COMUNIDADE: ‘Limpeza’ de monumento doado pelo Brasil relembra os 40 anos da devolução de Okinawa

A comunidade okinawana que reside no Brasil esteve representada nas comemorações dos 40 anos da devolução da ilha de Okinawa para o Japão através do presidente da Associação Okinawa Kenjin do Brasil (AOKB), Shinji Yonamine. A cerimônia oficial foi realizada no dia 15 de junho, no Centro de Convenções de Okinawa. Além do Brasil, estiveram presentes representantes das comunidades okinawanas da Argentina, Bolívia, Canadá, Filipinas, Havai, Los Angeles, México e Peru.

Shinji Yonamine (ao lado do governador de Okinawa) com os participantes do encontro (foto: divulgação)

 

“Foi um encontro formal. Tanto que o convite foi nominal e intransferível”, disse Yonamine, que antes de desembarcar na ilha passou antes por Paris, onde manteve contato com membros da comunidade de lá, entre eles a presidente da associação, Yoko Oshiro. “A comunidade okinawana na França deve ter uns 20 representantes e lá, como no resto da Europa, eles são referências, como professores de karatê ou artistas”, explicou Yonamine, que chegou em Okinawa a tempo de participar da limpeza do monumento instalado no jardim do Palácio do Governo de Okinawa., doado pela comunidade okinawana do Brasil em 1972 para comemorar a devolução de Okinawa ao Japão.

“Foi um momento marcante porque, na época, fortaleceu o espírito uchinachu e que foi resgatado agora através do Brasil”, disse Yonamine, lembrando que a Zaihaku Okinawa Kenjinkai (Associacao dos Provincianos de Okinawa no Brasil) então presidida por Mosei Yabiku enviou uma mensagem gravada em uma placa de pedras.

O monumento doado pelo Brasil quando do início da anexação (foto: divulgação)

Segundo Yonamine, foi um dos poucos eventos “espontâneos” em Okinawa para marcar a data. “Okinawa, em si, não festejou. Quase não se via movimento nesse sentido. Foi uma solenidade mais a nível governamental. Participaram da cerimônia realizada no Centro de Convenções os principais mandatários japoneses, como o primeiro-ministro Yoshihiko Noda”, disse o presidente da AOKB, que foi recebido em audiência pelo governador de Okinawa, Hirokazu Nakaiama.

Segundo Yonamine, Noda reafirmou o compromisso do governo japonês em renovar a ajuda para Okinawa por mais 10 anos. “Esses recursos têm contribuído para uma série de eventos, sejam eles estruturais ou sociais”, afirmou Yonamine que destacou, no entanto, a necessidade do governo japonês de dar mais atenção aos problemas de Okinawa.

Yonamine ajuda a limpar o monumento doado pela comunidade okinawana do Brasil (foto: divulgação)

 

 

A base militar dos EUA, conta, deve continuar provocando discussões por muito tempo. As tropas americanas não sairão de lá porque eles a consideram um ponto estratégico. Mas é um tema que compromete muito pois fortalece os grandes empreendimentos em detrimento da população local. A praia, por exemplo, é restrita aos turistas”, esclarece Yonamine, acrescentando que a unificação afetou o processo de integração com o Japão.

 

O selo comemorativo dos 40 anos (divulgação)

 

Raízes – “Okinawa tem se engajado com o foco de fortalecer o dialeto oficial do Japão, mas acabam esquecendo suas raízes. As próprias autoridades okinawanas já não falam mais o dialeto e ficam admirados quando nos ouvem falar”, explica, acrescentando que a tendência é o Japão fazer o caminho inverso, ou seja, uma volta às raízes. “E quando Okinawa descobrir que estava certa ao preservar suas tradições, já terá assimilado a integração e terá que redescobrir suas origens”, conta Yonamine.

“Hoje, o Japão vive num sistema verticalizado onde a maior preocupação é o isolamento, isto é, as dificuldades de relacionamento. Os japoneses tiveram uma experiência no ano passado, com a tragédia de 11 de março. Foi um baque porque o governo mentiu e as empresas também traíram a confiança já que muitos ficaram desempregados. O isolamento, talvez, faça com que as relações familiares voltem, algo que para os okinawanos é muito importante já que para os okinawanos a família é a base de sustentação”, observa Yonamine.

(Aldo Shiguti)

Redação

Redação

nippak@nippak.com.br
Redação

Últimos posts por Redação (exibir todos)

Related Post

JAPÃO: Idosos morrem engasgados com mochi   A tradicional massa de arroz adquire uma consistência pegajosa ao ser aquecida e pode ficar presa na garganta   Por Alternativa.co.jp...
ESPECIAL: Festival do Japão oferece uma viagem gas... Responsável pelo surgimento do Festival do Japão, que este ano chega a sua 18ª edição nesta sexta, sábado e domingo (dias 24, 25 e 26), no São Paulo E...
RIO NIKKEI: Movimentado 27/1/2013 na Rio Nikkei   Eleição de nova diretoria   Em 27 de janeiro foi realizada a AGO – Assembléia Geral Ordinária da Associação Nikkei do Rio de Jane...
EXPOSIÇÃO: Cristina Suzuki apresenta nova mostra n...   O Espaço Cultural da Biblioteca Nadir Kfouri, da PUC-SP, recebe até o dia 15 de dezembro, a exposição Coletâneas, da artista visual Cristina...

Faça seu comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *