COMUNIDADE: Para Nakamae, relação entre os dois países está mais madura

Se é verdade que a primeira impressão é a que fica, o novo cônsul geral do Japão em São Paulo, Takahiro Nakamae, tem tudo para conquistar a comunidade nipo-brasileira, a exemplo de seus antecessores, Kazuaki Obe e Noriteru Fukushima. Pelo menos é o que ficou claro na Cerimônia de Boas-Vindas em sua homenagem, realizada no último dia 11, no Salão Nobre do Bunkyo (Sociedade Brasileira de Cultura Japonesa e de Assistência Social). Organizado pelas principais entidades nikkeis – Bunkyo, Beneficência Nipo-Brasileira de São Paulo (Enkyo), Federação das Associações de Províncias do Japão no Brasil (Kenren) e Câmara de Comércio e Indústria Japonesa do Brasil e Aliança Cultural Brasil-Japão – o evento foi um dos concorridos dos últimos tempos – os funcionários do Bunkyo não paravam de colocar novas cadeiras para acomodar todo mundo. De acordo com estimativas dos organizadores, cerca de 220 pessoas – muitas das quais de regiões distantes como Araçatuba, Andradina, Santos, Cuiabá e Registro – prestigiaram a cerimônia.

 

Nakamae: “Gostaria de aproveitar todo o tempo possível para visitar o maior número de associações” (Foto: Jiro Mochizuki)

Nakamae: “Gostaria de aproveitar todo o tempo possível para visitar o maior número de associações” (Foto: Jiro Mochizuki)

 

A expectativa não era para menos. Afinal, o clima era de curiosidade para conhecer o sucessor dos carismáticos Kazuaki Obe e Noriteru Fukushima. E Takahiro Nakamae parece não ter decepcionado. Acompanhado de sua esposa, Masako, falou português com desenvoltura – fruto do tempo que ficou em Brasília – e atendeu pacientemente uma longa fila que se formou logo após a cerimônia para a tradicional troca de cartões.

 

Harumi Goya entre Masako e Takahiro Nakamae (Foto: Aldo Shiguti)

Harumi Goya entre Masako e Takahiro Nakamae (Foto: Aldo Shiguti)

 

Como destacou a presidente do Bunkyo, Harumi Goya, em seu discurso. “Apesar dos inúmeros compromissos relacionados ao cargo recém-assumido, agradecemos a presença do casal que gentilmente reservou este momento para se encontrar com os representantes das entidades nipo-brasileiras”. Falando primeiro em japonês, Harumi lembrou que em 2015 a comunidade nikkei comemora os 107 anos da chegada dos primeiros imigrantes japoneses em terras brasileiras e os 120 anos do Tratado de Amizade entre Brasil e Japão. “Além disso, também celebramos os 100 anos da instalação do Consulado Geral do Japão em São Paulo”, disse a presidente, acrescentando que “trata-se, pois, de um ano triplamente significativo para o relacionamento Brasil – Japão”.

“Aliás, esses dois países são geograficamente separados por uma das maiores distâncias do mundo. No entanto, em contraposição, São Paulo sedia a maior comunidade nikkei fora do Japão. Podemos dizer que, em contraste com a distância que nos separa, nossos sentimentos parecem estar muito próximos. Ao mesmo tempo, não será exagero considerar que essa proximidade  também ocorre no relacionamento econômico entre os dois países”, disse Harumi, afirmando que, “a despeito desse movimentado cotidiano, nossa expectativa é a de que o senhor tenha a oportunidade de visitar cada um dos núcleos de nikkeis localizados no âmbito da jurisdição abrangida pelo Consulado Geral em São Paulo, para transmitir-lhes suas palavras de reconhecimento e incentivo”.

 

O deputado Walter Ihoshi cumprimenta o novo cônsul (Foto: Jiro Mochizuki)

O deputado Walter Ihoshi cumprimenta o novo cônsul (Foto: Jiro Mochizuki)

 

Repercussão – A chegada do novo cônsul também repercutiu em Brasília. O deputado federal Walter Ihoshi (PSD-SP), um dos mais atuantes nas relações bilaterais, disse que Takahiro Nakamae “tem uma importante missão, que é suceder os trabalhos iniciados pelo cônsul Noriteru Fukushima em São Paulo, o Estado que concentra o maior contingente de imigrantes e seus desncendentes no Brasil”.

“Este ano, particularmente, comemoramos os 120 Anos do Tratado de Amizade e o Centenário da instalação do Consulado Geral do Japão em São Paulo. Além disso, o país intensifica os preparativos para os Jogos Olímpicos de 2016 ao mesmo tempo que o Japão inicia os trabalhos visando as Olimpíadas de 2020”, destacou Ihoshi, lembrando que “o Consulado em São Paulo ainda tem a incumbência de implementar o projeto do Japan House”.

 

O Cônsul atendeu com paciência uma longa fila para troca de cartões (foto: Aldo Shiguti)

O Cônsul atendeu com paciência uma longa fila para troca de cartões (foto: Aldo Shiguti)

 

“Confiamos plenamente na capacidade técnica, na competência e experiência deste novo diplomata”, disse o parlamentar, explicando que a visita que a presidente Dilma Rousseff (PT) deve fazer ao Japão até o final deste ano pode inaugurar uma nova fase nas relaçoes entre os dois países.

E pelo jeito, Takahiro Nakamae entendeu o recado. Ao Jornal Nippak, o novo cônsul disse que espera percorrer o mesmo caminho de seus antecessores, que visitaram mais de uma centena de associações nos Estados de São Paulo, Mato Grosso e Mato Grosso do Sul. “Fui informado que o senhor Kazuaki Obe visitou mais de cem colônias e o senhor Fukushima mais de 150. Para mim é um desafio. Não sei quanto tempo ficarei em São Paulo, mas gostaria de aproveitar todo o tempo possível para visitar o maior número de associações que puder”, disse Nakamae, explicando que  em Brasília, onde ficou um ano e nove meses, era o número dois na hierarquia – abaixo apenas do embaixador Kunio Umeda. Nesse período, conta, ficou encarregado da parte administrativa, mas não teve oportunidade de viajar pelo país.

 

Takahiro Nakamae cumprimenta Toyohiro Shimura (Foto: Aldo Shiguti)

Takahiro Nakamae cumprimenta Toyohiro Shimura (Foto: Aldo Shiguti)

 

Futuro – Nakamae afirmou que já conhecia a história de sofrimento dos imigrantes japoneses e sua contribuição para o desenvolvimento do Estado de São Paulo, mas ficou emocionado com  o carinho demonstrado pela comunidade nikkei de São Paulo. “Isso me incentiva a trabalharmos juntos não só para o bem da própria comunidade japonesa mas também para o desenvolvimento das relações bilateriais”, disse Nakamae, acrescentando que a amizade entre os dois países está cada vez “mais madura”.

“É uma relação que se caracteriza não só por interesses nos aspectos ecônomico e político , mas, sobretudo pela confiança mútua dos povos e que tem como base uma sólida história construída aos longo desses 107 anos. Estou muito otimista quanto ao futuro dessas relações”, finalizou Nakamae, que reforçou o que o embaixador Kunio Umeda já havia dito ao Jornal Nippak. “Em Brasília, era presidente adjunto da Comissão Organizadora Nacional dos 120 Anos de Amizade e estamos trabalhando para fazer do hanabi um evento marcante e representativo dos 120 Anos do Tratado de Amizade”.

(Aldo Shiguti)

 

 

 

 

Related Post

GOLFE: 42º Campeonato Nikkey acontece nos dias 3 e...   A Associação Nikkey de Golf do Brasil (ANGB) realiza nos dias 3 e 4 de novembro, no PL Golf Clube, em Arujá (SP), o 42º Campeonato Nikkey de...
BENEFICENTE: Las Cuatro Estaciones Porteñas une ta... Tango Argentino, dança flamenca, taikô e mímica são os destaques do musical dirigido por Iván Serra, Las Cuatro Estaciones Porteñas, inspirado na músi...
KARAOKÊ: 14º Karaokê Taikai da Seisonenkai (AOKB/C... Sem muito alarde, mas com muita eficiência na organização, característica desse departamento da AOKB/CCOB, o Seisonenkai realizou sua 14ª edição no do...
ATIBAIA: 36ª edição da Festa de Flores e Morangos ... O Parque Municipal Edmundo Zanoni já está recebendo os últimos retoques para a realização da 36ª edição da Festa de Flores e Morangos de Atibaia, que ...

Faça seu comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *