinen, Jooji Hato e Vitorio Yabiku. Foto: Osmar Maeda

George Hato, Nobu Chinen, Koshin Chinen, Jooji Hato e Vitorio Yabiku. Foto: Osmar Maeda

 

Futebol – Fundada em 1971, a AOC talvez seja a única associação nikkei do Brasil surgida de um time de futebol, conta Willian Iha, dirigente e ex-jogador.

 

Time da AOC (Associação Okinawa do Carandiru). Foto: Osmar Maeda

Time da AOC (Associação Okinawa do Carandiru). Foto: Osmar Maeda

 

A zona norte, em especial os bairros do Carandiru, Jaçanã e Vila Gustavo começaram, no final da década de 60, a receber as primeiras famílias okinawanas vindas de Ilha Grande (RJ), onde mantinham fábricas de sardinha.

Com o declínio dessa atividade, famílias como Chinen, Nakamashi, Iha, Minei, Tonaki, Kora e Moromizato se mudaram para São Paulo, onde iniciaram na atividade do comércio, em especial de pastel. Nas horas vagas, o lazer e diversão desse pessoal era o futebol, esporte preferido da maioria.

 

Osmar, Koshin Chinen e Toshiaki Tamae. Foto: Osmar Maeda

Osmar, Koshin Chinen e Toshiaki Tamae. Foto: Osmar Maeda

 

Alguns membros dessas famílias relutaram em deixar Ilha Grande e abriram pousadas para receber familiares e turistas.

“Foi um período muito bom. Mandávamos nossos jogos no campo do São Sebastião, ao lado do aterro sanitário, onde hoje funciona o Center Norte”, conta William que era atacante do time.

As primeiras reuniões foram feitas na casa dos dirigentes e sedes alugadas. Alguns anos depois, com a melhora financeira das famílias, um grupo de abnegados dirigentes, com a ajuda das famílias, adquiriu, em 1985, um terreno na rua Aldeia Vinte de Setembro, endereço atual. Nesse local,, coberto por lona e madeira, passamos a fazer nossas festas e reuniões.

 

Taça de Okinawa. Foto: Osmar Maeda

Taça de Okinawa. Foto: Osmar Maeda

 

No auge, o time conquistou três títulos do Torneio Okinawa do Brasil e ainda disputou o Torneio Municipal de Angra dos Reis, representando a comunidade nipo-brasileira no Rio de Janeiro.

Em 1987, fizemos um jogo histórico com a seleção de Okinawa. Perdemos por 1 x 0, mas o jogo foi feito para uma troca de taças”, conta Willian, que junto com outros colegas do time da época (o lateral direito Carlos Roberto Minei e o zagueiro Oswaldo Moromizato) faz questão de exibir.

O ponto de encontro da turma era o campo de futebol. Com o passar do tempo, algumas pessoas começaram a sugerir que abríssemos uma sede social onde pudéssemos reunir, comemorar e estreitar o contato entre as famílias.

Por muitos anos, esse terreno funcionou como sede de nossa associação. Até o dia em que o nosso presidente Koshin Chinen assumiu a responsabilidade de construir uma sede para a nossa associação.

 

Vista do salão. Foto: Osmar Maeda

Vista do salão. Foto: Osmar Maeda

 

Depois de alguns anos, com o apoio de associados, familiares e amigos, em novembro de 2015, a AOC – Associação Okinawa do Carandiru ganhou uma bonita e confortável sede social.

Atualmente, o time de futebol da AOC – Associação Okinawa do Carandiru treina e manda seus jogos no campo da Associação Atletica Guapira (www.clubeguapira.com.br), na zona Norte.

 

(Colaborou: Osmar Maeda)

 

Related Post

NO DIA 20 DE MARÇO: Lumi Toyoda ministra curso sob... Lumi Toyoda, consultora empresarial, pesquisadora e especialista em cultura, comportamento e gastronomia japonesa, com mais de 40 anos de experiência ...
CURITIBA/CINEMA: Cinemateca de Curitiba homenageia... No ano do centenário do nascimento do diretor Keisuke Kinoshita, o Consulado Geral do Japão em Curitiba juntamente com a Fundação Japão e com a Cinema...
ESPETÁCULO: 16ª Melodias Imortais apresenta cançõe... Com realização do Grupo The Friends e apoio da Fundação Kunito Miyasaka, Bistrô Kazu, Cris Metal, Band e Nikkey Shimbum/Jornal Nippak, acontece neste ...
NATSU MATSURI 2015 Onde: Assoc. Hokkaido de Cult.e Assist. (Rua Joaquim Tavora 605, V Mariana, próx. Estação Ana Rosa) Dia 22/03/2015 Horário: das 10h às 18h In...

One Comment

  1. Bela história de Vencedores: SUCESSO para Associação Okinawa de Carandiru!!!

Faça seu comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *