COMUNIDADE: Pavilhão Japonês celebra 60 anos com presença de grão-mestre Daisosho Genshitsu Sen

 

A Comissão de Administração do Pavilhão Japonês deu início às comemorações dos 60 anos do Pavilhão Japonês, no Parque do Ibirapuera (zona Sul de São Paulo), no último dia 29, com a realização de uma cerimônia que contou com a presença do grão-mestre Daishosho Genshitsu Sen, da tradicional escola de Chá Urasenke do Japão. Também estiveram presentes o embaixador do Japão no Brasil, Kunio Umeda; o cônsul geral do Japão em São Paulo, Noriteru Fukuchima; o secretário Municipal do Verde e do Meio Ambiente,Wanderley Meira do Nascimento (representando o prefeito Fernando Haddad); o deputado estadual Jooji Hato (PMDB) e os vereadores Aurélio Nomura (PSDB), que homenageou o grão-mestre com uma salva de prata, e George Hato (PMDB).

 

Autoridades e políticos participam da cerimônia comemorativa dos 60 anos do Pavilhão Japonês (foto: Jiro Mochizuki)

Autoridades e políticos participam da cerimônia comemorativa dos 60 anos do Pavilhão Japonês (foto: Jiro Mochizuki)

 

Genshitsu Sen esteve no Brasil em 1954 para promover a Cerimônia do chá pelo mundo e fundou escolas de chá no Brasil, na Argentina, Peru e México. No Brasil, ele realizou a primeira cerimônia de chá ao inaugurar a sala de chá do Pavilhão Japonês.

 

Grão mestre Daisosho Genshitsu Sen durante a cerimônia (foto: Jiro Mochizuki)

Grão mestre Daisosho Genshitsu Sen durante a cerimônia (foto: Jiro Mochizuki)

 

Na ocasião, foram prestadas homenagens aos pioneiros que contribuíram para a criação do Pavilhão e àqueles que ajudaram a mantê-lo. A homenagem foi organizada em cinco itens: Participação na época da construção do Pavilhão Japonês no Japão e no Brasil (Construtora Takenaka, Construtora Nakashima, Sutemi Horiguchi, Associação Central Nipo-Brasileira, Daisosho Sen Genshitsu e Guilherme de Almeida e Francisco Matarazzo Sobrinho); Comissão Colaboradora da Colônia Japonesa Pró-IV Centenário de São Paulo (Kiyoshi Yamamoto, Kunito Miyasaka, Senichi Hachiya, Sakuyoshi Hase, Jorge Suguita, Toshio Takeda, Katsuki Nishimura e Seian Hanashiro); Presidentes da Comissão de Administração do Pavilhão Japonês (Tadashi Inoue, Teruo Wakabayashi, Walter Tamura, Tomohiça Ogassavara, Ringo Kubota, Sadao Onishi, Eiji Denda e Akira Kawaai) e Honra ao Mérito (Centro de Pesquisas de História Natural (Goro Hashimoto), Kazuo Harasawa, Seiji Ito e o casal Yasuharo e Rosa Fujii).

 

Grão mestre recebe homenagem da Câmara Municipal de São Paulo (foto: Jiro Mochizuki)

Grão mestre recebe homenagem da Câmara Municipal de São Paulo (foto: Jiro Mochizuki)

 

 

Momento histórico – O presidente do Bunkyo (Sociedade Brasileira de Cultura Japonesa e de Assistência Social), Kihatiro Kita, destacou a celebração de um “momento histórico na vida da cidade de São Paulo” e se reportou ao ano de 1954, quando a capital paulista completava o 4º Centenário e “exaltava sua transformação numa grande metrópole da América Latina”.

“Nesse cenário, os descendentes de japoneses buscavam consolidar seu espaço nesse ritmo de acelerado desenvolvimento e criar uma entidade com poder de representá-los”, disse Kita, lembrando que “dois anos antes, era criada a Comissão Colaboradora da Colônia Japonesa Pró IV Centenário de São Paulo, presidida por Kiyoshi Yamamoto, que não só liderou a nossa participação nos eventos comemorativos, como também promoveu, com firmeza, a presença do governo japonês nessas comemorações”.

“Desse esforço da Comissão Colaboradora, nasceu o Pavilhão Japonês que se transformou no símbolo de uma nova etapa, como também foram lançadas as bases para a constituição da entidade que hoje se chama Sociedade Brasileira de Cultura Japonesa e de Assistência Social – o Bunkyo”, explicou Kita, acrescentando que “hoje, ao revivermos esses acontecimentos, temos a grande honra de contar com a presença de uma testemunha daquele momento histórico”.

 

Evento contou com as presenças do Grão Mestre e do Embaixador (foto: Jiro Mochizuki)

Evento contou com as presenças do Grão Mestre e do Embaixador (foto: Jiro Mochizuki)

 

Intercâmbio – O secretário municipal do Verde e do Meio Ambiente destacou a importância do intercâmbio cultural estabelecido há seis décadas e a importância ambiental da parceria Brasil-Japão na cidade de São Paulo. “É muito importante para nós dividirmos este espaço com a comunidade japonesa”, disse Nascimento, que enfatizou uma passagem de sua infância. “Na década de 60, fui alfabetizado na colônia japonesa de Ilha Grande, em Angra dos Reis, que eram grandes responsáveis pela produção de sardinhas. Na época, 90% eram japoneses”, disse o secretário, que citou ainda o “exemplo de cidadania e educação dos torcedores japoneses durante a Copa do Mundo”.

No final, o secretário brincou com o grão-mestre. “Perguntei qual o segredo de sua juventude, pois, aos 93 anos, ele parece um menino. Ele me respondeu que tomava chá. Então, fica o meu compromisso de tomar muito chá daqui pra frente”, ressaltou o secretário, lembrando que o Parque do Ibirapuera é considerado o 8º melhor parque do mundo e o melhor da América Latina, segundo ranking mundial.

Simpático, o grão-mestre Daisosho Genshitsu Sen agradeceu as homenagens e disse esperar que o Pavilhão complete “outros cem anos”. Arrancou risos ao falar que ficou com os olhos arregalados torcendo para a Seleção Brasileira durante a Copa do Mundo e que o Pavilhão representa o elo de ligação entre os dois países.

 

Foram homenageados pessoas que ajudaram a manter o Pavilhão (foto: Jiro Mochizuki)

Foram homenageados pessoas que ajudaram a manter o Pavilhão (foto: Jiro Mochizuki)

 

Marco – Construído conjuntamente pelo governo japonês e pela comunidade nipo-brasileira, o Pavilhão Japonês foi doado à cidade de São Paulo, em 1954, na comemoração do IV Centenário de sua fundação. Naquela época estava sendo inaugurado o Parque do Ibirapuera, marco do IV Centenário.

Para celebrar seu 60º aniversário, serão realizadas diversas atividades culturais até o dia 28 de setembro. A programação especial inclui oficinas gratuitas, concertos de música clássica japonesa, exposição de cerâmicas, pinturas e ilustrações japonesas.

(Aldo Shiguti)

 

 

 

 

 

 

 

=========================================================================

 

 

 

 

 

 

Redação

Redação

nippak@nippak.com.br
Redação

Últimos posts por Redação (exibir todos)

Related Post

VALE DO RIBEIRA: Registro inicia trabalho para imp... O município de Registro (distante cerca de 175 km da Capital) e conhecida como Marco da Colonização Japonesa no Estado de São Paulo, deu o primeiro pa...
MISSA: Missa de 7º Dia de Cláudio Hori Claudio Hori. Jornalista e apresentador de rádio e televisão Será celebrada neste sábado, 20, ao meio-dia, na Igreja Santa Cruz das Almas dos Enforc...
LEGISLAÇÃO: Dilma sanciona lei que permite o divór...   O texto, do deputado federal Walter Ihoshi (PSD/SP), foi publicado nesta quarta-feira no Diário Oficial da União (Foto: divulgação) A pa...
COMUNIDADE: Toyohiro Shimura morre em São Paulo ao... Faleceu nesta sexta-feira, 8, em São Paulo, Toyohiro Shimura, aos 78 anos de idade. O velório acontece a partir de 21 horas de hoje no Nossa Senhora d...

Faça seu comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *