COMUNIDADE: ‘Queremos colaborar com o Bunkyo central, mas também queremos ser valorizados’, diz Toshiaki Yamamura

Com o objetivo de “conhecer um ao outro” e “intensificar o intercâmbio entre as várias Regionais existentes no Estado de São Paulo com o intuito de fortalecer a troca de experiências”, foi realizado no dia 30 de maio, no Instituto Cultural Nipo-Brasileiro de Campinas, o 1º Encontro dos Representantes Regionais do Estado de São Paulo. Estiveram presentes representantes das Regionais Noroeste, Alta Paulista, Alta Sorocabana, Sudeste, Vale do Paraíba, Vale do Ribeira, Santos, Centro-Oeste, São Bernardo do Campo, Santo André, Mogi das Cruzes e Suzano, além de representantes dos Bunkyos de Atibaia, Jundiaí, Vinhedo, Indaiatuba, Mairinque, Ibiúna, Vargem Grande Paulista, Pariquera-Açu e Registro.

 

resized_DSCF7859

Akio Ogawa e o presidente da Uces e Fenivar. Toshiaki Yamamura (Foto: Aldo Shiguti)

 

Segundo o presidente da Uces (União Cultural e Esportiva Sudoeste) e Fenivar (Federação das Entidades Nikkeis do Vale do Ribeira), Toshiaki Yamamura, o evento serviu para tirar algumas conclusões, como a necessidade de se criar mais Regionais, como em Atibaia e Jundiaí. “Também chegamos à conclusão que a época de andar com o Livro de Ouro debaixo do braço para arrecadar fundos já passou. Além disso, também podemos esquecer a coqueluche que eram as emendas parlamentares. As associações e entidades nipo-brasileiras precisam aprender a caminhar com suas próprias pernas daqui para frente se quiserem continuar realizando eventos”, disse Yamamura, acrescentando que “uma das sugestões foi a de realizar festas mais “enxutas”, conforme matéria publicada na edição passada do Jornal Nippak. A preocupação, explica o diretor de Comunicação da Uces, Akio Ogawa, refere-se às dificuldades dos deputados em conseguirem o repasse para as associações como vinham fazendo anteriormente.

 

Valorização – Yamamura explicou ainda que outra questão discutida durante o encontro foi o relacionamento com o “Bunkyo central”. “A ideia é intensificarmos essa união para termos mais força e mais voz nas decisões tomadas pelo Bunkyo central. Queremos colaborar, mas também vamos cobrar mais utilidade do Bunkyo”, disse Yamamura, acrescentando que “gostaríamos que fôssemos mais valorizados”.

Ogawa citou, como exemplo, a criação da Comissão de Reforma do Estatuto do Bunkyo. “Em nenhum momento fomos consultados. Aliás, nunca somos convidados para subir no palanque do Bunkyo, disse ele, lembrando que a reforma do estatuto, “principalmente o processo eleitoral”, era uma das reivindicações do Encontro. “De uma forma geral, o balanço foi bastante positivo. Tanto que vamos realizar a segunda edição ainda este ano”, afirmou Yamamura.

(Aldo Shiguti)

Related Post

HAICAI BRASILEIRO O Jornal Nippak publica aqui os haicais enviados pelos leitores. Haicai é um tipo de poema que se originou no Japão. Seu maior expoente é Matsuo Bashô...
PAULISTÃO: Veteranos e estreantes falam sobre a al...   Não fosse pelo inesperado da natureza, período já confirmado como o mais quente da história no Estado, o 20º Concurso de Karaokê do Estado d...
CERÂMICA: 1º Festival do Casarão do Chá reúne 39 a...   A Associação Casarão do Chá realiza neste domingo (3), das 10 às 17h, no Casarão do Chá, em Mogi das Cruzes (SP), a 1ª edição do Festival de...
ARTIGO: 2014, ano de muito trabalho e também de mu... Hélio Nishimoto (*)   Neste ano, depois do frustrante desempenho da Seleção Brasileira na última Copa do Mundo de Futebol, realizada em nos...

Faça seu comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *