COMUNIDADE: Governo japonês homenageia Tomoshiro Kojima e Sedi Hirano

O governo japonês realizou, no último dia 8, cerimônia de outorga dos Condecorados de Outono. Pela jurisdição do Consulado Geral do Japão em São Paulo, foram homenageados Tomoshiro Kojima, de Mogi das Cruzes, com a Ordem do Sol Nascente, Raios de Ouro e Prata; e Sedi Hirano, professor da USP, condecorado com a Ordem do Sol Nascente, Raios de Ouro e Laço. A solenidade de outorga foi realizada na residência oficial do cônsul geral do Japão em São Paulo, no bairro do Morumbi (zona Sul de São Paulo), e contou com a presença de diversas personalidades e autoridades, entre elas o cônsul geral Takahiro Nakamae, além de amigos e familiares dos homenageados.

 

Sedi Hirano e Tomoshiro Kojima com esposas (sentados) e autoridades em evento no Bunkyo (Foto: Jiro Mochizuki)

Sedi Hirano e Tomoshiro Kojima com esposas (sentados) e autoridades em evento no Bunkyo (Foto: Jiro Mochizuki)

 

À noite, as principais entidades nipo-brasileiras organizaram uma cerimônia no Salão Nobre do Bunkyo (Sociedade Brasileira de Cultura Japonesa e de Assistência Social) que contou com a participação de lideranças da comunidade nikkei. Estiveram presentes também representantes do meio acadêmico.

Em seu discurso, a presidente do Bunkyo destacou que “este é um momento em que compartilhamos, com os familiares, amigos e vários setores da comunidade, o reconhecimento aos nossos condecorados por toda contribuição deles à sociedade e que materializa nestas condecorações”. “Homenageamos hoje duas personalidades de trajetórias distintas. No entanto, cada uma ao seu modo, trabalhou ativamente para o bem-estar da comunidade e para a valorização da educação e cultura”, explicou Harumi Goya, que parabenizou os homenageados em nome das entidades co-promotoras.

 

Tomoshiro Kojima, familiares e convidados na residência do cônsul (Foto: Jiro Mochizuki)

Tomoshiro Kojima, familiares e convidados na residência do cônsul (Foto: Jiro Mochizuki)

 

Colaboração solidária – Formado em Ciências Sociais pela USP em 1964, o professor Sedi Hirano agradeceu a esposa, Toshimi Kojima, os filhos, Ana Cristina, Ana Helena, Ana Carolina, Luis Afonso, Ana Paula e Luis Felipe; os genros, Sergio Tamashiro e Fernando Mota;  e a nora, Tatiana Lotierzo Hirano. Fez uma menção especial aos pais, Yoshitaro e Chino, e aos sogros, Takao Kojima e Aiko Kojima, que “juntos me transmitiram a essência da cultura japonesa”.

Sedi Hirano, que na área de Ciências Humanas galgou os mais altos postos da carreira universitária, tendo sido agraciado, em 2010, com o título de Professor Emérito da USP, a maior honraria hoje existente no meio acadêmico – explicou que a comenda “é resultado da colaboração solidária de inúmeras pessoas, que contribuíram para dinamizar e potenciar meu itinerário, que foi robustecida pelos valores que recebi de meus pais, de minha família, da comunidade científica uspiana, dos contatos gratificantes com as universidades do Japão, da Europa e das Américas”.

 

Sedi Hirano, familiares e amigos na residência do cônsul (Foto: Jiro Mochizuki)

Sedi Hirano, familiares e amigos na residência do cônsul (Foto: Jiro Mochizuki)

 

“Tudo aconteceu dentro da estrutura social e cultural da sociedade brasileira, que possibilita ao caminhante, enquanto indivíduo, alcançar os vários mundos do conhecimento, em suas diversas áreas e perpectivas”, disse Hirano, que chegou a lecionar na Universidade de Tenri no Japão e em 2003 recebeu o Prêmio Cientista Nikkei outorgado pela Comissão de Fundo Bunka de Pesquisa Banco Mitsui Sumitomo do Bunkyo.

“Faço parte deste universo, que compartilho de foma enriquecedora com professores da USP e de universidades japonesas, sem as quais não seria possível insertar convênios, organizar seminários e simpósios que culminaram no intercâmbio institucional e no fortalecimento das relações de amizade entre Brasil e Japão”, destacou Hirano.

 

ALDO SHIGUTI

ALDO SHIGUTI

Redator-chefe
ashiguti@uol.com.br
ALDO SHIGUTI

Últimos posts por ALDO SHIGUTI (exibir todos)

     

     


     

     

    TOMOSHIRO KOJIMA

    Comenda Ordem do Sol Nascente, Raios de Ouro e Prata (Kyokujitsu So-ko-sho)

     

    O cônsul Takahiro Nakamae, Tomoshiro Kojima e esposa (Foto: Jiro Mochizuki)

    O cônsul Takahiro Nakamae, Tomoshiro Kojima e esposa (Foto: Jiro Mochizuki)

     

    Tomoshiro Kojima, de 82 anos, residente em Mogi das Cruzes (SP), exerceu durante 14 anos a presidência bem como a diretoria do Centro Cultural e Esportivode Mogi das Cruzes e é um grande incentivador das entidades de assistência social da comunidade nipo-brasileira e das atividades de grupos jovens de “wadaiko”.

    Durante o seu mandato como 5º vice-presidente da associação, contribuiu para a construção da Escola Modelo da Língua Japonesa e ainda para o sucesso do Festival de Outono.

    Exerceu ainda, durante 10 anos, o cargo de presidente da Associação Fukushima Kenjin do Brasil, e contribuiu na estruturação de estágios para estudantes do ensino médio nas atividades em prol das vítimas do Grande Terremoto do Leste do Japão, na manutenção do memorial em homenagem a Noguchi Hideyo, no intercâmbio entre o Japão e o Brasil e, ainda, na divulgação da cultura japonesa.

     

     


     

     

    SEDI HIRANO

    Comenda Ordem do Sol Nascente, Raios de Ouro com Laço (Kyokujitsu Chuju-sho)

    O cônsul Takahiro Nakamae, Sedi Hirano e esposa (Foto: Jiro Mochizuki)

    O cônsul Takahiro Nakamae, Sedi Hirano e esposa (Foto: Jiro Mochizuki)

     

    Sedi Hirano, 77 anos, residente em São Paulo, é um dos principais sociólogos do país e por dois anos, de 2005 a 2007, exerceu o cargo de pró-reitor de Cultura e Extensão da Universidade de São Paulo (USP). Em 2010, recebeu o título de Professor Emérito da USP.

    Contribuiu para o avanço do intercâmbio acadêmico entre o Japão e o Brasil, tendo sido professor-visitante na Universidade de Tenri entre os anos de 1995 e 1997. Em 2007, exerceu o cargo de presidente da Comissão Organizadora do Centenário da Imigração Japonesa da Universidade de São Paulo, e por essa contribuição, em 2008, foi homenageado com o Reconhecimento pelo ministro dos Negócios Estrangeiros do Japão em Comemoração ao Centenário da Imigração Japonesa.

    Entre os anos de 2008 e 2013, contribuiu na pesquisa sobre a imigração japonesa de um projeto entre a Universidade de Osaka e a USP. Ainda, desde 2008 até o presente momento, participa como coordenador brasileiro do projeto de formação de pesquisadores com a Universidade de Sophia.  Em 2013, intermediou a assinatura do memorando de cooperação entre as instituições de pesquisa do Japão e da Fapesp (Fundação de Amparo à Pesquisa do Estado de São Paulo).

     

     

    ALDO SHIGUTI

    ALDO SHIGUTI

    Redator-chefe
    ashiguti@uol.com.br
    ALDO SHIGUTI

    Últimos posts por ALDO SHIGUTI (exibir todos)

       

       

      Faça seu comentário

      O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *