COMUNIDADE: Jantar e lançamento de livro marcam início das comemorações do Jubileu de Diamante do Bunkyo

O Bunkyo – Sociedade Brasileira de Cultura Japonesa e de Assistência Social – deu início às comemorações do seu 60º aniversário de fundação com a realização, no último dia 13, do Jantar de Confraternização e do lançamento do livro “60 Anos de Bunkyo: Passado, Presente e Futuro”. A cerimônia aconteceu no Espaço Multiuso da entidade para cerca de 450 convidados, que pagaram R$ 250,00 pelo convite. Estiveram presentes o cônsul geral adjunto do Consulado Geral do Japão em São Paulo, Hiroaki Sano; os deputados federais Walter Ihoshi (PSD-SP) e William Woo (PV-SP); o deputado estadual Hélio Nishimoto (PSDB); o vereador Aurélio  Nomura (PSDB); o presidente do Enkyo (Beneficência Nipo-Brasileira de São Paulo), Yoshiharu Kikuchi, e o presidente do Kenren (Federação das Associações de Províncias do Japão no Brasil), Mikisa Motohashi, além da diretoria do Bunkyo, representada pelo presidente Kihatiro Kita, o presidente do Conselho Deliberativo, Kiyoshi Harada; o presidente do Conselho Superior de Apoio e Orientação, Hatiro Shimomoto, e o presidente honorário da entidade, professor Kokei Uehara.

 

Kita

Kihtairo Kita e Kiyoshi Harada entregam o primeiro exemplar ao cônsul adjunto, Hiroaki Sano (foto: Jiro Mochizuki)

 

Também marcaram presença o presidente do Hospital Santa Cruz, Renato Ishikawa; o presidente e o 1º vice da Associação Okinawa Kenjin do Brasil, respectivamente, Eiki Shimabukuro e Hiroharu Takayasu; o presidente da Associação Okinawa Vila Carrão, Tério Uehara, o presidente da Acal (Associação Cultural e Assistencial da Liberdade), Hirofumi Ikesaki; o ministro aposentado do Superior Tribunal de Justiça, Massami Uyeda, o juiz de Direito Marcus Onodera, o presidente do Bunkyo de Mogi das Cruzes, Kiyoji Nakayama e o cantor Joe Hirata.

 

Harada

Kiyoshi Harada: “Homenagem aos pioneiros” (foto: Jiro Mochizuki)

 

Heróis – Coordenador do livro, Kiyoshi Harada abriu seu pronunciamento esclarecendo que a ideia da obra foi marcar a passagem da data, além de celebrar os 120 Anos do Tratado de Amizade, Comércio e Navegação Brasil-Japão e também prestar uma homenagem à final da gestão do atual presidente, Kihatiro Kita, que em abril encerra seu terceiro mandato.

Àqueles que não tiverem tempo de ler toda a obra, Harada sugeriu uma rápida passagem pela apresentação. Segundo ele, o livro, que conta com a colaboração de 24 autores, “é fruto de reflexões profundas, que rememoram desde múltiplas atividades simultaneamente desenvolvidas até os dias atuais, sempre na vanguarda dos principais eventos comemorativos da comunidade que hoje constitui a chamada sociedade nipo-brasileira”.

“O principal objetivo desta obra consiste em situar, com justiça, o Bunkyo como entidade central da soceidade nipo-brasileira, bem como o de apontar uma sólida visão prospectiva alicerçada em seus três pilares – o Administrativo, o Social/Cultural e o de Relacionamento, que asseguram a continuidade de sua missão principal de promover o intercâmbio sociocultural entre o Brasil e o Japão”, assinala Harada, explicando que o livro aborda, em 12 capítulos interligados, os mais diversos aspectos do Bunkyo, desde sua fundação, nos idos de 1955, até os dias atuais.

A publicação, conta Harada, não relata apenas os fatos que marcaram a entidade aos longo desses 60 anos, mas procura também homenagear os imigrantes pioneiros, a quem o jusrista chamada de “verdadeiros heróis que construíram a grandeza do Bunkyo”.

 

Ihoshi

Walter Ihoshi: “Hoje o Bunkuo é uma referência” (Foto: Aldo Shiguti)

 

Modernização – Para Harada, “mais do que uma simples edição comemorativa, a obra servirá de registro histórico da entidade central dos nipo-brasileiros para que as gerações futuras possam dela extrair seus conhecimentos e dar continuidade a essa importante missão de prosseguir com o intercâmbio cultural Brasil-Japão, uma via de mão dupla, que haverá de subsistir enquanto os dois países continuarem unidos pelos tradicionais laços de amizade”.

 

 

(Foto: Jiro Mochizuki)

O vereador Aurélio Nomura comandou o brinde (Foto: Jiro Mochizuki)

 

Modernização – Já Kihatiro Kita destacou as obras de modernização da entidade, cuja finalidade é “proporcionar mais conforto aos usuários e, ao mesmo tempo, atender às normas de segurança”. De acordo com o presidente do Bunkyo, a união de todas as entidades nipo-brasileiras nessas seis décadas tem sido “energia vital para o engrandecimento do Bunkyo”.

O cônsul Hiroaki Sano destacou a importância do livro afirmando que “conhecendo o passado podemos avançar no futuro para melhorar as relações com o Japão e também com a própria comunidade nipo-brasileira”. Segundo ele, Brasil e Japão vivem um momento importante iniciado em 2014 com a visita do primeiro-ministro japonês Shinzo Abe e também com a atuação do embaixador do Japão no Brasil, Kunio Umeda. “Nesse contexto, o Bunkyo tem uma importante missão a cumprir”, destacou Sano.

O deputado federal William Woo e o presidente do Conselho Superior de Apoio e Orientação, Hatiro Shimomoto, também destacaram a importância de se comemorar os 60 anos do Bunkyo. “Nesses 60 anos, o Bunkyo transmitiu não só boas notícias da comunidade nikkei como também notícias daqueles que nos deixaram. E como homem público, rendo minhas homenagens a esses pioneiros”, disse Woo.

 

(Foto: )

Apresentação do Kaito Shamidaiko de Taubaté (Foto: Jiro Mochizuki )

 

 

Referência – Autor do requerimento que concedeu voto de Júbilo e congratulações ao lançamento do livro 60 Anos de Bunkyo, o vereador Aurélio Nomura disse que “é extremamente importante” comemorar o Jubileu de Diamante do Bunkyo. “Parabenizo também o coordenador da obra, o jurista Kiyoshi Harada pelo lançamento do livro, que mantém acesa a chama daqueles pioneiros da imigração japonesa, principalmente num momento difícil como esse que atravessamos, não só com a iminência de uma grave crise política, mas que também aprofunda a questão do resgate das virtudes  que nós herdamos dos nossos maiores”. “Temos que ter união para colocarmos o Brasil novamente no trilho que todos nós almejamos”, disse Aurélio.

Discursando em nome dos políticos presentes, o deputado federal Walter Ihoshi lembrou a luta dos primeiros imigrantes, que se confunde com a fundação do Bunkyo. Para o parlamentar, cada uma das diversas comissões da entidade exercem um papel fundamental na preservação dessa história. “Hoje, o Bunkyo se tornou uma referência não só para a comunidade nipo-brasileira como também para a sociedade brasileira, contribuindo para estreitar cada vez mais os laços de amizade entre o Japão e o Brasil”, assegurou Ihoshi.

 

(Aldo Shiguti)

Redação

Redação

nippak@nippak.com.br
Redação

Últimos posts por Redação (exibir todos)

Related Post

COMUNIDADE: 32º Akimatsuri prossegue neste fim de ... Principal evento da comunidade nipo-brasileira do Alto Tietê e região, o Akimatsuri – Festival de Outono – atraiu cerca de  30 mil pessoas no primeiro...
GOLFE: João Paulo da Silva e Giovanna Yabiku sagra...   Competição disputada neste fim de semana reuniu 30 jogadores no Itapeva Golfe Clube   A Federação Paulista de Golfe – FPG organizou n...
ÉTICA E TRANSPARÊNCIA: DIRETOR DO RINRI INSTITUTE ... Este é o tema da palestra internacional promovida pelo Instituto Rinri do Brasil, nesta sexta-feira (2), às 19h. O evento será realizado no Nikkey Pal...
BEISEBOL: Osvaldo Hideo Aisawa recebe homenagens Por ocasião da realização do Campeonato Brasileiro de Beisebol Interclubes Veteranos “65 Anos” realizado nos dias 16 e 17, no Estádio Muncipal de Beis...

Faça seu comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *