CULINÁRIA JAPONESA: ABGJ busca preservar as raízes da milenar culinária japonesa

Com o objetivo de “preservar as raízes da milenar culinária japonesa, evitando assim a descaracterização de suas origens e consequentemente a perda de sua tradição”, tomou posse nesta segunda-feira, 15, a diretoria da Associação Brasileira de Gastronomia Japonesa. Realizada na Associação Aichi Ken do Brasil, no bairro da Liberdade, a reunião inaugural serviu também para apresentar os objetivos da entidade que, na verdade, é uma reedição da Associação Brasileira de Culinária Japonesa – entidade fundada em 1993 e extinta em 2005. Além da alteração no nome – de Culinária para Gastronomia – a ABGJ terá também um novo CPJ.

 

Associação quer ‘preservar raízes’ e evitar ‘descaracterização’ da culinária. Foto: Chibbas

 

“Até tentamos entrar em contato com alguns ex-diretores da ABCJ”, conta o recém-empossado presidente da ABGJ, Flavio Nakaoka.

Segundo ele, o objetivo da nova entidade “não é mostrar o que é certo e o que é errado” na culinária japonesa, mas “respeitar a criatividade de cada chef, além de oferecer serviços como curso básico do idioma japonês para garçons, intercâmbio com profissionais japoneses, palestras de atualização gastronômica, dicas e receitas dos melhores chefes do segmento; treinamentos e especializações; e consultoria jurídica e contábil, entre outros.

 

Assembleia da Associação Brasileira de Gastronomia Japonesa realizada nesta segunda-feira no Aichi. Foto: Jiro Mochizuki

 

“A ideia é oferecer o que há de melhor e mais moderno na gastronomia”, destaca Nakaoka.

Vice-presidente da Abjica (Associação dos Ex-Bolsistas da Jica – São Paulo), Flavio Nakaoka conta que a diretoria da ABGJ é composta por pessoas “que respeitam a cultura japonesa” e futuramente terá também um Comitê Gastronômico formado pelos principais nomes da gastronomia japonesa no país.

Da Diretoria fazem parte nomes como a professora de etiqueta Lumi Toyoda, o professor de karatê, Akira Saito e o fundador do Instituto Paulo Kobayashi (IPK), Victor Kobayashi. Conforme apurou o Jornal Nippak, para o Comitê, o primeiro nome a ser convidado será o de Shin Koike, designado em 2016 pelo Ministério da Agricultura, Floresta e Pesca do governo japonês “Embaixador da Difusão de Culinária Japonesa”.

Além de representar os interesses do segmento junto a fornecedores e demais entidades visando otimizar custos e elevar o nível de qualidade da prestação de serviços, a ABGJ também terá como missão “promover e proteger a memória cultural japonesa, ressaltando a importância da diversidade e equilibrando a essência do tradicional com a criatividade do contemporâneo”. Para Nakaoka, existe uma certa “rixa” entre os restaurantes tradicionais e os chamados contemporâneos, que, segundo ele, respondem por 90% dos cerca de mil estabelecimentos asiáticos existentes em São Paulo. E a maioria, conta, comandados por não descendentes de japoneses.

“A ABGJ pretende atuar junto aos novos restaurantes orientando-os para que não cometam erros por falta de conhecimento, vendendo o que é errado como certo”, disse.

 

O presidente da ABGJ , Flavio Nakaoka. Foto: Jiro Mochizuki

 

Parceria – Até porque, destaca o presidente, em 2013 a Organização das Nações Unidas para Educação, Ciência e Cultura – Unesco – considerou a milenar culinária japonesa como Patrimônio Natural Intangível da Humanidade. “Em contato com alguns restaurantes japoneses, constatamos a importância de ter uma entidade que represente essa gastronomia”, conta Nakaoka, antecipando que a ideia é trazer grandes nomes da área para o Brasil e aproveitar os conhecimentos adquiridos por bolsistas para capacitar profissionais do ramo.

Para isso, além da Abjica, a ABGJ conta com parceiros como o IPK e a Acapesp (Associação de Comerciantes Atacadistas de Pescados do Estado de SP).

A ABGJ atenderá na Avenida Paulista, 807 – 23°andar, na região da Bela Vista. Informações pelo telefone: 11/3181-2862.

 

ALDO SHIGUTI

ALDO SHIGUTI

Redator-chefe
ashiguti@uol.com.br
ALDO SHIGUTI

Últimos posts por ALDO SHIGUTI (exibir todos)

     

     

     

    Diretoria da ABGJ

     

    Presidente: Flavio Nakaoka

    1º Vice-Presidente: Gerson Kenji Aikawa

    2º Vice-Presidente: Keiji Kato

    Diretora Cultural: Lumi Toyoda

    Vice-Diretora Cultural: Aparecida Akamine

    Diretora de Qualidade: Marly Sugimoto

    Vice-Diretora de Qualidade: Alice Midori Hanaruma Wakabayashi

    1ª Tesoureira: Erica Tanji

    2º Tesoureiro: Anderson Tanaka

    1ª Secretária: Márcia Kawassaki Haino

    2ª Secretária: Vanessa Lumi Nakano Ohira

    Diretor de Relações Institucionais: Victor Kobayashi

    Vice-Diretor de Relações Institucionais: Christiano Fontes Blota

    Diretor de Gestão de Regionais: Hermes Suzuki

    Vice-Diretor de Gestão de Regionais: Akira Saito

    Conselho Jurídico: Alexandre Postigo

    Conselheiros: Mauricio K. Nishimori, Hideyo Uchinaka, Shinji Yonamine, Carlos Cavalcanti, Jiro Yamada, Lino S. Yoshinoze

     

    Related Post

    ARTES: MuBE apresenta ‘A Paisagem Mexicana’, de Lu...   A Embaixada do México no Brasil, o Consulado do México em São Paulo e o MuBE – Museu Brasileiro da Escultura inauguram nesta sexta-feira (14...
    BRASIL-JAPÃO: Parlamentares brasileiros fazem bala... Líder nas pesquisas de intenções de voto na disputa à Prefeitura de São Paulo nas próximas eleições municipais, o deputado federal Celso Russomano (PR...
    MARINGÁ-PR: O 24º Festival Nipo Brasileiro de Mari...   Bon Odori (foto: divulgação) A comunidade japonesa está em contagem regressiva para o Festival Nipo Brasileiro de Maringá, que este ano ...
    MANGÁ: “Macbeth” chega às livrarias em forma de qu... Um dos maiores clássicos sobre ambição e busca desmedida pelo poder, “Macbeth”, de William Shakespeare, chega às livrarias este mês na forma de quadri...

    Faça seu comentário

    O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *