ERIKA TAMURA: A saída do Reino Unido da União Européia

O mundo foi surpreendido com a decisão do Reino Unido em deixar de fazer parte da União Européia. A repercussão dessa notícia fez com que cada país reagisse de um jeito, sofrendo de alguma forma ou com alguma intensidade a consequência dessa decisão.

Aqui no Japão, a repercussão foi sentida quase que instantâneamente. Eu estava me preparando para viajar, quando vi na mídia que o dólar no Japão estava 99 yenes (até então o preço girava em torno de 106 yenes). A última vez que o dólar baixou na casa de 99 yenes foi em novembro de 2013. O dólar fechou o dia a 101,50 yenes, sendo a maior alta entre as moedas estrangeiras nesse dia.

A causa para esse fato ocorrido foi a perda de investimentos em euro, decorrentes devido o anúncio do Reino Unido.

Vi uma reportagem onde o diretor de uma instituição dos principais executivos japoneses, o Keizai Doyukai, dizia que essa declaração do Reino Unido pode ser o prenúncio de uma guinada na economia mundial.

O que quero dizer, na verdade, é que o fato dessa mudança econômica que vem mexendo com todo o mercado mundial, é que temo que haja uma nova crise econômica no Japão. Assim como em 2008, quando o “Lehman shock” afetou o Japão e gerou desempregos como um dos seus maiores danos.

A explicação para esse meu temor pode ser explicada resumidamente na frase do presidente do KEIDANREN, Sr. Sakakibara, que afirmou que o produto japonês fica mais caro no exterior com a valorização repentina do yene, e a consequência disso é a perda da competitividade. Com isso, empresas japonesas do setor petrolífero e automobilístico que planejavam investir ou possuem negócios relacionados a exportação para o Reino Unido, irão ter um novo posicionamento daqui para frente.

Recentemente uma pessoa ligada ao governo do Ministro Abe, declarou que existe a probabilidade de que ocorra uma crise econômica parecida com a de 2008, portanto o momento agora é de cautela e atenção.

Vi uma entrevista do primeiro ministro japonês, Shinzo Abe, que me deixou preocupada, pois ele afirmava que o momento econômico atual é de insegurança. E que para fortalecer o mercado financeiro, ele e toda a sua equipe econômica, já estaria montando uma forma de agir a fim de evitar qualquer tipo de eminência e crise. Para tanto o Japão está disposto a tomar providências para utilizar todas as ferramentas disponíveis para manter a economia nacional funcionando no meio de tantas inseguranças.

Agora, na hora desse momento delicado, temos que manter as antenas ligadas, porque se uma crise econômica assolar o Japão, muitos brasileiros sofrerão com isso, como em 2008. Como sempre escrevo aqui, quem estiver melhor preparado, sobressairá ileso e prosperará. São os famosos “benefícios da crise”.

ERIKA TAMURA

ERIKA TAMURA

nasceu em Araçatuba e há 18 anos mora no Japão, onde trabalha no Serviço de assistência aos brasileiros no Japão da Ong chamada Sabja

E-mail: erikasumida@hotmail.com
ERIKA TAMURA

Últimos posts por ERIKA TAMURA (exibir todos)

    Related Post

    JORGE NAGAO: “Comida Di Buteco”   Não há muito tempo, olhando as opções de tira-gosto, excessivamente gordurosas e salgadas, até no preço, o garção me perguntou qual porç...
    ERIKA TAMURA: Prática da Resiliência Resiliência é a capacidade de um material de suportar tensões, pressões, intempéries e adversidades. Ademais, é a capacidade de se esticar, assumir fo...
    MEIRY KAMIA: Problemas que não devem ser levados à... Meiry Kamia*   Solucionar problemas faz parte do rol de comportamentos necessários no cotidiano de trabalho. Entretanto, muitas dúvidas sur...
    SILVIO SANO: Até tu, Demóstenes? Pois é, caro leitor. Enquanto escrevo este artigo, o partido dos Democratas se reúne com o Senador Demóstenes Torres, para ouvir explicações das acusa...

    Faça seu comentário

    O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *