ELEIÇÕES 2016: Na capital paulista, 24 candidatos nikkeis buscam uma das 55 cadeiras na Câmara Municipal

No próximo dia 2 de outubro, 144.088.912 brasileiros aptos a votar em 5.568 municípios irão às urnas para eleger novos prefeitos e vereadores. Maior colégio eleitoral do país, com 32.684.931 eleitores – sendo 8.886.324 somente na Capital – o Estado de São Paulo terá 2.183 candidatos a prefeitos e 81.398 postulantes às Câmaras Municipais. Na cidade de São Paulo, 1.292 tentarão conquistar uma das 55 cadeiras. Desse total, de acordo com levantamento feito pelo Jornal Nippak, 24 possuem ascendência japonesa – dois a menos que a eleição em 2012, quando 26 nikkeis disputaram o cargo.

 

Assentos cobiçados: São Paulo terá mais de 1200 candidatos para apenas 55 vagas. Foto: site da Câmara Municipal de São Paulo

Assentos cobiçados: São Paulo terá mais de 1200 candidatos para apenas 55 vagas. Foto: site da Câmara Municipal de São Paulo

 

Os três com mandato na atual legislatura concorrem a reeleição: Masataka Ota, Aurélio Nomura e George Hato. Com 62.692 votos, Ota foi o nikkei mais votado na eleição passada, seguido por Aurélio Nomura, com 29.236 votos, e George Hato, com 24.611 votos. Kamia, com 22.683 votos, Pedro Kaká, com 21.350 e Victor Kobayashi, com 19.198 votos, apareceram bem nas urnas, mas não conseguiram se eleger.

Tanto Kamia como Victor Kobayashi tentarão novamente este ano. Já Pedro Kaká, não. Além de tentar convencer os eleitores, este ano os candidatos terão que superar outros obstáculos se quiserem cruzar a linha de chegada.

E nessse aspecto, todos concordam: esta promete ser uma das eleições mais dificeis dos últimos anos. E aí, não só por conta da desgastada imagem da classe política, mas também pela minirreforma eleitoral, que diminuiu o tempo de campanha de 90 para 45 dias e também proibiu o financiamento eleitoral por pessoas jurídicas.

Para o vereador Aurélio Nomura (PSDB), outras mudanças, como a restrição do tipo de material e proibição da distribuição em locais públicos também podem dificultar o conhecimento do candidato aos eleitores que não têm acesso às redes sociais. Com isso, explica, “o custo da campanha terá de ser o mínimo possível e será feita com três “S”: sola, sapato e saliva”, explica Nomura. Ota (PSB), que também busca a reeleição, conta que as regras para o financiamento e  a execução da campanha “no que diz respeito aos materiais de propaganda, dificultam a vida de todos os candidatos, principalmente dos novos”. “No conjunto, creio que todos terão de trabalhar mais para sensibilizar um eleitor bastante desacreditado da política e dos políticos”, afirma Ota, que espera uma eleição bastante difícil. “Contudo, quem trabalhou com seriedade, elaborou políticas públicas e fez um trabalho consistente em toda a cidade, certamente será lembrado”, acredita.

Líder da bancada tucana na Câmatra Municipal, Aurélio Nomura também confia em seu trabalho. Segundo ele, porém, “não existe eleição fácil”. “E tampouco, uma eleição já ganha. Acredito que esta é uma eleição em que as pessoas pesquisarão o histórico de seus futuros representantes: vão estudar suas propostas e conhecer suas realizações”, diz Nomura, acrescentando que “hoje, as pessoas sabem o valor de suas escolhas e, por isso, farão uma pesquisa prévia sobre quem é merecedor do seu voto”.

 

Redes sociais – Fundador do Instituto Paulo Kobayashi, Victor Kobayashi (PSD) conta que a principal mudança refere-se aos recursos para as campanhas, que deverão ser financiadas exclusivamente  por doações de pessoas físicas e pelos recursos do Fundo Partidário. “Isso nivela o poder dos candidatos que buscam a reeleição ou a eleição, tanto para a prefeitura como para a Câmara. É um ponto positivo, mas, por outro lado, torna esta campanha ainda mais desafiadora em que a criatividade e a exploração das redes de comunicação serão determinantes, não descartando outros meios tradicionais, para divulgar a minha campanha”, explica Kobayashi, que espera passar para o eleitor sua proposta, “que é transformar a sociedade e São Paulo, formando pessoas melhores, missão que me dedico há mais de 10 anos através do Instituto Paulo Kobayashi realizando projetos sociais em parceria com ONGs, associações e empresas para o benefício de mais de 350 mil pessoas de todas as faixas etárias e todas as classes sociais”.

Para Ushitaro Kamia (PDT), apesar de  “a  forma de se comunicar com o eleitor ficar mais restritiva”, com a proibição de uso de diversos materiais que antes eram permitidos, “é até melhor em termos de poluição visual”. Atual primeiro suplente, Kamia acredita que a eleição deste  ano será a mais difícil que já participou. “As diversas restrições impostas pelas novas regras eleitorais restringem muito o alcance da campanha. Será uma campanha curta, objetiva, mas extremamente competitiva. Antes, em três meses havia muito tempo para divulgar as propostas, debater com a população e mostrar o trabalho realizado. Agora, a corrida contra o tempo dará o tom em todas as candidaturas”, destaca Kamia, que também aposta em sua experiência para tentar convencer os eleitores.

 

Redes sociais – “Quem tem trabalho consolidado, um histórico de ações de melhorias, além de mostrar propostas inovadoras, leva vantagem. A conquista do voto se dará nas ruas, no corpo a corpo, arregimentado a força de amigos e apoiadores”, diz Kamia, que, assim como Kobayashi, também acredita que esta será uma eleição mais voltada às redes sociais, uma tendência nas últimas eleições.

“Com a população conectada em redes sociais e aplicativos de mensagens instantâneas, fica mais “fácil” divulgar os nomes e números dos candidatos. Porém, “curtidas” e mensagens de apoio não necessariamente se converterão em votos. O principal é estar nas ruas, trabalhando”, pondera.

Para George Hato (PMDB), além de todas as restrições, “estamos começando uma campanha no meio de um processo de impeachment. Será muito difícil e com certeza vai refletir de forma negativa”, garante Hato, que espera reverter o quadro através de “contato direto com os eleitores e sempre falar a verdade ser sincero”.

 

Crises – Para Aurélio Nomura, a crise generalizada que o país atravessa reflete em todos os segmentos da  sociedade. “Há a crise política, com a descoberta de sucessivos escândalos de corrupção; há a crise econômica grave, com índices de inflação e desemprego alarmantes; e há uma crise institucional e de valores morais de nossa sociedade”, enumera Nomura, acrescentando que “todo esse cenário caótico fez com que as pessoas se mobilizassem, fossem às e passassem a participar mais da vida política e a contestar as ações realizadas por todos os poderes, Executivo, Legislativo e Judiciário”.

Segundo ele, “ampliou-se o debate do que a sociedade pretende construir, qual é a cidade que queremos ter, qual é o país que queremos ser. E isso tudo é bastante positivo”, diz Nomura, que acredita que “todo esse movimento terá reflexos nas eleições municipais quando a população tem, novamente, a chance de escolher um representante que dará voz a seus anseios”.

 

ALDO SHIGUTI

ALDO SHIGUTI

Redator-chefe
ashiguti@uol.com.br
ALDO SHIGUTI

Últimos posts por ALDO SHIGUTI (exibir todos)

     

     

     

    Conheça algumas propostas dos candidatos

     

    george-hato

     

    “Sou médico e a minha prioridade é fortalecer a saúde e vejo o esporte como uma grande ferramenta para a prevenção de doenças . O esporte também encaminha nossos jovens para o caminho do bem”

    (George Hato)

     

     

     

     

     

    kamiya“Meus projetos estão focados nas áreas da saúde, com apoio aos grupos de doenças raras e graves e apoio a hospitais públicos; de infraestrutura, com asfalto, iluminação pública e obras; além de incentivo à cultura e educação. Aliás, destaco que, em cinco mandatos de vereador e uma como deputado federal, sempre busquei o apoio à comunidade nipo-braisleira, seja através de emendas parlamentares para eventos culturais (Okinawa Festival, Nikkey Matsuri, Festival do Japão, dentre outros); seja nas entidades e associações, orientando e atendendo demandas. Nosso trabalho é amplo e estamos sempre de portas abertas para a população”

    (Kamia)

     

     

     

     

    ota“Apesar de estar em meu primeiro mandato, sou autor de quatro leis que demonstram coerência com meu passado de 19 anos luta em favor dos direitos das minorias e vítimas da violência. Minhas leis aumentam a proteção social para estudantes do ensino municipal, mulheres, e respeito à memória das vítimas da violência. Destaco aqui  minha luta pela reabertura do antigo Hospital da Vila Carrão, fechado há 15 anos. Fiz tudo o que um parlamentar pode fazer dentro de suas atribuições –  enviei emenda, sensibilizei autoridades e continuo cobrando. Agora, falta a Prefeitura fazer a parte dela: dar prosseguimento à obra. Saúde, Educação e Assistência Social são meus compromissos deste e do próximo mandato”

    (Ota)

     

     

     

     

    Victor“Entre os projetos, cito os cursos de informática para idosos, cursos de capacitação em massoterapia e gastronomia, oficinas para disseminar a prática de esportes e o projeto Vamos ao Teatro, que leva crianças, jovens e deficientes físicos aos melhores espetáculos artísticos em cartaz na cidade”

    (Victor Kobayashi)

     

     

     

     

     

    aurelio-nomura“Tenho a honra de ter sido o autor de leis de grande importância para a cidade de São Paulo como é o caso da lei que garante o aleitamento materno, as vagas para gestantes, o atendimento pedagógico hospitalar para crianças e adolescentes em tratamento prolongado, a criação do Parque Augusta e do Mapa do Ruído, entre outras. Fui um dos poucos vereadores que votou contra o aumento abusivo do IPTU pretendido pela Prefeitura, em 2013. Também fiscalizo as ações do executivo e cobro resultados realizando mais de 150 horas de audiências públicas dentre elas estão os debates sobre a implantação da faixa exclusiva de ônibus na avenida Giovanni Gronchi, avenida do Cursino, avenida Lins de Vasconcelos e Lacerda Franco. Investi na educação indicando emendas para reformas de creches eescolas, na saúde para a compra de equipamentos e reformas, além de recapeamentos, eventos culturais, entre outros. Enviei requerimentos ao Tribunal de Contas do Município para que a Prefeitura esclarecesse os enormes gastos com as ciclovias e ciclofaixas, afinal, só a ciclovia da Avenida Faria Lima custou mais de R$ 50 milhões”

    (Aurélio Nomura)

     

     


     

     

    CANDIDATOS NIKKEIS A VEREADOR NA CAPITAL

     

    Nome na Urna: Akiko Akiyama

    Nome Completo: Akiko Akiyama

    Partido: PSOL

     

    Nome na Urna: Aurélio Nomura

    Nome Completo: Aurélio Nomura

    Partido: PSDB – Coligação PSDB/PSB/PP/DEM

     

    Nome na Urna: Fabiano Yamashita

    Nome Completo: Fabiano Takeshi Yamashita

    Partido: PHS – Coligação: PHS – PMB – PPS

     

    Nome na Urna: George Hato

    Nome Completo: George Vatutin Hato

    Partido: PMDB – Coligação: União Por São Paulo

     

    Nome na Urna: Hélio Takata

    Nome Completo: Hélio Teruo Takata

    Partido: PTB – Coligação: PTB

     

    Nome na Urna: Kamia

    Nome Completo: Ushitaro Kamia

    Partido: PDT – Coligação: PT/PDT/PR/PROS

     

    Nome na Urna: Lucas Namasu

    Nome Completo: Lucas Hideo Namasu

    Partido: PSDB – Coligação: PSDB/PSB/PP/DEM

     

    Nome na Urna: Mauro Hashimoto

    Nome Completo: Mauro Akio Hashimoto

    Partido: PEN

     

    Nome na Urna: Naomi Yamaguchi

    Nome Completo: Greice Naomi Yamaguchi

    Partido: Novo

     

    Nome na Urna: Ota

    Nome Competo: Masataka Ota

    Partido: PSB – Coligação: PSDB/PSB/PP/DEM

     

    Nome na Urna: Patricia Tani

    Nome Completo: Patricia Kiyomi Tani

    Partido: PSDC

     

    Nome na Urna: Professor Maeda

    Nome Completo: Mario Maeda Júnior

    Partido: PTN

    Nome na Urna: Professora Marilda Watanabe

    Nome Completo: Marilda Watanabe Mazzocchi

    Partido: PSL

     

    Nome na Urna: Rodrigo Goulart

    Nome Completo: Rodrigo Hayashi Goulart

    Partido: PSD – Coligação: União Por São Paulo

     

    Nome na Urna: Rogerio Nagai

    Nome Completo: Rogerio Eduardo Nagai

    Partido: PV

     

    Nome na Urna: Saito-San

    Nome Completo: Eduardo Tsuneo Saito

    Partido: PSDC

     

    Nome na Urna: Sérgio Koei

    Nomde Completo: Sérgio Koei Ikehara

    Partido: PSTU

     

    Nome na Urna: Shinsho Takara

    Nome Completo: Shinsho Takara

    Partido: PTN

     

    Nome na Urna: Simone Hieda

    Nome Completo: Simone Michico Gava Hieda

    Partido: PSDC

     

    Nome na Urna: Silvia Nakano

    Nome Completo: Silvia dos Santos Nakano

    Partido: PSL

     

    Nome na Urna: Tachibana

    Nome Completo: Marcos Jesus Tachibana

    Partido: PTN
    Nome na Urna: Tomaz Kurashima

    Nome Completo: Tomaz Kiyomu Kurashima Júnior

    Partido: PV

     

    Nome na Urna: Victor Kobayashi

    Nome Completo: Victor Kobayashi

    Partido: PSD – Coligação: União Por São Paulo

     

    Nome na Urna: Watanabe

    Nome Completo: Humberto Yudi Watanabe

    Partido: DEM – Coligação: PSDB/PSB/PP/DEM

     

     

    Última atualização: 31 de agosto. Fonte: TRE-SP

     

    Related Post

    SÃO PAULO: Vereador Aurélio Nomura entrega relatór... Instalada em abril de 2014 para apurar denúncias de áreas contaminadas na cidade de São Paulo, a Comissão Parlamentar de Inquérito (CPI) foi encerrada...
    MÚSICA: No Japão, Melissa Kuniyoshi supera desafio...   O ano de 2014 mal começou, mas promete ser de novidades e desafios para a pequena Melissa Kuniyoshi, a estrela de karaokê que conquistou res...
    ARUJÁ: Expo Aflord movimenta turismo e vê conquist... O ácaro rajado, um dos principais problemas enfrentados pelos produtores de flores ornamentais, pode estar com seus dias contados. Resultado de uma pa...
    KARAOKÊ: Marcelo Akamine é o grande campeão do Mae... Graças ao sempre eficiente Seinenkai Maeda, o XVI Concurso Maeda Karaokê Aiko-kai alcançou, mais uma vez, pleno sucesso ao atingir o incrível número d...

    Faça seu comentário

    O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *