ERIKA TAMURA: Consulado Itinerante Brasileiro no Japão

 

No dia 20 de abril, sábado passado, tivemos aqui na cidade em que eu moro, Joso, a visita e os préstimos do Consulado Brasileiro Itinerante. O que isso significa? É a forma da comunidade brasileira que vive em Ibaraki e região, poder ter acesso aos serviços consulares, sem a necessidade de locomover-se até Tóquio, e numa data flexível, no caso, no sábado.

São serviços consulares, que englobam a disponibilidade de solicitação de passaportes, procurações, regularização do título de eleitor e alistamento militar.

Sem dúvida nenhuma, uma ajuda e tanto, que vem de encontro com as necessidades vigentes dentro da comunidade local, afinal, cheguei no centro comunitário, onde estava sendo realizado o itinerante, e logo percebi o aglomerado de pessoas. Todo o saguão praticamente lotado.

Mas fora isso, o consulado organizou uma série de eventos paralelos para que os brasileiros tivessem a oportunidade de um acesso a uma série de informações. Havia atendimento médico e psicológico, informações sobre doenças sexualmente transmissíveis e um ciclo de palestras no qual achei muito interessante, com temas que se referem a educação. Educação é um assunto que teimo em falar sempre nos meus artigos, pois acredito que só com muito estudo é que se pode transformar o mundo em que se vive. E a comunidade brasileira no Japão, está um pouco perdida em relação a isso, percebo claramente que os filhos dos dekasseguis sentem-se inseguros em relação a qual caminho seguir: escola brasileira, escola japonesa, estudos ou trabalho?

Por esse motivo achei muito bem oportuna a abordagem deste tema na palestra, mesmo que as pessoas presentes não absorvam momentaneamente tudo o que foi falado, com certeza isso ficará encubado em suas mentes, e quando surgir um assunto relacionado a este tema, a informação absorvida, surgirá como uma luz.

Erika Tamura e o cônsul brasileiro de Tóquio, Marco Farani (foto: divulgação)

 

Conversando com o cônsul brasileiro de Tóquio, Marco Farani, percebi que há um interesse real do cônsul em fazer com que a comunidade se una e evolua dentro do Japão, e para isso o consulado tem se empenhado para passar uma certa segurança com o acesso de informações.

Na verdade, nesses 15 anos morando no Japão, nunca vi um consulado tão participativo dentro da comunidade brasileira, como agora. É realmente notório o empenho e o trabalho exemplar que Farani vem desenvolvendo em seu mandato. O diferencial, está nesse contato direto que o cônsul tem com os brasileiros moradores no Japão. É um contato que passa mais segurança, afinal, nós dekasseguis nos sentimos um pouco abandonados, porque não somos japoneses, somos brasileiros mas não moramos no Brasil, então quando temos alguma dificuldade, em quem pensamos para uma busca de ajuda ou até mesmo informação? O Consulado Brasileiro! Mas até uns tempos atrás, a realidade que tínhamos era que a ajuda do consulado era inacessível, e que nós trabalhadores brasileiros estávamos em um patamar bem abaixo dos brasileiros do consulado. E agora, com Marco Farani no cargo, não vejo mais essa barreira, pois ele faz questão de saber pessoalmente qual a necessidade real da comunidade, e qual a maior dificuldade enfrentada por cada um. Isso sim eu digo que é um exemplo de diplomacia suprema!

Até a agilidade dos serviços estão melhores, pois percebi a diferença no atendimento e na eficiência do consulado.

O Consulado Itinerante é uma iniciativa muito válida, e que tem alcançado os objetivos propostos de forma a atender as necessidades imediatas dos brasileiros, mas o cônsul pensou além disso, pois a médio e longo prazo, é muito difícil manter uma perspectiva, mas a palestra mostrou que a essência da preocupação do cônsul, é realmente com o futuro.

 

 

 

*Erika Tamura nasceu em Araçatuba e há 15 anos mora no Japão, onde trabalha com desenvolvimento de criação. E-mail: erikasumida@hotmail.com

 

 

 

 

 

Redação

Redação

nippak@nippak.com.br
Redação

Últimos posts por Redação (exibir todos)

Related Post

JOJOSCOPE: Lufe Gomes: uma viagem ao interior, lit... Matéria originalmente produzida para a revista Hashitag   Fotos: Lufe Gomes     O fotógrafo Lufe Gomes trabalha para revistas d...
ERIKA TAMURA: Meu encontro com Mauricio de Sousa Estou novamente no Brasil, e desta vez para dar andamento em mais um projeto pela ONG em que eu trabalho. O projeto da vez está relacionado à educ...
JORGE NAGAO: Voa, Chisato-san! Chisato voando lindamente, em Boituva-SP.   Enviada pela Japan Foundation para a Fundação Japão-SP, a sensei Chisato Yoshioka cumpriu a su...
JORGE NAGAO: LITERATURA É EÇA, HESSE, É ISSO AÍ! (... Literatura corta azar. Literatur sara, amigo. Literatu É mil(e), Zola! Literat Dá o tom, Trevisan. Litera é Camões, com os pés, não. Liter é ...

Faça seu comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *