ERIKA TAMURA: A depressão dentro da comunidade brasileira no Japão

Trabalho em uma ONG chamada SABJA (Serviço de Assistência aos Brasileiros no Japão), localizada em Tóquio, e entre outros serviços há a orientação psicológica aos brasileiros. A ONG conta atualmente com 4 psicólogos atendendo a comunidade brasileira dentro dos Consulados brasileiros que dividem-se em três jurisdições: Tóquio, Nagoia e Hamamatsu.
Estava observando alguns relatórios e percebi que os casos de depressão entre os brasileiros têm aumentado muito, e isso é uma realidade preocupante, principalmente em relação ao futuro dos jovens e crianças, pois pais sadios geralmente criam filhos sadios, geralmente pois há algumas exceções, o que dirá de pais depressivos então.
Mas eu como já trabalhei em fábrica, e vim ao Japão como dekassegui, entendo perfeitamente o que acontece. Os brasileiros saem do Brasil com um sonho e um objetivo de vida, mas chegando no Japão, esses sonhos se transformam ou na pior das hipóteses eles deixam de existir. Já pararam para imaginar como é viver sem uma meta a cumprir? Qual o significado de acordar todos os dias e ir trabalhar, enfrentar carga horária puxada, ambiente de trabalho estressante, chefe chato, rotina e mais rotina, sem nenhum sonho? Apenas para o sustento? Isso é justo?
Pois é isso que tem acontecido com a comunidade brasileira. A maioria, eu diria que 90% dos brasileiros que vivem no Japão, não querem morrer no Japão. Pensam em um dia voltar ao Brasil, mas quando? Ninguém tem essa resposta na ponta da língua com exatidão. E o tempo está passando, aliás o tempo está voando! Aí o que acontece é que a maioria dos que querem retornar ao Brasil, sem planejamentos, não possuem um plano de aposentadoria, não pensaram nisso, e com a idade avançando, percebe-se que o Japão não é mais o mesmo, percebe-se que os estrangeiros sem qualificação profissional são apenas mão de obra descartáveis, e dependendo da idade fica-se mais difícil de se manter no mercado de trabalho.
Muitos irão me criticar porque escrevo isso, mas é verdade! Vamos parar com a ilusão em querer tapar o sol com a peneira pois os dados que vi, mostra exatamente isso, a depressão é consequência dessa realidade.
Quando o número de brasileiros diminui no Japão, o número de pessoas depressivas dentro da comunidade se manteve, o que significa que proporcionalmente a depressão vem aumentando.
E conversando com os psicólogos, percebi que esse trabalho se faz necessário, o que é triste. Afinal gostaria de escrever aqui coisas lindas sobre as conquistas da comunidade brasileira no Japão, mas a realidade não me permite fazer isso. O ideal seria que nem a ONG SABJA fosse necessária existir, pois se NPO SABJA fosse obsoleta e ociosa seria um sinal de que os brasileiros vão bem.
Por isso insisto na tecla do desenvolvimento humano aqui no Japão, e o mais importante: Ter um sonho!
Já que estamos no Japão, vamos acrescentar cultura e conhecimento em nossa bagagem. E o sonho, ah o sonho, ele não deveria sair da listas de prioridades, e fazer dele um objetivo, correr atrás, o gostinho da conquista é tão bom! E a renovação dos sonhos e objetivos é uma manutenção constante para se sentir vivo.
Os psicólogos reforçam a ideia de que os sonhos são muito importantes, mas é importante também manter um hobby, uma atividade física ou social, uma rotina saudável, tudo o que já sabemos mas não ligamos muito…
Psicólogo Irineu, que atende no Consulado de Hamamatsu deu uma dica para a depressão não te pegar, basta definir primeiramente o que você quer. Quer ir pro Brasil? Quer ficar no Japão?
Definido isso, a engrenagem começa a funcionar, o resgate dos sonhos vem com o tempo, e quando você perceber tudo caminha bem por si só.
Antes de criticar ou reclamar de algo, vamos pensar um pouquinho mais sobre as consequências que esse pensamento irá te trazer?
Simples assim…

ERIKA TAMURA

ERIKA TAMURA

nasceu em Araçatuba e há 18 anos mora no Japão, onde trabalha no Serviço de assistência aos brasileiros no Japão da Ong chamada Sabja

E-mail: erikasumida@hotmail.com
ERIKA TAMURA

Últimos posts por ERIKA TAMURA (exibir todos)

     

    Related Post

    ERIKA TAMURA: Falando nihonguês!   Quando os brasileiros chegam aqui no Japão, para trabalhar, têm inúmeras dificuldades. Mas uma delas, com certeza, é o idioma. E brasilei...
    SILVIO SANO: AH!. OS ROLEZINHOS… E NÓS!   Pois é caro leitor, demorei, mas não me esqueci, não, até porque os rolezinhos, assim como a farra geral neste país continuará firme e forte...
    JORGE NAGAO: SIMONAL (ou do faz-se lá à ré, só dó... Esta é uma tardia homenagem à voz, ao charme, ao carisma e ao champignon de um cantor sensacional: Wilson Simonal. Moro num país tropical, abençoado...
    AKIRA SAITO: COPA DAS COPAS   “Um País se faz com Homens e Livros – Monteiro Lobato”     Esta semana se inicia o que deveria ser o maior evento esportivo e...

    4 Comments

    1. Claudio Suzuki says:

      Parabéns…
      Texto de extrema importancia para quem está no Japão e principalmente para quem pretende retornar ou ir pela primeira vez.
      Sonhe e corra atrás….
      Coloque metas na vida…
      Faça um planejamento financeiro, familiar, previdenciário..
      Aproveite a vida….

      Claudio Suzuki

    2. Eu que trabalho direto com pessoas em uma loja vejo os sonhos se perderem todos os dias, os sonhos, os objetivos a cultura … Qtas pessoas estão presas aqui porque não sonharam ?? Sempre qdo encontro alguém que está vindo pela primeira vez falo: não perca de vista seus objetivos , não se acomode como nós nos acomodamos …. Ainda bem que percebi logo que ter sonhos e objetivos era tudo que eu precisava, e já estamos perto de concluir a primeira etapa , se Deus quiser .

    3. Muito bem, querida Erika, minha conterrânea!
      Texto que nos faz refletir sobre uma frase dita por Ariano Suassuna, a qual li numa reportagem da Folha, onde ele se diz não simplório e sim crítico, porém esperançoso. Acrescento que em oposição aos críticos esperancosos existem os críticos reprodutivistas, ou seja, aqueles que reproduzem a situação que critica sequer tendo a consciência disto, o que é mais triste! É isso que vc tenta passar à comunidade brasileira no Japão, para que revejam suas condições e acordem para reaver suas metas e sonhos possíveis.
      Abraços e recebam uma dose de esperança e coragem para superar crises que, sabemos, serão passageiras!

    4. marai alves siqueira sono says:

      Infelizmente Depressao nao é só para quem esta no Japao. Pois em varios Paises esse mal e do nosso tempo. pois é uma realidade que as pessoas só percebe qdo estao nela.

      Pois perdi meu marido aqui no Brasil,entrou na depressao profunda.

    Faça seu comentário

    O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *