ECONOMIA: Nippon Keidanren e CNI promovem encontro de empresários brasileiros e japoneses em BH

 

A 16ª edição da Reunião do Comitê de Cooperação Econômica Brasil – Japão, evento promovido pela Confederação Nacional da Indústria (CNI), Sistema Fiemg e a Federação das Organizações Econômicas do Japão (Nippon Keidanren) reuniu centenas de empresários entre brasileiros e japoneses do setor industrial. Realizado pela primeira vezem Minas Gerais, em dois dias de evento, o encontro teve como foco a retomada dos investimentos japoneses no Brasil. O destaque do encontro foi discutir relações econômicas e as possibilidades de negócios entre os dois países e debater novos modelos de cooperação em terceiros mercados, como China e África.

 

José de Freitas Mascarenhas (CNI) cumprimenta Masami Iijima (Keidanren) (foto: Luci Judice Yizima)

 

Durante a solenidade de abertura, no dia 23 de setembro, o governador Antonio Anastasia lembrou da histórica parceria econômica entre Japão e Minas Gerais, iniciada na década de 1950, com a instalação da siderurgia no Vale do Aço. Segundo o governador, com a retomada do crescimento da economia japonesa, após décadas de retração, o encontro serve de oportunidade para a realização de novos negócios. Anastasia lembrou ainda que, nos últimos anos, Minas atraiu grandes investimentos japoneses, como a fábrica da Sumitono, em Jeceaba (Região Central), e a planta industrial da Panasonic, em Extrema (Sul de Minas).

“Nas décadas de 1950 e 1970, houve um investimento expressivo no Brasil, inclusive em Minas Gerais. Depois, o Japão teve uma grande queda do seu índice de crescimento econômico e está, neste exato momento, retomando seu desenvolvimento econômico. Então, cada vez mais, temos a possibilidade de estreitar as relações. Ainda com o crescimento econômico japonês não tendo sido tão sólido nas décadas passadas, tivemos em Minas investimentos importantes, como a inauguração da grande fábrica da Sumitomo, em Jeceaba, e a da Panasonic, em Extrema. É claro que outras negociações com o Japão estão em curso e a realização deste evento permitirá a identificação de novas oportunidades de negócios”, destacou o governador Anastasia.

 

Governador Antonio Anastasia participa da cerimônia de abertura do encontro de empresários japoneses e brasileiros do setor industrial  (foto: Luci Judice Yizima)

 

Hoje existem 455 empresas japonesas instaladas no país, com investimentos de US$ 26,6 bilhões. Desde 1974, a CNI e a japonesa Nippon Keidanren mantêm parceria com o objetivo de estimular o intercâmbio comercial entre os dois países, o fluxo bilateral de investimentos e o relacionamento entre empresas. O Japão, segundo a CNI, ocupa a sexta posição no ranking dos maiores investidores diretos no Brasil. No primeiro semestre, as empresas japonesas investiram cerca de US$ 1,6 bilhão no Brasil, valor superior aos US$ 1,5 bilhão registrados no ano passado.

Na avaliação do presidente da CNI, o mineiro Robson Andrade, as relações econômicas e comerciais entre Brasil e o Japão continuam sólidas, mas estão aquém de seu potencial. Em 2012, segundo o executivo, os investimentos entre os dois países atingiram US$ 15 bilhões, queda de 10% em relação a 2011. O dirigente aproveitou a ocasião para propor a delegação japonesa atenção especial em duas áreas estratégias, como infraestrutura e energia. Recordando que o governo federal tem vários projetos para melhorar a logística nacional. O empresário destacou que o “capital japonês pode desempenhar papel importante nesse desenvolvimento”.

 

Na avaliação do presidente da CNI, o mineiro Robson Andrade, as relações econômicas e comerciais entre Brasil e o Japão continuam sólidas, mas estão aquém de seu potencial (foto: Luci Judice Yizima)

 

“Estou certo de que este encontro abrirá caminhos para que possamos aperfeiçoar os mecanismos de cooperação entre dois países, além de aumentar a corrente de comércio e os investimentos recíprocos”, garante Andrade.

Na ocasião participaram também da cerimônia de abertura, o secretário municipal de Desenvolvimento Econômico de Belo Horizonte, Custódio Mattos, representado o prefeito Marcio Lacerda, o secretário de Comércio Exterior do Ministério de Desenvolvimento, Indústria e Comércio Exterior, Daniel Godinho, o presidente da Fiemg, Olavo Machado Júnior, os presidentes do Comitê de Cooperação Econômica Brasil-Japão, José de Freitas Mascarenhas (pela CNI) e Masami Iijima (pela Keidanren), o embaixador do Brasil em Tóquio, André Corrêa do Lago e o embaixador do Japão em Brasília, Akira Miwa, o empresário Kenji Kiyohara, Yasuyuki Hirasaki (Assessor da Presidência da Sansuy), Toshiro Ywayama (diretor-presidente da Hitachi do Brasil),  Masato Ninomiya (presidente do Ciate), e o Secretário Geral da Câmara do Comercio e Industria Brasil e Japão, Fujiyoshi Hirata.

 

 

(Luci Júdice Yizima)

 

Redação

Redação

nippak@nippak.com.br
Redação

Últimos posts por Redação (exibir todos)

Related Post

RIO DE JANEIRO: Enorme confraternização em “Sabore...   “Sabores do Japão”!!! Em 9 de novembro de 2013, com entrada franca, mais uma vez a Rio Nikkei recebeu centenas de pessoas em sua sede da Rua...
JAPÃO/HABILITAÇÃO: Prova em português para habilit... Os dois centros de habilitação de Aichi, o de Hirabari e o de Higashi-Mikawa, passaram a oferecer, desde abril, os exames teóricos em português. As pr...
JAPÃO: O Japão após a invasão corinthiana Timão deixou fãs, conquistou reconhecimento após passagem pelo país oriental   Do R7   A invasão corinthiana acabou no Japão. O Co...
CAMPINAS/KARAOKÊ: Centro-Oeste realiza jantar para... Pela segunda vez, a Liga Centro-Oeste da Canção Japonesa conquistou o dantaissen, a maior pontuação por equipe no Brasileirão 2014, realizado no Insti...
Tags: ,

Faça seu comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *