ERIKA TAMURA: Concurso de oratória em português no Japão

No último dia 6, domingo passado, fui convidada para prestigiar o concurso de oratória em português. Fiquei muito feliz com o convite que partiu do Cônsul José Antônio Gomes Piras, do Consulado Geral do Brasil em Hamamatsu. O evento foi realizado pelo consulado e uma instituição chamada HICE, os dois localizados em Hamamatsu, no estado de Shizuoka.

O concurso foi dividido em três categorias: 1- Para os japoneses estudantes da língua portuguesa, 2- crianças brasileiras de 8 a 14 anos e 3- crianças brasileiras acima de 15 anos.

Foi um evento muito interessante, para mim, que presencio pela primeira vez, foi surpreendente, principalmente a primeira parte, onde os japoneses falaram em português toda a sua paixão pela cultura brasileira.

Sem querer desmerecer o empenho das crianças brasileiras, que aliás demonstraram muita destreza no dom da oratória, mas quero focar nessa primeira parte, onde os japoneses discorreram suas opiniões em português. No total, apresentaram-se dez japoneses, todos tiveram como tema principal a integração cultural entre Brasil e Japão. Confirmando o que eu já sabia, os japoneses amam bossa nova, e adoram a diversidade musical do nosso país.

Depois que ouvi a opinião de um dos candidatos, me dei conta da tamanha diversidade rítmica que o Brasil possui. Ouvir o japonês falar que a língua portuguesa possui uma sonoridade poética, me fez refletir sobre isso.

A língua portuguesa não é um idioma fácil de se dominar, muito pelo contrário, acho até muito difícil, e ver japoneses empenhados em aprender o português, simplesmente porque ouviu uma música e gostou, é um verdadeiro privilégio hoje em dia. No meio de tanta diversidade musical, o ritmo brasileiro tem seu lugar guardado. E sempre terá.

Por falar em música brasileira, estive em um festival de bossa nova em Tóquio, onde um dos cantores foi Pablo Moraes. Pablo é sobrinho do cantor Moraes Moreira, e canta MPB como poucos. Com uma plateia 99% japonesa, Pablo se apresentou e encantou a todos. Foi incrível e emocionante o seu show! Japoneses são tão frios, que não sabia como iriam reagir ao show do Pablo, mas por incrível que pareça, as músicas cantadas por Pablo encantaram tanto que os japoneses até interagiram durante o show.

Mas voltando ao concurso de oratória. Acho louvável essa atitude do Consulado Brasileiro em Hamamatsu reconhecer, certificadamente, os japoneses que ali estavam. Não é fácil para os japoneses falarem em português, o sotaque sempre é carregado demais, as pronúncias são difíceis para quem não consegue pronunciar algumas letras, existe o fator nervosismo, além da rigorosidade do júri ali presente. Aliás, o júri foi excelente, mas confesso que não queria estar no lugar deles. Formaram a banca examinadora: Ewerthon Tobacce da Revista Alternativa, Fabiano Linden do Banco do Brasil, Paulo Amado do Consulado Geral do Brasil em Hamamatsu e Marisa Higa da HICE.

A vencedora na categoria 1, foi Hanako Kamiya, que levou até um CD do João Gilberto para contar como começou a sua paixão pela música brasileira. Na categoria 2, a vencedora foi Flávia Mayumi Yoshinaga e na categoria 3, a vencedora foi Emilly Markies Alves. Parabéns a todos os candidatos!

O evento contou ainda com a presença de Ricardo Okino, da J-Rights, empresa representante da Turma da Mônica no Japão. Ricardo, premiou os vencedores com gibis autografados pelo próprio Maurício de Sousa. O gibi como prêmio, pode parecer despretensioso, mas carrega em si uma importância significativa, e falo isso como mãe. Meus filhos enquanto moravam no Japão, só mantiveram o interesse pela língua portuguesa porque liam gibis da Turma da Mônica, por isso acho esse primeiro de grande valor. O gibi pode significar o elo de ligação das crianças brasileiras que vivem no exterior com a língua portuguesa.

O concurso de oratória já está em sua sexta edição, mas somente esse ano pude conferir pessoalmente a sua realização, e a todo momento vinha na minha cabeça a imagem da minha filha no papel inverso, pois ela participou do concurso de oratória em japonês no Brasil. Se pararmos para pensar é incrível a capacidade das crianças, não é mesmo?

Por isso eu continuo a minha luta em conscientizar os pais brasileiros no Japão, que o melhor caminho para o sucesso na educação dos filhos é a criação bilingue. Crianças bilingues têm mais oportunidades para um maior desenvolvimento, e mais chances para tornarem-se adultos bem sucedidos.

Somos privilegiados, pois podemos unir o que as duas culturas, brasileira e japonesa, têm de melhor e tirar proveito disso. O nome disso é conhecimento, experiência, bagagem cultural…

 

ERIKA TAMURA

ERIKA TAMURA

nasceu em Araçatuba e há 20 anos mora no Japão, onde trabalha no Serviço de assistência aos brasileiros no Japão da Ong chamada Sabja

E-mail: erikasumida@hotmail.com
ERIKA TAMURA

Últimos posts por ERIKA TAMURA (exibir todos)

    photo1

    Related Post

    BEM ESTAR: Desperdícios A providencia divina é infinita, não por isso devem desperdiçar, como que existisse fonte inesgotável de suprimentos. Mas falemos de uma coisa mais...
    JOJOSCOPE: O Livro de Travesseiro   Sei Shonagon, retratado provavelmente por Tsukioka Settei Escrito no século 10 em Heiankyô (平安京), atual Kyoto, por Sei Shônagon (c. 966-...
    AKIRA SAITO: LEALDADE   “A beleza da relação entre duas ou mais pessoas é simplesmente a capacidade de se manterem leais umas com as outras.” No antigo código de con...
    JORGE NAGAO: Kazu quer casar, sem miai     Aos domingos, além de folhear a Folha, costumo acompanhar o jornal Agora que traz a Revista da Hora. Há quase um ano, na seção...

    Faça seu comentário

    O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *