ELEIÇÕES 2012: Em Encontro no Bunkyo, candidatos nikkeis surpreendem pela desenvoltura e oratória

 

Quem esperava um evento insosso e sem consistência, acabou se surpreendendo com a performance dos candidatos presentes ao Encontro com Candidatos ao Cargo de Vereador da Câmara Municipal. Co-realizado pelo Bunkyo (Sociedade Brasileira de Cultura Japonesa e de Assistência Social) e pela Associação Brasileira de Ex-Bolsistas do “Gaimusho Kenshu-sei” no último dia 15, no Auditório Pequeno do Bunkyo, o evento contou com a participação dos candidatos Aurélio Nomura (PSDB), Ushitaro Kamia (PSD), Victor Kobayashi (PSD), Thiago Arikawa (PMDB), Flavio Iizuka (PC do B), George Hato (PMDB), Thabata Yamauchi (PRB) e Dilza Muramoto (PSD). Kihatiro Kita (presidente), Oscar Urushibata (vice-presidente), Nagato Hara (secretário executivo) e Kiyoshi Harada (coordenador geral), compuseram a Mesa de Trabalho.

 

Comissão organizadora e candidatos 2012 (foto: Aldo Shiguti)

 

Diferentemente do evento realizado em 2010, quando reuniu candidatos à Assembleia Legislativa de São Paulo e à Câmara dos Deputados – que ficou marcado mais pelas gafes dos postulantes do que propriamente pela apresentação concretas de propostas – desta vez a Comissão Organizadora foi feliz na escolha dos candidatos.

No primeiro módulo, cada candidato teve oito minutos para fazer uma auto apresentação e abordar os temas de sua preferência e previamente definidos: saúde, educação, transporte, segurança e meio ambiente. Feito o sorteio, o candidato George Hato (PMDB) abriu o bloco agradecendo a Deus e lembrou que “pertenço ao partido que derrubou a ditadura.

Hato apresentou propostas na área da saúde e esporte, além de tecer elogios para o candidato ao cargo majoriário, Gabriel Chalita, e ao pai, o deputado estadual Jooji Hato.

Segundo a se apresentar, o então desconhecido Thiago Arikawa (PMDB) foi considerado uma das surpresas do debate. Formado em Direito, e conselheiro licenciado do Condeca/SP (Conselho Estadual dos Direitos da Criança e do Adolescente) – onde presidiu a Comissão de Políticas Públicas, Análise de Projetos e Planejamento, Arikawa atuou em entidades como a Associação Cristã de Moços (ACM). Falou sobre sua preocupação com o terceiro setor, saúde, educação e meio ambiente.

Saúde e educação também foram as bandeiras levantadas pela candidata Thabata Yamauchi (PRB), porém, “sob uma visão mais executiva e operacional.”. Entre seus projetos, destacou que pretende qualificar entre 10 e 50 mil cuidadores infantis.

Concorrendo à reeleição, Aurélio Nomura (PSDB) manifestou sua preocupação com o Plano Diretor Estratégico e Regional, “que deve traçar o rumo da cidade nos próximos 20 anos”, e a questão da mobilidade urbana. Nomura disse também que as 31 Subprefeituras “não foram criadas por acaso, mas pela necessidade de descentralizar a administração”. Frisou ainda que esta gestão “ficou devendo a construção de três hospitais”.

Como uma candidata “não conhecida”, Dilza Muramoto (PSD) explicou que não nasceu “em berço de ouro”. Natural de Itaporã (MS), disse que teve uma infância de “privações”, mas “desde pequena sempre fui muito determinada”. Formada em Psicologia, trabalhou no extinto Banco América do Sul e lutou contra um câncer. Foi o budismo que a despertou para uma “grande missão”.

Debutando na política, afirmou que enfrenta dificuldades no meio por ser mulher e “estar no meio de um reduto machista”. Reclamou do pouco tempo que aparece no horário gratuito e, se eleita, “pretender ser a porta-voz das minorias”.

O médico Flávio Iizuka (PC do B) aproveitou a deixa de sua colega para explicar que também não é conhecido. É contra político de carreira e aceitou o desafio do partido, que o convidou a se candidatar, “para mostrar através de atitudes que temos responsabilidades sociais”. Pontuou que tem “grandes ideias na área da saúde” e revelou que “64% dos paulistanos não usam o SUS, mas convênios médicos”.

 

Audiovisual – Em seu quarto mandato como vereador, Ushitaro Kamia (PSD) destacou sua ligação com a cultura japonesa e explicou o caminho percorrido por uma emenda parlamentar. Quer ser reeleito para continuar mantendo seu trabalho de ajudar as entidades nipo-brasileiras e a melhorar a qualidade de vida dos paulistanos.

Encerrando esse bloco, Victor Kobayashi (PSD) foi o único a utilizar o recurso audiovisual, motivo de comentários nos bastidores. Lembrou que, assim como seu pai, Paulo Kobayashi, que ajudou a fundar o PSDB, também ele aceitou o desafio de construir um novo partido, o PSD. Falou sobre seu orgulho de ter trabalhado no extinto Banco América do Sul e que, após a morte de seu pai, em 2005, foi cobrado para entrar na política. “Naquela época, achei que era prematuro e, ao invés disso, decidi fundar o Instituto Paulo Kobayashi justamente para dar continuidade às ações sociais desenvolvidas pelo meu pai”.

“Foi surpreendente. Beneficiamos mais de 300 associações e realizamos mais de 300 mil atendimentos, sempre em parceria com outras entidades”, disse Kobayashi, lembrando que foi autor de várias emendas durante sua passagem de 31 dias pela Câmara Municipal.

No segundo bloco, os candidatos responderam duas rodadas de perguntas feitas pelos jornalistas, público e até assessores de parlamentares, que abordaram questões como meio ambiente, ambulantes, seguranças nas escolas, Nova Luz, creches, idosos e voto distrital, entre outras.

 

Balanço – No fim, nem derrotados nem vitoriosos. Mas a sensação que todos ali presentes participaram de um exercício de cidadania. A lamentar, apenas a ausência de público. Críticas, aqui e acolá, sempre vão surgir. Ou melhor, para o coordenador geral do evento, Kiyoshi Harada, “perderam aqueles que foram convidados e não compareceram”.

“Não entro no mérito de apontar quem se saiu melhor porque esse julgamento é o público que tem que fazer, mas o saldo do encontro foi bastante positivo, quer pela excelência das perguntas feitas quer pela desenvoltura dos candidatos, que se mostraram qualificados para enfrentar uma tribuna. A capacidade de se comunicar é requisito indispensável para todo bom político”, avaliou Harada.

(Aldo Shiguti)

 

 

Candidatos aprovam realização do Encontro

 

“Democrático” e “positivo” foram as expressões mais utilizadas pelos candidatos entrevistados pela reportagem do Jornal Nippak para avaliar o Encontro de Candidatos ao Cargo de Vereador da Câmara Municipal de São Paulo. Na opinião do estreante George Hato (PMDB), o saldo foi “positivo”. “É um evento que serve para informar os leitores a fim de conhecerem melhor os candidatos”, disse George Hato, que contou com a torcida do pai, o deputado estadual Jooji Hato.

 

“Democrático” e “positivo” foram as expressões mais utilizadas pelos candidatos (foto: Aldo Shiguti)

 

Para ele, o Encontro ocorreu “no momento certo”. “Muitos eleitores ainda estão indecisos, principalmente no que diz respeito à eleição para vereador e um evento como esse ajuda a esclarecer”, acredita.

Para Ushitaro Kamia (PSD), o Encontro foi válido. “Trata-se de um evento democrático onde cada candidato expõe o que pretende fazer, isto é, sua plataforma de atuação”, afirma Kamia, que busca seu quinto mandato como vereador.

Outro que tenta se reeleger, Aurélio Nomura (PSDB) disse que “evento como esse é sempre bom”. “Na televisão, no horário gratuito, apareci muito pouco. Então, é uma dificuldade que temos para nos apresentarmos em um tempo tão exíguo. Aqui, pude fazer uma série de abordagens que na televisão não teria oportunidade, como o Plano Diretor Estratégico Regional e a questão da mobilidade urbana”, frisou o tucano, afirmando que quem se interessar pelas questões levantadas durante o evento “certamente poderá se aprofundá-las buscando mais informações nos sites”.

Para Thiago Arikawa (PMDB), o Encontro foi importante “do ponto de vista de estar ao lado de grandes nomes de políticos da comunidade nipo-brasileira”. “É uma oportunidade muito boa e que não posso desperdiçar”.

Apesar de ser parabenizado por sua performance, Arikawa admitiu que acabou ficando um pouco nervoso. “Devo ter passado um pouco desse nervosismo, mas também acho que passei o meu recado”, disse o candidato, que elogiou o público, na sua opinião, “bastante qualificado”.

Para Victor Kobayashi (PSD), o encontro foi positivo “à medida que consegui expor para a comunidade um pouco das minhas propostas”. “Oito minutos parece muito tempo, mas é insuficiente para aprofundar todas as questões”, explicou Kobayashi, afirmando que “se este evento serviu para despertar algumas pessoas para a importância do voto consciente, então já terá atendido nossos propósitos”.

(Aldo Shiguti)

 

 

 

 

Redação

Redação

nippak@nippak.com.br
Redação

Últimos posts por Redação (exibir todos)

Related Post

SAÚDE: Walter Ihoshi reitera ‘compromisso’ com mun... O deputado federal Walter Ihoshi (PSD/SP) participou, em São Paulo, do 2º Fórum a Saúde do Brasil, promovido pelo Jornal Folha de S.Paulo. Na ocasião,...
EVENTOS: Ano Novo Chinês – O Grande Ano da S...   Ano Novo Chinês acontece dias 02 e 03 de fevereiro, no bairro da Liberdade (foto: divulgação)   Nos dias 2 e 3 de fevereiro, mai...
INTERCÂMBIO: Nikkei orienta estudantes brasileiros... Faz tempo que aprender outro idioma se tornou requisito quase que obrigatório para quem quer se dar bem na vida. Seja para ingressar no mercado de tra...
ANDRADINA: TAMIKO ANUNCIA MARCIO ARAI COMO SECRETÁ... A prefeita de Andradina (SP), Tamiko Inoue (PCdoB) anunciou, no último dia 24, o vereador Marcio Arai como secretário de Governo e Gestão Participativ...

10 Comments

  1. Foi importante porque pudemos conhecer mais detalhes das propostas de cada um e foi tudo em um clima amigável sem ataques como nos debates usuais.

    O candidato Flávio Iizuka surpreendeu muito pelas idéias. O Thiago Arikawa surpreendeu pelo dinamismo e engajamento em atividades sociais. O desapontamento foi George Hato que preferiu se apegar a figura do pai e demonstrou falta de personalidade própria. Kamia foi mais do mesmo. As duas mulheres representadas pela Dilza e Thabata não me convenceram que tem algo a acrescentar. Achei muito vazias as propostas delas.

    Quanto ao Aurélio Nomura, atendeu minhas expectativas. votei nele antes e ele tem um excelente desempenho como vereador. Ele honra a memória do pai Diogo Nomura. E tem personalidade própria, sem precisar usar a imagem do pai.

    • Realmente Dr. Flavio se posicionou bem nas respostas. Vitor Kobayashi mandou bem também na apresentação com recurso audiovisual. Aurelio Nomura por sua vez foi excelente em suas respostas. Acredito que nesse evento pude decidir meu voto e gostaria de agradecer a organização por produzir esse evento.

  2. Victor Kobayashi com certeza vai dar continuidade ao legado que recebeu de seu papai. Seu pai sempre foi um político íntegro, que todos respeitam e admiram e que nos ensinou muito sobre política de Respeito ao Próximo e não a Política sem Respeito ao próximo que muitos pregam nos dias de hoje.
    Desde cedo Victor conviveu com valores que marcaram a trajetória de seu pai, até hoje o primeiro e único político a ocupar a presidência da Câmara Municipal de São Paulo e da Assembleia Legislativa do Estado de São Paulo.
    Imagem de Pessoas Íntegras e Honestas como de Ayrton Senna da Silva e do Professor Paulo Kobayashi que sempre honraram o povo com Cidadania, Ética e Honestidade devem ser sempre relembrados.

  3. Que venha o novo !!! Thiago Arikawa traz força, caráter e competência.

  4. Vereador Aurelio Nomura se posicionou muito bem na apresentação e quanto as respostas das perguntas. Acredito que o debate foi positivo e decidi meu voto neste dia no mesmo. Eventos como este devem ser incentivados pela comunidade japonesa.

  5. Realmente Dr. Flavio se posicionou bem nas respostas. Vitor Kobayashi mandou bem também na apresentação com recurso audiovisual. Aurelio Nomura por sua vez foi excelente em suas respostas. Acredito que nesse evento pude decidir meu voto e gostaria de agradecer a organização por produzir esse evento.

  6. O debate foi bom para conhecermos alguns candidatos da colonia e ver o que pretendem fazer por nós
    Teve dois candidatos que mostraram desinteresse total a apresentação dos concorrentes.
    Na minha opnião só dois candidatos estão preparados para exercer o cargo, Aurélio Nomura e Kamia.
    A minha preferencia fica para Aurélio Nomura que mostrou convicção, propostas e capacidade de sintese.

  7. Kamia explanou com seriedade e sintese suas idéias. Arikawa foi contundente no posicionamento. George Hato foi uma decepção na fala quanto na explanação , além de paraecer meio gago , falou muito do pai e quase nada dele próprio. Por sua vez Vitor Kobayashi fez uma apresentação formidável e clara. Aurelio Nomura deixou bem claro suas idéias em curto espaço de tempo. Acredito que esses foram os dois melhores candidatos no debate.

  8. Os melhores do debate foram Dilza Muramoto pela força que demonstrou mesmo lutando contra o cancer e Aurélio Nomura pela proposta de revitalizar o subprefeito dando mais autonomia a este para solução dos problemas do bairro. Mesmo por que este esta mais proximo dos problmeas da base e podria soluciona-los rapidamente.

  9. Decepcionante foi George Hato sem proposta somente falou do paie 28 anos no partido, lamentável. Além de ser pessimo para falar e gago. Não passou confiança alguma. A revelação foi Dr. Iizuka que expos suas idéias e realmente foram interessantes. O veterano Aurelio Nomura falou bem e conseguiu passar um esboço de suas ideías em 8 minutos. Definiu bem como a prefeitura pode estar mais presente nos bairros. Meu voto vai para ele.

Faça seu comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *