CULINÁRIA JAPONESA: ABGJ busca preservar as raízes da milenar culinária japonesa

Com o objetivo de “preservar as raízes da milenar culinária japonesa, evitando assim a descaracterização de suas origens e consequentemente a perda de sua tradição”, tomou posse nesta segunda-feira, 15, a diretoria da Associação Brasileira de Gastronomia Japonesa. Realizada na Associação Aichi Ken do Brasil, no bairro da Liberdade, a reunião inaugural serviu também para apresentar os objetivos da entidade que, na verdade, é uma reedição da Associação Brasileira de Culinária Japonesa – entidade fundada em 1993 e extinta em 2005. Além da alteração no nome – de Culinária para Gastronomia – a ABGJ terá também um novo CPJ.

 

Associação quer ‘preservar raízes’ e evitar ‘descaracterização’ da culinária. Foto: Chibbas

 

“Até tentamos entrar em contato com alguns ex-diretores da ABCJ”, conta o recém-empossado presidente da ABGJ, Flavio Nakaoka.

Segundo ele, o objetivo da nova entidade “não é mostrar o que é certo e o que é errado” na culinária japonesa, mas “respeitar a criatividade de cada chef, além de oferecer serviços como curso básico do idioma japonês para garçons, intercâmbio com profissionais japoneses, palestras de atualização gastronômica, dicas e receitas dos melhores chefes do segmento; treinamentos e especializações; e consultoria jurídica e contábil, entre outros.

 

Assembleia da Associação Brasileira de Gastronomia Japonesa realizada nesta segunda-feira no Aichi. Foto: Jiro Mochizuki

 

“A ideia é oferecer o que há de melhor e mais moderno na gastronomia”, destaca Nakaoka.

Vice-presidente da Abjica (Associação dos Ex-Bolsistas da Jica – São Paulo), Flavio Nakaoka conta que a diretoria da ABGJ é composta por pessoas “que respeitam a cultura japonesa” e futuramente terá também um Comitê Gastronômico formado pelos principais nomes da gastronomia japonesa no país.

Da Diretoria fazem parte nomes como a professora de etiqueta Lumi Toyoda, o professor de karatê, Akira Saito e o fundador do Instituto Paulo Kobayashi (IPK), Victor Kobayashi. Conforme apurou o Jornal Nippak, para o Comitê, o primeiro nome a ser convidado será o de Shin Koike, designado em 2016 pelo Ministério da Agricultura, Floresta e Pesca do governo japonês “Embaixador da Difusão de Culinária Japonesa”.

Além de representar os interesses do segmento junto a fornecedores e demais entidades visando otimizar custos e elevar o nível de qualidade da prestação de serviços, a ABGJ também terá como missão “promover e proteger a memória cultural japonesa, ressaltando a importância da diversidade e equilibrando a essência do tradicional com a criatividade do contemporâneo”. Para Nakaoka, existe uma certa “rixa” entre os restaurantes tradicionais e os chamados contemporâneos, que, segundo ele, respondem por 90% dos cerca de mil estabelecimentos asiáticos existentes em São Paulo. E a maioria, conta, comandados por não descendentes de japoneses.

“A ABGJ pretende atuar junto aos novos restaurantes orientando-os para que não cometam erros por falta de conhecimento, vendendo o que é errado como certo”, disse.

 

O presidente da ABGJ , Flavio Nakaoka. Foto: Jiro Mochizuki

 

Parceria – Até porque, destaca o presidente, em 2013 a Organização das Nações Unidas para Educação, Ciência e Cultura – Unesco – considerou a milenar culinária japonesa como Patrimônio Natural Intangível da Humanidade. “Em contato com alguns restaurantes japoneses, constatamos a importância de ter uma entidade que represente essa gastronomia”, conta Nakaoka, antecipando que a ideia é trazer grandes nomes da área para o Brasil e aproveitar os conhecimentos adquiridos por bolsistas para capacitar profissionais do ramo.

Para isso, além da Abjica, a ABGJ conta com parceiros como o IPK e a Acapesp (Associação de Comerciantes Atacadistas de Pescados do Estado de SP).

A ABGJ atenderá na Avenida Paulista, 807 – 23°andar, na região da Bela Vista. Informações pelo telefone: 11/3181-2862.

 

ALDO SHIGUTI

ALDO SHIGUTI

Redator-chefe
ashiguti@uol.com.br
ALDO SHIGUTI

Últimos posts por ALDO SHIGUTI (exibir todos)

     

     

     

    Diretoria da ABGJ

     

    Presidente: Flavio Nakaoka

    1º Vice-Presidente: Gerson Kenji Aikawa

    2º Vice-Presidente: Keiji Kato

    Diretora Cultural: Lumi Toyoda

    Vice-Diretora Cultural: Aparecida Akamine

    Diretora de Qualidade: Marly Sugimoto

    Vice-Diretora de Qualidade: Alice Midori Hanaruma Wakabayashi

    1ª Tesoureira: Erica Tanji

    2º Tesoureiro: Anderson Tanaka

    1ª Secretária: Márcia Kawassaki Haino

    2ª Secretária: Vanessa Lumi Nakano Ohira

    Diretor de Relações Institucionais: Victor Kobayashi

    Vice-Diretor de Relações Institucionais: Christiano Fontes Blota

    Diretor de Gestão de Regionais: Hermes Suzuki

    Vice-Diretor de Gestão de Regionais: Akira Saito

    Conselho Jurídico: Alexandre Postigo

    Conselheiros: Mauricio K. Nishimori, Hideyo Uchinaka, Shinji Yonamine, Carlos Cavalcanti, Jiro Yamada, Lino S. Yoshinoze

     

    Related Post

    INTERCÂMBIO: Nikkei orienta estudantes brasileiros... Faz tempo que aprender outro idioma se tornou requisito quase que obrigatório para quem quer se dar bem na vida. Seja para ingressar no mercado de tra...
    FIB: Oitava edição estimula o uso das redes sociai... Com o tema “Transformando potencial em performance”, acontece neste fim de semana (8 e 9), na sede do Bunkyo (Sociedade Brasileira de Cultura Japonesa...
    VEÍCULOS – Nissan lança linha Livina 2013 Reconhecido pelo ótimo custo-benefício, o Nissan Livina passa a contar com uma nova versão, a 1.8 S. Com preço sugerido de R$ 49.990, a novidade é equ...
    COMUNIDADE: Com apoio da Prefeitura, festa dos 110... Acelebração dos 110 Anos da Imigração Japonesa no Brasil, cujo ponto alto será a cerimônia oficial marcada para o dia 21 de julho de 2018 no São Paulo...

    Faça seu comentário

    O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *