COMUNIDADE: Em homenagem na AOKB, Akeo Yogui diz que ‘muita gente ainda confunde Enkyo com Bunkyo’

A Associação Okinawa Kenjin do Brasil e o Centro Cultural Okinawa do Brasil realizaram no último dia 18, na sede da AOKB, no bairro da Liberdade, em São Paulo, evento para comemorar a ascensão de Akeo Yogui à Presidência do Enkyo (Beneficência Nipo-Brasileira de São Paulo), ocorrido em janeiro deste ano.

 

Em homenagem na Associação Okinawa Kenjin do Brasil, Akeo Yogui destaca trabalho do Enkyo. Foto: Jiro Mochizuki

 

Além da Diretoria das entidades organizadoras, entre eles Eiki Shimabukuro e Tério Uehara, respectivamente, presidente e vice-presidente da AOKB, estiveram presentes os deputados federais Walter Ihoshi (PSD-SP) e Keiko Ota (PSB-SP); os deputados estaduais Hélio Nishimoto (PSDB), Jooji Hato (PMDB) e Pedro Kaká (PTN) e o vereador Ota (PSB), além de Ushitaro Kamia (suplente), a presidente do Bunkyo (Sociedade Brasileira de Cultura Japonesa e de Assistência Social), Harumi Goya; o presidente da Aliança Cultural Brasil-Japão, Yokio Oshiro e o ex-presidente da Associação para a Comemoração do Centenário da Imigração Japonesa no Brasil, professor Kokei Uehara, entre outros, totalizando cerca de 400 convidados.

 

Homenagem a Akeo Yogui reuniu cerca de 400 pessoas na Associação Okinawa Kenjin do Brasil

 

Antes de assumir a Presidência do Enkyo – entidade fundada em 28 de janeiro de 1959 por um grupo de 32 representantes da comunidade japonesa, cujo foco principal era o de oferecer assistência aos imigrantes do pós-guerra – Akeo Yogui ocupou diversos cargos em outras entidades e associações, como na Associação Cultural e Esportiva Okinawa Santa Maria (onde foi vice-presidente, em 1996 e 1997; presidente, de 1998 a 2001 e desde 2001 é membro do Conselho Consultivo); na própria Associação Okinawa Kenjin do Brasil (onde foi Diretor de 1994 a 1998; vice-presidente de 1999 a 2004, presidente de 2005 a 2011 e atualmente é presidente do Conselho Deliberativo); no Kenren –  Federação das Associações de Províncias do Japão no Brasil (onde foi vice-presidente de 2005 a 2007, presidente de 2008 a 2011 e atualmente exerce o cargo de Conselheiro Especial) e no Bunkyo (onde ocupou o cargo de diretor de 2011 a 2015 e e desde 2011 é Membro do Conselho Deliberativo).

 

Akeo Yogui também foi homenageado pela Assembleia Legislativa

 

Familiaridade – No Enkyo, onde está desde 2005, já ocupou diversos cargos, como presidente da Comissão Administrativa do Yassuragui Home, presidente do Hospital Nipo-Brasileiro e vice-presidente do Enkyo (por 6 seis anos). Sua familiaridade com a entidade pôde ser constatada em seu discurso, em que fez um breve relato sobre a história do Enkyo sem precisar ler.

 

Akeo Yogui com convidados durante evento em sua homenagem na AOKB

 

“Conheço bastante porque, no fundo, no fundo, a minha ideia era, uma vez terminada a minha gestão no Kenren, encerrar a minha missão como diretor de entidades”, disse o homenageado em entrevista ao Jornal Nippak. “Mas, como era a nível de assistência social, não consegui falar não ao chamamento e as coisas foram acotecendo. Primeiro,  como diretor. Depois, como vice-presidente, até à primeira vice-presidente. E aí não teve jeito”, explicou Yogui, que fez questão de agradecer sua esposa, Maria Iroko Uehara Yogui, os filhos (Akehiro casado com a Bruna; Sayuri casada com o Thiago e Alan com a Elisa) e os netos (Enzo, Mie e Hideki), de quem recebeu um buquê de flores.

 

Eiki Shimabukuro e Akeo Yogui

 

Natural da cidade de Pacaembu (SP), Yogui disse que assumir a Presidência do Enkyo é uma “uma missão e uma responsabilidade porque no Brasil as áreas de assistência e de saúde são muito carentes”.

 

Akeo Yogui: “As pessoas ainda confundem Enkyo com Bunkyo”

 

Desafios – “Nós estamos vivendo um momento muito difícil. Todos estão acompanhando como está o atendimento aos idosos. O país está envelhecendo cada vez mais e o Brasil não está preparado para dar uma assistência digna aos nossos idosos. E nossa missão é tentar melhorar um pouco mais esse quadro. E para isso espero contar com a ajuda de todos”, destacou Yogui, admitindo que ficou “surpreso” com a presença de “tantas pessoas ilustres”.

 

Akeo Yogui com a Dra Lúcia Yoshida, do Hospital Nipo-Brasileiro

 

“Tenho plena consciência que minha eleição para a Presidência do Enkyo não foi fruto de um trabalho individual e muito menos por mérito pessoal. Foi fruto de um esforço conjunto dos meus companheiros e Diretoria do Enkyo, dos colaboradores, superintendente e médicos do Hospital Nipo-Brasileiro, além do apoio de todos vocês e de outros tantos que não puderam estar presente”, disse o homenageado, acrescentando que sua primeira missão à frente do Enkyo será o de dar prosseguimento ao trabalho que vem sendo desenvolvido ao longo dessas quase seis décadas.

 

Akeo Yogui com a esposa, Maria Iroko e os netos

 

Confusão – “Desde a sua fundação, muitos diretores trabalharam para que esta entidade crescesse e se tornasse o que é hoje, uma realidade dentro da comunidade nipo-brasileira”, disse Yogui, afirmando que, apesar disso, “muita gente ainda confunde Enkyo, com Bunkyo, com Ikoi-no-Sono, com Kodomo-no-Sono e com Kibô-no-Iê”.

 

Jooji, Yokio, Eiki, Akeo, Walter, Kamia, Hélio, Pedro, Tério (da esq. para a direita)

 

Vista do salão da AOKB, que ficou lotado

“Cada uma dessas entidades tem sua própria Diretoria e são entidades co-irmãs”, destacou Yogui. Segundo ele, desde sua fundação, o Enkyo não só cresceu como também ampliou seus serviços. Hoje, conta, a atuação pode ser dividida em dois grandes setores: o da área social e a área da saúde. “Na assistência social nós temos o Centro de Convivência do Idoso, as Casas de Repouso e o Centro de Ação Social. Na área de Saúde temos a assistência médica móvel (Junkai) – serviço criado em 1960 que realiza consultas e exames à pessoas da comunidade da Capital, Grande São Paulo e cidades do interior paulista, conscientizando e orientando o público atendido sobre doenças crônicas, saúde e nutrição –, temos ainda aquele que é o mais conhecido, o Hospital Nipo-Brasileiro  – que muitos pensam que fica em Guarulhos quando na verdade está localizado no Parque Novo Mundo, ainda dentro da Capital – o outro hospital em São Miguel Arcanjo, o Centro Médico Liberdade, o Ambulatório Médico e o Projeto de Integração Pró-Autista (Pipa)”.

 

Terio Uehara, vice-presidente da Associação Okinawa Kenjin

 

“Todas as unidades do Enkyo melhoraram muito graças ao trabalho e apoio de todos. No entanto, temos consciência que devemos trabalhar mis para proporcionar um atendimento digno a todos que nos procuram”, ressaltou Yogui.

 

Walter Ihoshi, Akeo Yogui e Ushitaro Kamia

 

Deputado estadual Pedro Kaká

 

Incentivo – Em seus discursos, os deputados estaduais Hélio Nishimoto, Pedro Kaká e Jooji Hato, e a deputada federal Keiko Ota parabenizaram o homenageado. Também presente à cerimônia, o deputado federal Walter Ihoshi lembrou que “o Akeo Yogui é desta casa”. “Ele foi um grande líder da nossa comunidade e que agora retoma essa liderança como presidente do Enkyo. Então, a comunidade okinawana faz esta justa homenagem e que serve de incentivo para que ele cumpra sua missão como presidente do Enkyo”, destacou Ihoshi.

 

Harumi Goya: “Só falta o Bunkyo”

 

Deputado estadual Hélio Nishimoto

 

Já a presidente do Bunkyo falou sobre sua admiração pela capacidade de empreendedorismo e realização de Akeo Yogui. Harumi Goya destacou os desafios que o novo presidente terá pela frente mas que tem “plena segurança de que as qualidades demonstradas por Yogui ao longo deste anos, tanto na Associação Okinawa Kenjin do Brasil como no Kenren, são mais que suficientes para fazer a entidade prosseguir em sua bem sucedida trajetória”.

 

A deputada federal Keiko Ota e o vereador Ota

 

Deputado estadual Jooji Hato

 

E finalizou seu discurso com uma “pequena colocação”. “Akeo, você já foi presidente do Okinawa Kenjinkai, do Kenren e agora do Enkyo. Só está faltando o Bunkyo para completar”, disse Harumi Goya.

 

Eiki Shimabukuro: “Como uma estrela”

 

Estrela – Para o presidente da AOKB, Eiki Shimabukuro, “parece que o Akeo Yogui nasceu para servir a sociedade e as outras pessoas”. “Por onde passou, ele deixou um grande legado, sendo um orgulho para todos nós nikkeis e um exemplo para os jovens. Uma estrela que brilha para mostrar o caminho”, disse Shimabukuro.

 

 

 

 

*Fotos: Aldo Shiguti e Jiro Mochizuki

ALDO SHIGUTI

ALDO SHIGUTI

Redator-chefe
ashiguti@uol.com.br
ALDO SHIGUTI

Últimos posts por ALDO SHIGUTI (exibir todos)

    Related Post

    SOCIAL: Vencedor do concurso que escolheu a logoma... 120 ANOS – Vencedor do concurso que escolheu a logomarca dos 120 Anos do Tratado de Amizade, Comércio e Navegação Brasil-Japão, Bruno Hitoshi Teruia r...
    ATIBAIA: 36ª edição da Festa de Flores e Morangos ... O Parque Municipal Edmundo Zanoni já está recebendo os últimos retoques para a realização da 36ª edição da Festa de Flores e Morangos de Atibaia, que ...
    CARNAVAL: Os Tempos Áureos dos Carnavais de Salão ...   Quem diz que japonês não gosta de folia, está enganado. Nas décadas de 1960 até o final de 2006 os tradicionais bailes de carnaval de sal...
    SOCIAL: Itaquera recebe “Boi no Rolete Benef... Domingo especial e ensolarado na Sede da Associação Pró-Excepcionais Kodomo-No-Sono para a realização do famoso e tradicional Boi no Rolete com aprese...

    Faça seu comentário

    O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *