ERIKA TAMURA: Daniel Yuiti Matsumoto e o Beisebol Brasileiro

 

O início de março pode ser considerada uma data muito importante para o beisebol brasileiro. A seleção adulta principal do Brasil está no Japão para a disputa do World Baseball Classic 2013, ou simplesmente WBC, como a imprensa japonesa tem noticiado.

O Brasil conquistou essa vaga, após vencer incrivelmente o time do Panamá na fase classificatória.

Para mim, que sou de Araçatuba, acompanhar o WTC tem um gostinho especial, pois o capitão da equipe brasileira é araçatubense, Daniel Matsumoto, 32 anos, jogador do time do Yakult Swallows do Japão.

 

Daniel mora no Japão há 15 anos, e tem mostrado todo o seu talento e potencialidade dentro da liga profissional japonesa, ou seja, Daniel é um gigante no esporte e faz parte de uma das melhores, senão a melhor Liga de Baseball profissional.

É visível a minha admiração por Daniel, que aqui no Japão é conhecido como Matsumoto Yuiti, não só por ser araçatubense, mas pela garra e determinação que o fez chegar onde está! Conheço a irmã de Daniel, Renata e sei como toda a sua vinda ao Japão encheu a família de orgulho! Mas não foi apenas a família Matsumoto que se orgulha, mas todo o povo araçatubense, e até mesmo o povo brasileiro! Pois não é fácil fazer parte da elite do beisebol, o Japão é uma vitrine e assim como os Estados Unidos é um objetivo e sonho de muitos jogadores. E Daniel está aqui, provando mais uma vez que o brasileiro tem qualidades para fazer a diferença em um campeonato concorrido.

 

 

Mas a tarefa de Daniel essa semana, é diferente, pois sábado o Brasil irá enfrentar o Japão, em terras nipônicas. Será que o time brasileiro tem algum receio disso? NENHUM!!! Conversei com Daniel Matsumoto pelo telefone, ontem, e ele me falou sobre a empolgação do time para enfrentar o Japão.

O beisebol no Japão é um esporte fortemente estruturado, profissional, além de ser listado como um dos esportes favoritos dos japoneses, o beisebol ou yakiyu em japonês, é o futebol dos japoneses, portanto já dá para imaginar a adrenalina no sábado!

O Brasil, ao contrário do Japão, tem grandes dificuldades no esporte, a imprensa pouco divulga, a CBBS (Confederação Brasileira de Beisebol e Softbol) trabalha muito para poder atender a todos os jogos de maneira eficaz. Isso significa que o Japão tem grandes chances de ganhar no jogo de sábado, mas o Brasil tem garra, força e lutará bravamente honrando a camisa que leva o nome BRASIL. Tenho certeza absoluta que independente de tudo, todos os jogadores farão o melhor possível, todos se entregarão de corpo e alma para poder vencer o WBC. Como tenho tanta convicção em falar isso? Simples! Conversando com Daniel, ele me disse que o time não tem patrocínio, isso mostra uma das diferenças entre a seleção brasileira e seleção japonesa. Na minha opinião uma diferença totalmente transponível, Basta um pontapé inicial com um incentivo empresarial e uma visibilidade maior na mídia. Pois competência e determinação esse time já mostrou que tem, no jogo contra o Panamá. Afinal, jogar dentro de campo é o que eles sabem fazer de melhor, o problema é fora dele, onde se convive com essa falta de patrocínio em um país onde muitos empresários têm condições de ajudar.

 

 

Como disse Daniel: “O Japão tem jogadores com salários milionários, e o Brasil não, mas dentro do campo seremos todos iguais! Todos buscando a vitória!”.

O Japão pode ser mais rico, mas o Brasil é maior! Maior na vontade, maior na raça e na garra, ou seja, tudo aquilo que o dinheiro não compra!

 

 

 

*Erika Tamura nasceu em Araçatuba e há 15 anos mora no Japão, onde trabalha com desenvolvimento de criação. E-mail: erikasumida@hotmail.com

 

Redação

Redação

nippak@nippak.com.br
Redação

Últimos posts por Redação (exibir todos)

Related Post

NIPPAK PESCA: Tenkara Continuando a falar sobre esta modalidade de pesca, que tem sua origem no Japão, é hora de mostrar como adaptar uma montagem da vara utilizada nestas ...
BEM ESTAR: O que é Ser Humano? Ser de Luz, incorporado no corpo físico em forma de perispirito, que usa  o corpo como meio de locomoção, de resistência limitada,  quando o corpo em ...
ERIKA TAMURA: A importância da qualificação do tra...   No artigo dessa semana vou ressaltar um assunto que venho falando insistentemente, e que infelizmente, a comunidade brasileira que vive no J...
ERIKA TAMURA: A inércia viciosa Uma vez li um artigo do Eduardo Lopes, na página: administradores.com.br, que dizia sobre o círculo vicioso da inércia e a síndrome do sapo na panela....

2 Comments

  1. nossos jogadores vivem de ajuda de custo da cbbs quando tem verba, os nossos adversarios ganham milhoes em patrocinio etc…mas vamos mostrar nosso valor em campo.

  2. … que feliz e orgulhoso estou de ver o Yuiti se destacando e vivendo daquilo de que gosta, tb sou de Araçatuba e o conheço a muito tempo!!! Boa sorte!

Faça seu comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *